A verdade sobre a puja

Pedro Kupfer - 25 de Novembro de 2001 - Nenhum comentário

Você sabe o que significa é pūjā? Alguns praticantes acreditam que pūjā seja uma espécie de transferência de energia, uma saudação esquisita onde quem 'dá' a pūjā perde alguma coisa, e quem o 'recebe', ganha energia e longevidade, força e mais alguma coisa nebulosa, arrancada meio que à força do doador.

A palavra sânscrita pūjā significa literalmente adoração. Na Índia, a palavra pūjā é usada para descrever as diferentes formas de adoração aos deuses, seja no templo, seja em casa.

Uma pūjā é um ato de reverência do devoto em relação a uma determinada representação do divino, indicado pela presença de um símbolo (uma escultura, uma imagem, uma fogueira sagrada, etc.) que não é venerado em si mesmo, mas aponta para aquela forma específica de Īśvara.

Entre os procedimentos da pūjā estão a invocação inicial ao Iśta devattā, a deidade eleita, chamada āvāhana, o convite para sentar, a lavagem dos pés e atos de adoração mediante o oferecimento de flores, incenso, luz e alimento.

pūjā é precedida pelo sankalpa, a resolução interior de levá-lo a cabo. Na continuação se faz o múla mantra, o mantra invocatório, e se dá o nome da deidade à qual o ritual é dirigido. Depois se oferecem os elementos rituais e se fazem os mantras propiciatórios. O ritual conclui com o visarjana, o convite para que a deidade se recolha.

Conforme o tipo de pūjā, se usam tradicionalmente grupos de vinte e um, dezesseis, dez ou cinco elementos rituais, chamados upachāra. Dentre eles, os cinco elementos que constituem a matéria (pañchatattva), aparecem simbolizados por oferendas de flores (puṣpa), incenso (dhūpa), luz (dīpa), alimentos (naivedya) e sândalo (chandana), significando éter, ar, fogo, água e terra respectivamente.

Esses procedimentos formais prescritos para a pūjā buscam venerar uma das representações de Deus, na forma de um hóspede que se recebe dentro de casa. Estes atos são feitos em estado de meditação e vão acompanhados pela recitação de certos mantras e textos escriturais que variam conforme a tradição do pūjāri (aquele que faz pūjā).

O ritual da pūjā conclui com a distribuição de prasāda, alimento que foi oferecido à deidade. A aceitação do prasáda é um ato de reconhecimento da deidade como a fonte de toda a felicidade, a realização espiritual, a paz e a prosperidade de que desfrutamos.

Outros sinônimos de pūjā são vandanā, saparyyā, namasya, arhanā e bhajan. A pūjā do Bhakti Yoga se faz diariamente, dirigido à deidade de culto pessoal, Ishta devattā: Viṣṇu se a pessoa for vaishnava, Shiva ou Ganesha se for śaiva, Devī no caso de um śākta. É um tipo de prática chamada kāmya, que se faz para realizar algum objetivo.

Li e concordo com os termos de uso

SEÇÃO DO MÊS

  • Vedanta
    O autoconhecimento transforma positivamente a visão que temos do mundo e da vida

MAIS LIDOS

ANÚNCIOS

CURSOS E EVENTOS

  • 01 a 28 de Julho de 2017

    Pedro Kupfer

    Formação em Yoga :: Ubatuba

    Anunciamos com satisfação o Módulo I da Formação em Yoga, que irá acontecer no próximo mês de Julho de 2017 na belíssima Praia de Itamambuca, em Ubatuba, litoral norte do Estado de São Paulo.

  • 22 de Fevereiro a 11 de Março de 2017

    Staff yoga.pro.br

    Yoga na Índia com Ângela e Pedro Kupfer

    O foco desta viagem é a descoberta de si mesmo. Essa é a razão pela qual temos apenas dois destinos: Tiruvannamalai e Rishikesh (isso, por outro lado, torna o custo da viagem muito acessível). Ambos destinos são fundamentais na tradição do Yoga: o primeiro, no sul do país, foi lar do grande yogi Rāmaṇa Mahaṛṣi, que meditou por mais de 20 anos numa caverna ao pé do monte Arunachala. O segundo fica no sopé dos Himalaias, ao norte.

[veja todos]