O Yoga Moderno versus o Yoga Tradicional

Swami Jñaneshvara Bharati - 01 de Julho de 2014 - 25 Comentários

A típica percepção pública do Yoga tem mudado significativamente em anos recentes. Este artigo se refere a natureza destas mudanças, comparando o Yoga tradicional dos sábios da antigüidade  com as revisões modernas. O artigo também inclui citações de nove diferentes professores cujos nomes são muito conhecidos. 


Para ser um minerador de diamantes,
Cuide de suas enxadas e pás.
Para ser um minerador de seu Eu espiritual,
Cuide de seu corpo, respiração e mente.
Mas não confunda as ferramentas com os objetivos. 
O objetivo do Yoga é o Yoga. Ponto.

A Visão Tradicional do Yoga e das Posturas (Asanas)

 

 

A Visão Tradicional: Para os antigos, Yoga era um sistema completo, do qual as posturas eram uma pequena, mas muito útil, parte. A palavra 'Yoga' referia-se ao todo, não somente a uma parte, que eram as posturas, ou Asanas. Todo o propósito do Yoga era de natureza espiritual, de acordo com os sábios da antigüidade.

 

A Visão Moderna do Yoga e das Posturas (Asanas)

Visão Moderna: Nos tempos modernos, a posição relativa das posturas foi elevada de tal forma que leva a acreditar que a palavra 'Yoga' refere-se a posturas físicas ou Asanas, e que seu objetivo é a aptidão física. O todo e a parte foram invertidos, um equivoco terrível que gera confusão sobre a verdadeira natureza do Yoga autêntico.   


'Estúdio de Yoga' é um paradoxo.
 
 

O Objetivo do Yoga é Yoga: O objetivo ou  destinação do Yoga é Yoga em si, união em si, do  pequeno eu com o Verdadeiro Eu, um processo de despertar para a união preexistente que é chamada Yoga. Enquanto não é a intenção deste artigo fazer uma definição final ou conclusiva do termo Yoga ? que pode ser descrito de diferentes maneiras ? o Yoga tem a ver com a realização através da experiência direta da união preexistente entre Atman e Brahman, Jivatman e Paramatman e Shiva e Shakti, ou a realização de Purusha existindo separado de Prakriti. O simples fato de que alguém possa fazer alongamentos com o corpo físico não significa que está caminhando na direção da elevada união referida como Yoga.  

Yoga e Cristianismo: Dizer que Yoga é somente preparação física, como fazem muitos Cristãos, é como dizer que a comunhão Cristã é somente beber vinho e comer pão e que o batismo é nada mais que tomar um banho. O objetivo do Yoga é o Yoga. 

 

Um Comentário Pessoal:

Uma pequena parcela das pessoas achará o conteúdo deste artigo interessante. Outros até mesmo o achará ofensivo. É certo que praticamente ninguém será convencido a mudar suas opiniões equivocadas sobre a natureza do Yoga simplesmente por ler este artigo, já que a mente tende a manter seu curso de pensamento até que alguma situação na vida force sua mudança. 

Então, por que este artigo foi escrito? Foi escrito para servir àquele pequeno número de pessoas que tem percebido que o Yoga é muito mais do que normalmente vemos hoje em dia. Pode-se sentir completamente excedido pela onda atual de distorção e involução do Yoga. Digo isto porque às vezes pessoas me relatam tal tipo de coisa. Pode-se sentir enganado, confuso e sozinho porque sua perspectiva e jornada pessoal parecem fora de alinhamento com a de seus colegas e com os populares e conhecidos professores e estilos de Yoga. Espero que esse artigo sirva como uma validação e que também forneça algumas explicações e citações, que poderão ser usadas para estar focado, em um mundo de Yoga onde se está em minoria. 

Se você é um buscador sincero dos objetivos mais elevados e autênticos do Yoga, às vezes estará em uma jornada exasperadora, que é cheia de alegria. Os desafios ao longo do caminho são  infinitamente valiosos.

Ao serviço do amor,

Swami Jnaneshvara 

 

Editores respeitáveis no Ocidente reconhecem que o Yoga tradicional e autêntico é muito diferente do Yoga dos assim chamados professores de Yoga e escolas de treinamento de professores de Yoga. A seguir, um excerto do Funk & Wagnalls New Encyclopedia:

Yoga (do sânscrito, yuga, 'jungir'): um dos seis sistemas clássicos da filosofia da Índia, diferenciado dos outros pelo surpreendente controle corporal e poderes mágicos atribuídos a seus devotos avançados. O Yoga afirma a doutrina que através da prática de certas disciplinas pode-se adquirir liberação das limitações da carne, da ilusão dos sentidos e das armadilhas do pensamento e assim obter união com o objeto do conhecimento. Tal união, de acordo com a doutrina, é o único caminho verdadeiro para o conhecimento. Para a maioria dos yogis, (aqueles que praticam Yoga), o objeto de conhecimento é o espírito universal Brahma. Uma minoria de yogis ateístas procuram o perfeito conhecimento de si mesmos, ao contrário do conhecimento de Deus.

O estágio final, na doutrina do Yoga, raramente pode ser alcançado em uma vida. Usualmente, muitos nascimentos são necessários para alcançar a libertação, primeiro do mundo dos fenômenos, depois dos pensamentos de si mesmo e finalmente da ligação do espírito com a matéria. A separação do espírito da matéria é Kāivalya, ou libertação verdadeira... 


Duas Percepções do Yoga

A Percepção Tem se Deslocado Recentemente: A percepção típica do Yoga se deslocou muito no século passado, particularmente  nas duas últimas décadas. Muito disto é devido a mudanças produzidas no Ocidente, particularmente nos Estados Unidos, apesar de não ser apenas um fenômeno norte americano (mudanças similares também ocorreram com o Tantra). 

Pontos Principais das duas Perspectivas: Os pontos principais da mudança podem ser resumidos em duas perspectivas, uma que é moderna e falsa e outro que é antiga e verdadeira.

  • Falso: Yoga é um sistema físico com um componente espiritual. 
  • Verdadeiro: Yoga é um sistema espiritual com um componente físico.

A Falsa Visão se Difunde: Desafortunadamente, a visão de que Yoga é um programa de exercício físico é o ponto de vista dominante. Então a falsa visão se difunde por muitas instituições, aulas, professores, livros, revistas e milhões de estudantes de Yoga moderno, que possuem pouco ou nenhum conhecimento ou interesse nos objetivos espirituais do antigo, autêntico e tradicional Yoga e na Meditação do Yoga. 


Entender a recente involução,
na qual o Yoga é
somente um programa de exercício físico,
é um dos passos mais importantes para
os buscadores da atualidade do Yoga autêntico.

 

As Seis Escolas de Filosofia da Índia

Yoga é uma Escola de Filosofia Clássica: Yoga é uma das seis escolas de filosofia da Índia, que são: Nyaya, Visheshika, Mimasa, Sankhya, Yoga, e Vedanta. Uma breve revisão destas seis escolas ou sistemas irão facilmente esclarecer a verdadeira natureza do Yoga autêntico como um sistema de busca espiritual. (Enquanto não há consenso geral, alguns consideram os ensinamentos de Buddha como sendo o sétimo sistema ou escola de filosofia da Índia, ao invés de um sistema separado, pois seus métodos vem da mesma raiz. Em adição, alguns consideram estas divisões imprecisas, declarando que o único Yoga válido está diretamente nos textos antigos, os Vedas.) 

O Significado e Propósito do Yoga: Como muitas artes e ciências que são profundas, belas e poderosas, o Yoga tem sofrido da pobreza espiritual do mundo moderno ? foi banalizado, diluído ou reduzido a um estereótipo. A essência profunda e eterna do Yoga tem sido adulterada e embalada para proveito pessoal por pessoas espertas. Nas mãos de alguns, o Yoga tem sido reduzido ao status de mais um programa de exercício disponível em DVD.  Em outros contextos, o Yoga tem sido apresentado como um ritual religioso, dirigido a atrair 'devotos'.  Tal neblina de confusão tem sido criada ao redor do claro e puro conceito de Yoga, de tal forma que agora é necessário redefinir o Yoga e clarear seus significados e propósitos. 

Yoga Vedanta: David Frawley escreve sobre a natureza do Yoga e seu relacionamento com o Vedanta em seu livro Vedantic Meditation, do qual é extraído o segmento a seguir: 

'Os primeiros professores que trouxeram o Yoga para o Ocidente vieram com os ensinamentos profundos do Vedanta como seu maior tesouro para compartilhar com o mundo. Eles apresentaram o Vedanta como uma filosofia de autorrealização e o Yoga como uma metodologia para alcançá-la. Tais grandes mestres iniciaram com Swami Vivekananda no final do século dezenove e continuaram com Swami Rama Tirtha, Paramahansa Yogananda e vários discípulos de Swami Sivananda de Rishikesh. Eles chamaram seus ensinamentos de Yoga-Vedanta, que consideravam como uma ciência completa de crescimento espiritual.' 

'Entretanto, com o passar do tempo, asana ou posturas de Yoga ganharam mais popularidade no Ocidente, que é mentalmente direcionado para o físico, e os aspectos Vedânticos dos ensinamentos foram relegados a um plano secundário, particularmente nos últimos vinte anos. O resultado é que hoje em dia, poucos professores de Yoga americanos conhecem o que o Vedanta é ou podem explicá-lo para os outros. Se possuem algum interesse em meditação, geralmente olham para o Zen ou Vipassana, desconhecendo que a meditação é a fundação natural do Yoga clássico e suas tradições relacionadas.' 

'Mesmo estudantes de disciplinas relacionadas como o Ayurveda ou astrologia Védica, podem conhecer pouco sobre o Vedanta, o caminho de autoconhecimento que é o suporte espiritual e o objetivo destes sistemas. Enquanto isto, aqueles que estudam os grandes gurus Vedânticos da Índia moderna, como Ramana Maharshi ou Nisargadatta Maharaj, geralmente olham para o professor em particular como a fonte dos ensinamentos,  e podem falhar em entender a tradição da qual fazem parte. Desta maneira, o coração dos ensinamentos dos grandes sábios da Índia foi progressivamente perdido, até mesmo para aqueles no Ocidente que proclamam que seguem seus ensinamentos.' 

'Os grandes sábios da Índia moderna eram todos Vedantinos. O mais notável é Ramana Maharshi, que enfatizou a forma não dualística de Vedanta e viveu uma vida de evidente autorrealização. Ramakrishna, Aurobindo, Anandamayi Ma, Nityananda e Neem Karoli Baba, mencionando apenas alguns, eram Vedantins, usando-se a terminologia vedântica para Auto-realização e realização-em-Deus. As tradições vedânticas permanecem fortes por toda a Índia atualmente, incluindo muitos grandes professores, como por exemplo os da singular linhagem dos Shankaracharyas, que nunca vieram para o Ocidente e são quase desconhecidos por aqui.' 

'Os maiores professores da Índia na  atualidade, como Ma Amritanandamayi (Ammaji) e Satya Sai Baba, usam a linguagem do Vedanta e sua ênfase no Ser de maneira similar. A Meditação Transcendental do Maharishi Mahesh Yogi, segue uma visão vedântica da consciência e evolução cósmica. Swami Rama, o fundador do Himalayan Institute, era outro importante professor Vedântico na América. Os principais professores de Hatha Yoga em tempos recentes, como Krishnamacharya de  Madras ou B.K.S. Iyengar, seguem os ensinamentos do Vedanta para os aspectos mais elevados do Yoga. Abordagens devocionais, como o movimento Hare Krishna, refletem os ensinamentos devocionais do Vedanta. Assim, sem um entendimento do Vedanta, é difícil entender estes grandes professores ou suas palavras dirigidas a nos.' 

Swami Satyananda Saraswati, fundador da Bihar School of Yoga, em Bihar, na Índia, descreve muito bem a situação moderna da Yoga na Introdução da Hatha Yoga Pradipika, comentado  pela Swami Muktibodhananda Saraswati,  que diz: 

'Nos tempos antigos, o Hatha Yoga era praticado por muitos anos como uma preparação para os mais elevados estados de consciência.  Agora, entretanto, o propósito real desta grande ciência está sendo esquecida na totalidade.  As práticas de Hatha Yoga, criadas pelos rishis e sábios da antigüidade para a evolução da espécie humana, estão hoje sendo entendidas e utilizadas em um sentido muito limitado. Com freqüência ouvimos alguém dizer, 'Não pratico meditação, somente pratico Yoga físico, Hatha Yoga'. Agora chegou o momento de corrigir este ponto de vista. Hatha Yoga é hoje uma ciência muito importante para a humanidade...'  

O principal objetivo do Hatha Yoga é criar um equilíbrio completo das atividades interativas e processos do corpo físico, mente e energia.  Quando este equilíbrio é criado, os impulsos gerados dão uma chamada para despertar a força central (sushumna nadi) que é responsável pela evolução da consciência humana. Se o Hatha Yoga não é usado para este propósito, seu verdadeiro objetivo é perdido'.

 

A Confusão entre Objetivos e Instrumentos

O Corpo Não é o Objetivo: O corpo humano é um instrumento lindo e deve ser cuidado. Entretanto, o corpo é um instrumento e não o objetivo do Yoga tradicional. Na ciência e prática da medicina, uma pílula é um instrumento, mas a pílula não é o objetivo. Na ciência e prática do Yoga autêntico, o corpo é um instrumento, mas o corpo não é o objetivo. 

Confundindo Objetivos e Ferramentas: Pode parecer uma perspectiva contra o corpo, mas não é o caso. Não é um conflito entre filosofias. Mais precisamente, existe uma compreensão errônea dos objetivos e ferramentas. 


O objetivo do Yoga é o Yoga. Ponto.
 


Nenhum dos Níveis Inferiores é o Objetivo: No Yoga tradicional, o aspirante trabalha e treina todos os níveis do ser, incluindo relacionamentos, auto-conhecimento, sentidos, corpo, respiração e mente. Entretanto, nenhum destes é o objetivo do Yoga. 

Em um Caminho Autêntico. O aspirante que siga um  caminho de Yoga autêntico trabalhará: 

 

  • Relacionamentos: O aspirante constrói relacionamentos com o mundo através de práticas como não-violência,  veracidade, não roubo, lembrar a verdade e não-possessividade. Entretanto, construir relacionamentos melhores com o mundo não é o objetivo do Yoga tradicional.  


  • Sentidos: O aspirante treina os sentidos de forma que seja capaz de conscientemente regulá-los de maneira positiva, embora trabalhar com os sentidos não seja o objetivo do Yoga tradicional.  


  • Corpo: O aspirante trabalha com o corpo de forma a fazê-lo ficar flexível, forte e estável, mas trabalhar com o corpo não é o objetivo do Yoga autêntico.  


  • Respiração: O aspirante treina a respiração de forma a torna-la suave, lenta e tranqüila, mas treinar a respiração não é o objetivo do Yoga tradicional.  


  • Mente: O aspirante lida com a mente em todos seus níveis, embora explorar e lidar com a mente não seja o objetivo do Yoga autêntico. 
     

O Objetivo do Yoga Vai Bem Além Destes. O objetivo único do Yoga vai além destes descritos acima, na medida que são os véus que bloqueiam a realização do Eu, Verdade ou Realidade, que está sendo procurada. Sendo estes os obstáculos (relacionamentos, sentidos, corpo, respiração e mente), são enfatizados nas práticas de forma que deixem de encobrir o centro eterno da consciência. 

Swami Rama escreve sobre a situação do Yoga tradicional e Yoga moderno em seu texto, Caminho de Fogo e Luz

'A maioria das pessoas vêem Yoga como um sistema de cultura física. Muito poucos entendem que a ciência do Yoga é completa em si e lida sistematicamente com o corpo, a respiração, a mente e o espírito.' 

'Quando alguém entende que um ser humano não é apenas um ser físico, mas um ser que respira e um ser que pensa também, então sua investigação não se limita apenas ao corpo e à respiração.' 

'Para ele, obter controle sobre a mente e suas modificações, sobre os sentimentos e emoções, torna-se mais importante do que praticar umas poucas posturas de respiração e exercícios. Meditação e contemplação sozinhas podem ajudar o aspirante a entender, controlar e direcionar a mente'. 

Nos parágrafos iniciais da obra Palestras Sobre Yoga, Swami Rama explica: 

'A palavra Yoga é muito usada e muito mal entendida atualmente, pois esta é uma era de modismos, e Yoga tem sido com freqüência reduzido ao status de uma moda. Muitos ensinamentos falsos e incompletos tem sido divulgados em seu nome, tem sido objeto de exploração comercial, e um pequeno aspecto do Yoga tem sido com freqüência considerado todo o Yoga. Por exemplo, muitas pessoas no Ocidente pensam que o Yoga é um culto ao físico e a beleza, enquanto outros pensam que é uma religião. Tudo isto tem obscurecido o significado real do Yoga.' 

No segundo volume do livro Caminho de Fogo e Luz, Swami Rama vai além, quando declara sem rodeios:

'A palavra 'Yoga' tem sido vulgarizada e atualmente não possui significado.'  

Confundido Veículos com Destinos: Se você está indo para o Himalaia, deve primeiro viajar de avião ou de carro. Entretanto, o fato de você estar viajando em um avião ou carro não significa que você irá necessariamente chegar no Himalaia. Cada dia há muitos milhões de pessoas que viajam, tanto em aviões quanto em carros, mas não irão misteriosamente ou acidentalmente chegar no Himalaia sem que este seja seu destino. 

O objetivo ou destino do Yoga é Yoga em si, união em si, do pequeno eu com o Verdadeiro Eu (Enquanto não é a intenção deste artigo dar uma definição final ou conclusiva do termo Yoga, o qual pode ser descrito de diferentes maneiras, Yoga tem a ver com a realização através da experiência direta da união preexistente entre Atman e Brahman, Jivatman e Paramatman, e Shiva e Shakti, ou a realização de Purusha permanecendo sozinho, como separado de Prakriti). O simples fato de que alguém possa fazer alguns alongamentos com o corpo físico não significa que está direcionado para essa elevada união, referida como Yoga. 

Muitas pessoas trabalham com dietas, exercícios e relacionamentos interpessoais. Isso pode incluir aulas de preparação física, seminários de alimentação e culinária ou muitas maneiras de trabalhar a personalidade, incluindo grupos de apoio e psicoterapia, ou abrindo-se com um amigo de confiança. Quando feitos em separado, eles não estão necessariamente apontando na direção do Yoga, assim sendo, não seriam Yoga, embora possam ser muito benéficos. 

Apesar disso, trabalhar com o corpo, alimentação e relacionamentos pode muito bem cair dentro do domínio do Yoga, quando o Yoga é o objetivo. A chave é o objetivo ou o destino que alguém guarda em seu coração, mente e convicção. Não sendo diretamente direcionados para o estado de Yoga, os métodos dificilmente podem  ser chamados de Yoga.

Yogis: Estão Aqui para os Verdadeiros Buscadores do Yoga

Para a grande maioria daqueles que buscam programas de treinamento funcional ou exercício funcional, continuará a existir uma abundância de treinadores funcionais. Para o pequeno percentual que busca Yoga, continuará a existir um pequeno número de yogis para ajudá-los. É assim que funciona. Continuará a existir um fenômeno da maioria. Se pessoas em número suficiente disserem que Yoga é preparação física ou tratamento médico, assim será, pelo menos na mente da maioria, como tem acontecido em anos recentes. 

Yoga lida com o corpo, respiração e mente, mas está direcionado para o que está além da mente. Entretanto: 

  • Se, um dia, os terapeutas físicos e terapeutas ocupacionais, que lidam com o corpo, coletivamente chamarem seu trabalho de Yoga, Yoga parecerá ser isto, na mente da maioria.  
  • Se, um dia, os terapeutas respiratórios, que lidam com a respiração, coletivamente chamarem seu trabalho de Yoga, Yoga parecerá ser isto, na mente da maioria.  
  • Se, um dia, os psicoterapeutas, que lidam com a mente, coletivamente chamarem seu trabalho de Yoga, Yoga parecerá ser isto, na mente da maioria.  

Ainda, com estas regras da maioria, haverá uma pequeno punhado de Yogis disponíveis, geralmente fora da vista pública, para ajudar as pessoas que procuram o Yoga pelo Yoga. É assim que funciona.

 

A Falácia da Composição

O uso impróprio da palavra Yoga com freqüência envolve o que os lógicos chamam de "falácia da composição". Uma versão da falácia da composição, é projetar uma característica assumida pela parte como sendo uma característica assumida pelo todo ou por outros.  Isto pode levar à falsa conclusão que, sempre que alguém esteja fazendo alguma ação que está incluída no Yoga, esteja necessariamente fazendo Yoga. 

Alguns dos exemplos acima podem parecer tolos, mas a falácia da composição é o que acontece quando se diz que Yoga é preparação física, combate ao stress ou tratamento médico. O objetivo do Yoga é o Yoga, o qual tem a ver com a realização da experiência direta da mais alta unidade do nosso Ser, fora do qual somente a individualidade e a multiplicidade aparente surgem. Práticas que não são feitas com este propósito simplesmente não são Yoga. 

Aqui estão alguns argumentos, obviamente não razoáveis e falsos, sobre a natureza do Yoga. Estes são dados como exemplos do absurdo da falácia da composição. 

  • A flexão do corpo é parte do Yoga; então, qualquer um que flexione o corpo estará praticando Yoga.
     
  • Regular a respiração é parte do Yoga; então, qualquer um que intencionalmente respire suave e lentamente estará praticando Yoga.

  • Contrair os músculos do esfíncter anal é um bandha (fecho), o que é parte do Yoga; então, qualquer um que contraia estes músculos estará praticando Yoga.
  • Limpar o corpo é parte do Yoga; então, qualquer um que esteja limpando o corpo estará praticando Yoga.

  • Purificar o sistema gastrointestinal é parte do Yoga; então, qualquer um que tome um enema estará praticando Yoga.

  • Concentrar a mente é parte do Yoga; então, qualquer um que esteja concentrando a mente estará praticando Yoga.

  • Entrar em um estado contemplativo é parte do Yoga; então, qualquer um que esteja em um estado contemplativo estará praticando Yoga.

  • Ser amoroso é parte do Yoga; então, todos aqueles que amem suas famílias e amigos estarão praticando Yoga.
  • Honestidade é parte do Yoga; então, qualquer pessoa honesta estará praticando Yoga.
  • Contentamento é um fundamento do Yoga; então, qualquer um que esteja sentindo contentamento estará praticando Yoga.

  • Ingerir alimentos saudáveis é parte do Yoga; então, qualquer um que esteja comendo vegetais frescos estará praticando Yoga.

  • Atenuar atrações e aversões é parte do Yoga; então, qualquer um que esteja diminuindo seus pensamentos e emoções habituais estará praticando Yoga.

  • Permanecer sentado e imóvel é uma parte do Yoga; então, qualquer um que esteja sentado e imóvel estará praticando Yoga.
 

Abaixo, seguem outros enunciados falsos sobre Yoga, que infelizmente vieram a ser amplamente aceitos como verdade. 

  • Já que Yoga é benéfico para o corpo, Yoga é um programa de preparo físico. Errado: o objetivo do Yoga é o Yoga.

  • Já que Yoga reduz o stress, Yoga é um método de combate ao stress. Errado: o objetivo do Yoga é o Yoga.

  • Já que Yoga tem um efeito sobre a saúde física, Yoga é um tratamento médico. Errado: o objetivo do Yoga é o Yoga.
Ao entender a falácia da composição, e refletindo sobre exemplos simples como os acima citados, é fácil concluir através dos argumentos e da difundida percepção errônea, que Yoga seja uma preparação física, um método de combate ao estresse ou um tratamento médico.   Entretant, o Yoga objetiva SOMENTE a mais elevada união, tendo a ver com pura consciência, alma, espírito, Purusha, atman, ou outras palavras como estas. Outros esforços para propósitos menores podem ser muito úteis, mas NÃO são parte do Yoga a menos que esse mais elevado objetivo seja o motivo subjacente destas práticas.

O website Sivananda Yoga Om explica: 

'Yoga significa União: 'Embora muitas pessoas pensem que este termo se refira a união entre corpo e mente ou corpo, mente e espírito, a aceitação tradicional é união entre o Jivatman e Paramatman, que é união entre a consciência individual e a Consciência Universal. Então, Yoga refere-se a um certo estado de consciência assim como aos métodos que ajudam a alcançar este objetivo ou estado de união com o divino'.

 

Invertendo as Palavras

Hatha Era a Parte, Yoga Era o Todo: Em tempos antigos, Hatha Yoga era considerado uma parte, ou aspecto do grande todo, que era chamado Yoga. A palavra Yoga aplicava-se a princípios e práticas englobadoras  da totalidade. 

Posturas Eram Somente uma Parte da Parte: De fato, Hatha Yoga usava só parcialmente a prática de posturas. Assim, as posturas ou asanas eram uma parte do Hatha Yoga, o qual por sua vez levava ao Raja Yoga. 


A palavra Yoga antigamente se referia ao todo.
Agora se refere a uma parte: as posturas. 


Significado da Palavra Yoga: Tudo mudou nas últimas décadas. Nestes tempos do Yoga moderno, quando você ouve a palavra Yoga ou a vê escrita, raramente ela é usada para se referir ao todo do Yoga. Normalmente, a simples palavra Yoga é usada hoje para se referir ao Yoga físico. 


  • As Duas Palavras: Hatha e Yoga: No século XIII, no livro intitulado Hatha Yoga Pradipika, o primeiro verso declara que o texto é sobre Hatha Yoga. Não é usada a palavra Yoga sozinha, mas ao contrário é usado o termo Hatha Yoga. O texto expressa claramente que esta é uma preparação para o Raja Yoga. Em outras palavras, Hatha Yoga é subordinada, uma parte de, ou uma preparação para o Raja Yoga (Raja Yoga refere-se tanto ao estado de samadhi , quanto às práticas para atingir este estado).  
  • A Simples Palavra Yoga: O Yoga Sutra, codificado pelo menos mil anos antes, é um texto que delineia o Raja Yoga. O primeiro verso do texto usa a simples palavra Yoga, declarando que agora inicia o processo do Yoga. Claramente usa a palavra Yoga sozinha para referir-se a práticas que trazem o despertar espiritual.

Não é Mera Semântica: Não é meramente semântica; significa que quando alguém está tentando se referir a, ou a seguir o todo do Yoga, não há mais uma palavra, terminologia, ou nome para expressar aquele todo, o mais elevado Yoga que engloba as partes. Se você diz, 'Eu faço Yoga,' automaticamente significa que você faz somente posturas físicas. Enquanto o Yoga moderno foca no físico, na verdade, nem sempre é necessário fazer posturas físicas para se praticar o Yoga autêntico. 

 

A aula típica de Yoga
é uma aula de  asana (posturas),
não uma aula de Yoga. 

 

Não Existe uma Palavra Alternativa para a Palavra Yoga: Ao invés de simplesmente usar o termo Yoga quando referir-se ao original, amplo e mais elevado significado do Yoga, pode-se agora usar uma palavra alternativa. Entretanto, não há palavra alternativa para o todo do Yoga.

A Razão para o Mal-entendido: O uso do termo Yoga ao invés de Hatha Yoga (ou, mais precisamente, asana) tem sido a principal razão para o mal-entendimento de que Yoga é um programa físico com um componente espiritual, ao invés de um programa espiritual com um componente físico.
 

Termos Atuais

Termos Alternativos mais Precisos

Aula de Yoga Aula de Asana Aula de Posturas Aula de Fitness Estúdio de Yoga Estúdio de Asana Estúdio de Posturas Estúdio de Fitness Professor de Yoga Professor de Asana Professor de Posturas Professor de Fitness Revista de Yoga Revista de Asana Revista de Posturas Revista de Fitness

 

*Estes são exemplos, obviamente existem outros. 

Quem se Beneficia da Remoção do Espiritual:

Alguns estudantes e professores do Yoga moderno querem remover ou ignorar a orientação espiritual do Yoga por uma variedade de razões. Por causa disto, na verdade, tais pessoas se beneficiam ao tirar a palavra Hatha do termo Hatha Yoga.  Ao tirar a palavra Hatha e chamá-la somente Yoga, podem mais facilmente evitar o fato que os textos antigos, tais como o Hatha Yoga Pradipika, muito claramente expressam a prioridade do espiritual no Yoga tradicional. Podem escapar do fato que Ha e tha referem-se as energias sutis Ida e Pingava, o processo do despertar da Kundalini e alcance do Samadhi. 

 

Não é nem mesmo necessário fazer as posturas físicas
para ser um autêntico praticante de Yoga.

 

O Todo e as Partes

O 'Todo' é 'Yoga': Não tem ocorrido apenas uma reversão de Hatha Yoga e Yoga, segunda a qual Hatha Yoga (a 'parte') tem sido rotulada como 'Yoga' (o 'todo'), mas o processo e escopo inteiro do Yoga tem sido afetado em nossa percepção coletiva do Yoga. Uma maneira de ver isto claramente é lembrar que: 

  • Yoga é o todo, do qual Bhakti Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Hatha Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Jnana Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Karma Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Kundalini Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Laya Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Mantra Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Nada Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Raja Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual Tantra Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual _____ Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual  _____ Yoga é uma parte.
  • Yoga é o todo, do qual  _____ Yoga é uma parte.

B. K. S. Iyengar, um professor e autor muito conhecido, escreve em suas discussões sobre o Yoga Sutra

'... Através da disciplina do Yoga, tanto ações quanto inteligência vão além destas qualidades (gunas) e aquele que vê experimenta sua própria alma com claridade cristalina, livre dos atributos relativos da natureza e ações. Este estado de pureza é samadhi. Yoga é assim tanto o significado quanto o objetivo. Yoga é samadhi e samadhi é Yoga...' 

'... Normalmente a mente está mais perto do corpo e dos órgãos densos da ação e da percepção do que da alma. A medida que os asanas são refinados, automaticamente tornam-se meditativos,  pois a inteligência é feita para penetrar em direção ao cerne do ser. Cada asana possui cinco funções para executar, que são: conativo (tendência consciente para atuar), cognitiva, mental, intelectual e espiritual.....'

 

Hatha Yoga Pradipika

O Propósito Inteiro é Espiritual: O propósito inteiro do antigo e autêntico Yoga tradicional, incluindo Hatha Yoga, é de natureza espiritual. A seguir estão alguns pontos do Hatha Yoga Pradipika, um texto do século 13 que delineia a prática de Hatha Yoga. O Hatha Yoga Pradipika é possivelmente o mais conhecido e mais autorizado texto sobre o Hatha Yoga autêntico. Estas poucas referências devem tornar a verdadeira natureza do Hatha Yoga clara. 

O Último Capítulo é Titulado Samadhi: É significante notar que dos quatro capítulos da Hatha Yoga Pradipika, o último capítulo é titulado Samadhi, o mais elevado estado de consciência. 

O foco do Yoga é o Samadhi. 

Referências Extraídas da Hatha Yoga Pradipika: As referências a seguir são da Hatha Yoga Pradipika (o número do sutra está em parêntesis). Note como a ênfase é transferida de posturas para respiração, kundalini, Raja Yoga e samadhi

Capítulo 1:

  • O propósito do Hatha Yoga é ser uma escada para o Raja Yoga, o mais elevado Yoga (1.1-2)

  • Posturas são a primeira parte do Hatha Yoga (1.77)

 

Capítulo 2:

  • Após as posturas, deve-se praticar a respiração (2.1)

 

Capítulo 3:

  • A energia da kundalini é o suporte para todos os Yogas (3.1)

  • A Kundalini é despertada e viaja para cima (3.68-69)

  • A Kundalini abre a porta para a iluminação (3.105)

 

Capítulo 4:

  • O Samadhi conduz para o Eterno e a mais elevada felicidade (4.2)

  • A Mente e o Eterno misturam-se como sal no oceano (4.5)

  • Aqueles que apenas praticam Hatha Yoga sem a realização do Raja Yoga não produzem frutos com seus esforços (4.79) (Isto não significa que não sejam gerados benefícios físicos; particularmente, como o objetivo do Yoga é de natureza espiritual, quando somente as práticas menos elevadas são praticadas, o objetivo pretendido é completamente perdido, não rendendo frutos.)

  • Todas as práticas do Hatha Yoga e Laya Yoga são meios para o Raja Yoga, samadhi (4.103) 
     

Swami Chidananda Saraswati, líder do internacionalmente conhecido Sivananda Ashram (Divine Life Society) em Rishikesh, Índia, explica que: 

'Yoga não é meramente acrobacia. Algumas pessoas supõem que o Yoga está antes de tudo relacionado com a manipulação do corpo em várias posições estranhas, sustentando-se sobre a cabeça, por exemplo, ou torcendo-se sobre a espinha, ou assumindo qualquer das numerosas poses estranhas que são demonstradas nos livros sobre Yoga. Estas técnicas são corretamente empregadas em um tipo distinto de prática de Yoga, mas elas não formam uma parte integral do tipo mais essencial. Posturas físicas servem no melhor como um auxiliar, ou uma forma menor de Yoga'.

 

Yoga e Medicina

O que Constitui  Sucesso com Yoga: Há muitas implicações na mudança da perspectiva tradicional para a moderna sobre a natureza do Yoga. Por exemplo, em relação ao sucesso do Yoga moderno e Yoga tradicional, há também duas perspectivas: 

  • Visão Moderna do Sucesso do Yoga: De acordo com a visão moderna, o sucesso do Yoga é evidenciado pelo estado do corpo físico e da redução das doenças físicas.  
  • Visão Tradicional do Sucesso do Yoga: De acordo com a visão antiga, o sucesso do Yoga é evidenciado pelo grau que alguém experimenta da realização do Eu eterno, algo que está bem além da corpo físico, suas enfermidades e sua inevitável morte.
     

Diga uma mentira muito grande suficientes
vezes, e as pessoas irão acreditar:


'Yoga é tratamento médico'.
'Yoga é terapia física'. 

 

Yoga Redefinido como um Tratamento Médico: Yoga é agora visto como um tratamento médico, como se fosse um mero programa de terapia físico. Há até mesmo esforços para que o Yoga moderno seja coberto por programas de seguro, como tratamento para doenças específicas. Enquanto podem ser benéficos para a saúde física, torna mais fácil convencer que Yoga é somente um programa físico. 

Terapias São Úteis: Modalidades de tratamento como Terapia Física e Terapia Ocupacional são muito úteis e profissões necessárias. Entretanto, criar tais métodos de tratamento e chamá-los de 'Yoga' é um tremendo desserviço, tanto para estes profissionais quanto para o Yoga. 

Raptando: Distorcer o uso do nome 'Yoga' desta forma é equivalente a raptar o nome 'Yoga'. 

O único objetivo do Yoga
é de natureza espiritual. 

O Único Propósito do Yoga é Espiritual: Yoga é um programa sistemático cujo único objetivo é espiritual, seja este objetivo chamado de iluminação, Auto-realização ou outro termo similar. O propósito de trabalhar o corpo físico é para que o corpo não seja um obstáculo em práticas tais como meditação Yogi, contemplação e prece. Obstáculos para estas práticas espirituais são naturalmente minimizados ou completamente removidos no processo de seguir o Yoga. 

Yoga é Hoje Definido pelos seus Efeitos Colaterais: O que acontece é uma confusão de objetivos. O objetivo do Yoga tradicional  é de natureza espiritual e os efeitos colaterais incluem cura física. É como um médico prescrever uma medicação para uma doença particular e aquela droga também ter efeitos colaterais. Como uma medicação, uma pílula, a droga é prescrita pelo seu benefício imediato, não pelos efeitos colaterais. Em tempos modernos, Yoga está sendo prescrito pelos seus efeitos colaterais, enquanto seu objetivo real é normalmente ignorado. 

Não digo que as pessoas não devem se beneficiar do Yoga, mesmo se somente uma pequena parte esteja sendo ensinada e mesmo se esta pequena parte esteja sendo alterada, de forma que não seja mais Yoga de verdade. Algumas das terapias físicas sendo desenvolvidas com o nome do Yoga devem ser muito benéficas para a saúde física. 

O Verdadeiro Significado do Yoga Está Perdido: Entretanto, ao desenvolver-se programas de terapia física e rotulá-los de Yoga e ao focar-se em um pequeno aspecto do Yoga (o físico), percebemos que o todo, o grandioso, o verdadeiro significado do Yoga está perdido para aqueles que deveriam procurar pelo grande objetivo.

Uma das Alternativas Possíveis

Seria tãããão mais claro se aulas que são predominantemente sobre asanas fossem chamadas de aulas de asanas ao contrário de aulas de Yoga, mesmo sendo improvável que aconteça. 

Imagine por um momento que você está indo para uma palestra de um sábio Yogi sobre isto ou aquilo, mas o anúncio diz somente que ele iria ministrar uma aula de Yoga. As pessoas apareceriam com seus tapetes de prática e outras parafernálias. Ele talvez dê uma palestra sobre contemplação yogika, ou Jñana Yoga, por exemplo, mas realmente seria uma aula de Yoga. Poderia alguém lecionar tal aula e só chamá-la de aula de Yoga? Claro que não. 

E se o anúncio disse-se que seria uma aula de Yoga e as pessoas viessem para um ritual religioso de duas horas, conduzido por um estudioso Hindu ou um sacerdote Budista, ao invés de uma aula sobre asanas? Isto realmente seria Yoga, mesmo que o anúncio não mencionasse que era sobre esta ou aquela forma de Bhakti Yoga. Poderia um sacerdote ou um sábio realizar tal ritual e chamá-lo de uma aula de Yoga? Claro que não. 

Então, porque será que esta pequena parte do Yoga chamada asanas foi elevada ao status de usar todo, ou englobar, o nome Yoga?  Seria realmente tããããão..... mais claro se aulas que são predominantemente sobre asanas fossem chamadas de aulas de asana, ao contrário de aulas de Yoga, apesar, novamente, de não ser isto o que vá acontecer.

 

Yoga e Dinheiro

Seminários sobre Como Fazer Dinheiro com Yoga: Como se chamar Yoga de um programa de preparação física, terapia física ou tratamento médico não fosse o bastante, ainda tornou-se comum promover seminários de Yoga e livros em nome do Yoga, como sendo uma técnica para fazer dinheiro. Os promotores algumas vezes não dizem abertamente que é por dinheiro, mas usam termos como prosperidade, sucesso, abundância ou fartura. 

Não estamos falando sobre professores fazerem dinheiro através de aulas; isto é um coisa totalmente diferente. É sobre o uso intencional de métodos sutis e poderes do Yoga para fazer a riqueza monetária vir até você. Frutos vem naturalmente para os praticantes como um subproduto do Yoga, mas ministrar seminários de como direcionar sua convicção e práticas para produzir riqueza financeira é um assunto bem diferente. 

Diga uma mentira suficientemente grande
vezes suficientes e as pessoas irão acreditar:


'Yoga é uma técnica de fazer dinheiro'. 

Remodelagem do Apego, do Hedonismo e da Ambição: Não é necessária muita reflexão para ver que isto é uma remodelagem do apego, do hedonismo e da ambição, que normalmente são vistos como obstáculos  a serem atenuados, ao invés de objetivos a serem atingidos. 

Muitas vezes dizem que os professores devem encontrar os estudantes onde eles estão. Isto é a epítome deste processo, segundo o qual professores ambiciosos provêem seminários bem embalados e comercializados para estudantes ambiciosos. Desta forma, os buscadores recebem uma forma de pseudo-validade para a vontade interna dos prazeres externos. Sugerir que Yoga não tem algo a ver com proposições fazedoras de dinheiro não é dizer que as pessoas deveriam viver em pobreza. É uma questão simples de confundir objetivos e métodos. Yoga não é uma técnica de  fazer dinheiro, e qualquer uso do Yoga para tais propósitos é uma involução do Yoga. 

Pandit Rajmani Tigunait, líder do Himalayan Institute nos EUA escreve em um artigo titulado Yoga Real que: 

'Yoga tem se tornado um sistema de preparação física e saúde da moda. Isto é estranho porque é a mente e não o corpo que é o principal objetivo de todas as práticas genuínas do Yoga... Considerar Yoga primeiramente como um conjunto de práticas para aumentar a força e flexibilidade enquanto acalma o sistema nervoso, é confundir a casca com a semente.'

 

Yoga e Programas de Condicionamento Físico

Mistura de Métodos: A palavra Yoga tem ficado popular ultimamente. Muitos outros estilos de exercícios, de aeróbica a ginástica, de jazzercise a boxe tailandês, tem sido associado ao Yoga (acredite ou não, alguém até mesmo sugeriu Yoga para cachorros!) 

Dois efeitos tem surgido como resultado desta mistura de métodos:

  • Primeiro, participantes são levados a acreditar que estas práticas são uma parte do Yoga, o que não são.
  • Segundo, o Yoga autêntico é deixado até mesmo fora de vista e não disponível.
     

Diga uma mentira muito grande vezes
o suficiente e as pessoas acreditarão:


'Yoga é um programa de condicionamento físico'. 

Admirando Aqueles que Mantém os Nomes Separados: Alguns fornecedores de programas de exercício tem integrado posturas de Yoga em seus ensinamentos, mas não usaram a palavra Yoga. Estas pessoas merecem admiração, pela sabedoria de não adulterar o Yoga ao apresentar versões misturadas ou aguadas sob o nome de Yoga. Desta forma, seus estudantes estão obtendo alguns dos benefícios desta pequena parte do Yoga, e ao mesmo tempo não há distorção do Yoga autêntico aos olhos destes estudantes. 

Treinamento Funcional: Um bom exemplo de programas que incluem os princípios de Yoga, mas sem seqüestrar o nome Yoga e abandonar seus elevados objetivos, é o Treinamento Funcional ou Exercício Funcional. Nesta perspectiva, as posturas de Hatha Yoga são consideradas somente uma parte desta ampla perspectiva de preparação física. O uso crescente destes termos é boa notícia para o Yoga, pois destaca mais precisamente o que está sendo feito na realidade, ao invés de induzir ao erro (pela omissão) chamando-as de práticas de Yoga. 

Bikram Choudhury foi entrevistado pela CBS no programa 60 Minutos que foi ao ar em 8 de junho de 2005. Sobre a referência do entrevistador ao Yoga com sendo 'meditativo', Bikram Choudhury respondeu,

'Não, este é o maior problema na América. Isto é o Yoga introduzido na América. Yoga significa sentar e fechar seus olhos e olhar para a lâmpada ou olhar para o cristal. Definitivamente não; definitivamente vocês não estão prontos para este tipo de Yoga.'

'Você usa o corpo como um meio para trazer de volta a mente para o cérebro. Casamento perfeito entre corpo e mente. Então, é possível estar perto o suficiente para bater na porta do espírito'. 

'Yoga é livre. Pertence à terra. É um Deus'. 

Sobre a Índia, 'é o único pais onde ainda há alguma humanidade e espiritualidade remanescente'.

'A filosofia da vida humana: Quem é você? Humano. Por que você veio para esta terra como um humano? Qual o objetivo fundamental de sua vida? Para entender estas coisas você deve estudar Yoga.'

 

Buscadores do Espiritual

Omitir Yoga como uma Ferramenta Espiritual: Para uma pessoa que aspira por realização espiritual, o caminho do Yoga tradicional pode ser uma combinação perfeita, incluindo todos os aspectos que abrange. Entretanto, quando o autêntico buscador das verdades espirituais começa a explorar o horizonte de caminhos, o Yoga com freqüência não é seguido como ferramenta espiritual porque 'todos sabem' (incorretamente) que Yoga é somente um programa de exercício físico. 

Aparências Impedem de Encontrar o Yoga Autêntico: Enquanto não é verdade que Yoga é somente um programa físico, para a maioria das pessoas parece que ele é apenas isto. Então, por causa das aparências, muitos buscadores sinceros não procuram o Yoga autêntico, o qual possui alguns dos ensinamentos e práticas mais elevados conhecidos pela humanidade.  

Yoga foca no espiritual, desde o início. 

Inicia com o Espiritual: Seguir o Yoga autêntico pode trazer para a pessoa não somente a realização espiritual, mas também efeitos colaterais, que podem incluir saúde física, redução ou eliminação de doenças ou melhora da saúde. A intenção do Yoga é focar no espiritual, desde o início. Através de uma orientação autêntica do Yoga, muitos frutos virão, incluindo benefícios físicos. 

Reafirmar a Verdadeira Natureza do Yoga: O problema não é uma mudança no caminho daqueles que praticam adaptações do Yoga ou praticam somente pequenas partes do Yoga. Tais pessoas possuem o direito de fazer como desejam. Entretanto, o que é necessário, é reafirmar com clareza a verdadeira natureza do Yoga autêntico e torna-la disponível para os verdadeiros buscadores em uma ampla disposição de locais. Afortunadamente, pelo menos uma pequena parcela de professores está tentando fazer isto.

A Jornada do Yoga para o Yoga é uma Peregrinação Sagrada

Imagine que você está fazendo uma peregrinação sagrada (yatra) para um local sagrado, um cume no Himalaia ou outro local semelhante. Em sua jornada, você pode voar em um avião, viajar de carro e andar muito a pé.  A jornada inteira em curso é uma peregrinação, devido a uma convicção sincera e profunda para com o destino que se está procurando. 

Entretanto, em qualquer momento, há milhares de aviões no céu  ao redor do mundo. Há milhões e milhões de pessoas andando de carro. Há ainda muitos outros milhões que estão andando por ai. Todas estas pessoas estão em um yatra, uma peregrinação sagrada para o Himalaia? Claro que não. 

 

  • O que torna uma viagem de avião, de carro, ou uma caminhada um yatra é a intencionalidade do coração para o destino almejado.

 

  • É a intencionalidade para com o objetivo chamado Yoga que faz o processo conduzir para o assim chamado Yoga, e não as meras ações por si.
     

O fato que alguém mova seu corpo de uma forma ou outra, ou faça alguma prática respiratória, não constitui Yoga em si. Yoga é a jornada (yatra) através do Yoga, que é a união sendo buscada. Existem diferentes formas de descrever esta união chamada Yoga, tais como dizer que é Jivatman conhecendo a si mesmo como Paramatman (o individual e o Absoluto), ou a união de Shiva e Shakti (o estático e o ativo) ou discernindo o ponto de convergência dr Purusha e Prakriti (consciência e matéria). Embora esta união ou Yoga possa ser descrita especificamente, tais descrições tem a vem com a união chamada Yoga. 

Se alguém, que esteja trabalhando com relacionamentos no mundo exterior, com a personalidade, com o corpo, com a respiração ou com os níveis da mente, não tiver esse tipo de intencionalidade dirigida ao objetivo chamado Yoga, então o processo ao longo do caminho simplesmente não é Yoga. 

Há muitos praticantes e instrutores de workshops que promovem o treinamento de respiração por questões de saúde, embora não usem a palavra Yoga. Quando ministram treinamentos de respiração para o benefício da saúde, eles não fazem menção a qualquer coisa sobre obter ou realizar a mais elevada união que está no coração do Yoga. Estas pessoas devem ser admiradas por não chamarem seus trabalhos de Yoga, mesmo que treinar a respiração seja uma parte do Yoga. Francamente, nunca deve ter passado pela mente destes praticantes em chamar seus treinamentos de Yoga.  É assim que deve ser. 

Então, como é que outros que ensinam que trabalhar com o corpo, respiração e mente chamam estas práticas de Yoga, enquanto ignoram completamente o objetivo do Yoga? Deveríamos dizer que massagistas, terapeutas respiratórios e psicoterapeutas estão todos ensinando Yoga porque eles estão trabalhando com o corpo, respiração e mente? Claro que não. 

A objetivo do Yoga é o Yoga. Ponto. Qualquer outro uso dessas práticas, simplesmente não é Yoga.

 

Afastando-se do Yoga como Espiritual

Alguns Vão a Outro Lugar para Meditar: Entre os professores, estudiosos, autores e editores que declaram ser experts em Yoga, muitos se afastam da Meditação yogika não sectária, para suas próprias práticas de meditação e contemplação. Quase inacreditavelmente, não é incomum que os assim chamados professores de Yoga recomendem que seus estudantes de Yoga pratiquem Yoga para o corpo físico, mas os instruem que não devem seguir Yoga para aprender práticas tais como introspecção ou meditação. 

O Yoga no Ocidente apenas arranhou a superfície do Yoga. 

O Yoga é Compatível com a Religião: Yoga como um meio para o desenvolvimento espiritual é compatível com qualquer orientação religiosa. É muito comum para pessoas que tem seguido as práticas espirituais autênticas do Yoga, relatem que ficaram mais próximos de suas raízes religiosas. Não há conflito.  

As pessoas não vão a um restaurante e pedem um garrafa de 'comunhão Cristã' para sua refeição. Ao contrário, pedem uma garrafa de vinho. Se alguém fizer tal tipo de pedido, deveria ser interpretado como brincadeira. De forma similar, poderíamos dizer que comer pão com a refeição é 'comunhão Cristã' ou deveríamos simplesmente chamar de comer pão? Poderíamos chamar tomar banho de batismo? Claro que não. 

Como é que alguém pode ir a um spa de saúde, por exemplo, e pedir 'Yoga' e ser completamente indiferente ao seu verdadeiro significado? 

Professores Promovem suas Religiões: Ainda, também é uma triste verdade que alguns professores de Yoga, tanto no Ocidente quanto do Oriente, ensinam de uma forma que tornam objetos de culto professores ou deidades que não são conhecidos nas religiões e culturas dos estudantes, até mesmo confundindo o assunto sobre o que  o Yoga verdadeiramente trata. (Leia, Is Yoga a Religion?). Não se quer dizer que os professores não deveriam apresentar suas religiões. O ponto é que, por não reconhecer claramente a diferença entre suas religiões e o Yoga, há um grande potencial para confusão sobre a natureza do Yoga. 

Professores e Estudantes estão Desprovidos: Muitos professores de Yoga moderno estão perdendo o Yoga autêntico por causa de seus mal-entendidos e assim, as elevadas práticas não são nem mesmo seguidas por muitos deles. Em outras palavras, eles não podem ensinar as perspectivas mais autênticas do Yoga, já que não conhecem o assunto. Como conseqüência, seus estudantes também estão sendo desprovidos do Yoga autêntico e da sabedoria dos antigos sábios. 

David Frawley, um estudioso e professor reconhecido internacionalmente, foi citado na edição de setembro/outubro 2000 do Yoga Journal:

O Yoga no Ocidente 'apenas arranhou a superfície da grande tradição do Yoga,' ele diz. 'A comunidade do Yoga no Ocidente está atualmente em uma encruzilhada. Seu recente sucesso comercial pode ser usado para construir a fundação para um ensinamento mais profundo, direcionado para alterar a consciência da humanidade. Ou este sucesso pode reduzir o Yoga a um simples negócio que perdeu a conexão com seu coração espiritual. A escolha que os professores de Yoga fizerem determinará o futuro do Yoga no Ocidente.' 

Leia também, Vedantic Meditation, por David Frawley.

 

Programas de Treinamento de Professores

O Treinamento de Professores Evita o Espiritual: Mesmo uma rápida olhada nas escolas e seminários oferecidos, revelará que na maioria dos programas de treinamento de professores de Yoga moderno, uma pequena parcela do curriculum é sobre os aspectos espirituais do Yoga,  que são o foco real do Yoga. Mais uma vez, o foco moderno nos aspectos físicos do Yoga é um retrocesso do autêntico Yoga dos antigos. 
 

Você pode se tornar um professor de Yoga 'certificado'
sem passar um simples minuto face a face, na presença de  um professor,
estudando os textos de Yoga tradicionais. 

Seja Certificado com um Treinamento não Presencial: A Hatha Yoga Pradipika e o Yoga Sutra são dois dos textos com mais autoridade em Yoga. Como exemplo da situação atual do treinamento de professores em Yoga moderno, a mais bem conhecida agência na América, que reivindica autoridade para certificar escolas de Yoga, estruturou seus padrões com o foco no físico, de tal forma que é possível para um estudante se tornar um professor de Yoga certificado sem gastar um simples minuto face a face com um professor  que seja um estudioso destes textos ou qualquer outro texto tradicional do Yoga. 

Veja também o artigo: Yoga Day USA and the Distortion of Yoga in America 

Sobre o Yoga nos EUA, disse Georg Feuerstein: "É uma bagunça".

Certificação Online para Professor de Yoga por $49,99: Como se a situação do Yoga e o treinamento de professores de Yoga não fosse ruim o bastante, uma empresa baseada na Internet começou a oferecer um programa online de treinamento para professores de Yoga por $49,99. Tudo o que se deve fazer é comprar o programa com seu cartão de crédito, ler o material e fazer um exame online escrito, que consiste de questões de múltipla escolha. Você pode se tornar um 'Instrutor de Yoga Certificado' e irá receber também uma transcrição online que menciona sua pontuação, que pode ser usada 'para provar sua credencial certificada'. De forma interessante, o material promocional explica até que o certificado que você irá receber não menciona a palavra online

Georg Feurstein, outro estudioso e professor bem conhecido, foi citado em artigo na LA Yoga Magazine online de Julho/Agosto de 2003.  Quando perguntado, 'Como você  descreveria o Yoga atualmente no EUA?' ele respondeu:  

'É uma bagunça. E você pode registrar o que direi sobre isto. Tudo que vem  para a América ou para o Ocidente, geralmente é imediatamente individualizado e comercializado. Sempre houve grande diversidade no Yoga tradicional e esta diversidade era baseada na experiência dos mestres. Hoje, mesmo professores iniciantes se sentem qualificados para inovar e criar seu próprio sistema de Yoga marca registrada.' 

'Então, olhando para o movimento de Yoga hoje, parte de mim sente grande tristeza, mas então vejo que ele contém as sementes de algo melhor. Também, espantosamente, o Yoga pode ser benéfico mesmo quando é reduzido a prática de posturas. Mas as pessoas enganam a si mesmas quando despem o Yoga de seu lado espiritual.' 

Professores Dizem para Não Falar: Alguns professores de asana dizem que entendem os objetivos autênticos do Yoga e gostariam de compartilhar estes ensinamentos elevados com os estudantes. Entretanto, alguns deles, que ensinam em 'estúdios de Yoga' muito conhecidos ao redor do país (EUA), contaram sigilosamente que foram diretamente instruídos pelo proprietário do estúdio para  não ensinar tais ensinamentos, e que se fizessem isto não lecionariam mais ali. Muitos outros professores de asana, que entendem e procuram o Yoga autêntico em suas vidas pessoais, privam-se de compartilhar isto com seus estudantes, como resultado do medo de perder seus estudantes e seus proventos. 

Talvez o Pêndulo Balance de Volta: Enquanto o ensino de Yoga moderno possa estar muito distante do caminho em anos recentes, há algum movimento voltado para prover treinamento que foca no Yoga autêntico.  Parece que o pêndulo balançou tão alto que, talvez, esteja lentamente iniciando a volta para os objetivos reais do Yoga autêntico.

 

Nomes e Estilos Modernos de Yoga

Invenções Recentes: A natureza do Yoga é até mesmo mais confusa aos olhos do público devido aos métodos que são usados. Revisando a lista dos 10 ou 12 'estilos' de Yoga moderno mais conhecidos, rapidamente se percebe que quase todos foram inventados nas últimas poucas décadas. Atualmente, muito poucos professores  de Yoga simplesmente ensinarão 'Hatha Yoga',  o sistema físico do Yoga do passado (que na realidade possuía objetivos espirituais), sem falar no verdadeiro Yoga espiritual. 

A maioria dos  'estilos'  modernos de Yoga
não existia algumas décadas atrás,
enquanto o Yoga possui milhares de anos de idade. 

Muitos Usam um Nome de Homem: Em adição, muitos, se não a maioria dos 'estilos' modernos de Yoga, possuem o sobrenome de um homem atualmente vivo, na frente da palavra Yoga, como se esse homem, sozinho, tivesse inventado o Yoga. Não se quer dizer que estes professores não sejam competentes ou mesmo excelentes em suas habilidades físicas. Podem fazer um trabalho muito bom dentro do escopo de seus ensinamentos. 

Distorcendo os Termos Sânscritos: Muitos outros sistemas modernos empregam uma palavra ou frase em sânscrito antigo, que possui um significado espiritual específico, e então adaptaram a terminologia para um conjunto de posturas ou práticas, que não eram parte da intenção original daquelas palavras. 

Registrando a Marca de Nomes Antigos: Mais: estes professores modernos tem registrado a marca destes nomes tradicionais antigos, favorecendo ao equívoco um público inocente. O que deixa os futuros estudantes com a impressão de que o atual fundador do sistema marca registrada esteja de alguma forma ligado aos ensinamentos originais associados com aquela palavra ou frase. Isto induz as pessoas a acreditarem que os novos professores certificados pelo fundador também tem algum expertise ou familiaridade com a prática tradicional, ou com o nível de realização autenticamente associado com aquela palavra ou frase. 

Estilos Modernos São Muito Suspeitos: Se retornarmos 100 anos atrás, talvez 50, 20 ou menos anos, poucos, talvez nenhum destes estilos, sistemas ou métodos de Yoga modernos existissem. Muitos dos fundadores destes assim chamados estilos modernos de Yoga não eram nem nascidos. Então, estes estilos modernos são muito suspeitos quando, ao mesmo tempo, dizemos que o Yoga possui milhares de anos de idade. Não é uma mera volta no tempo para alguma era teoricamente mais primitiva do Yoga. Este é o caso de jogar fora o bebê com a água do banho.

 

Que Tipo de Yoga Você Faz?

Quatro Escolas Tradicionais de Yoga: Tradicionalmente, há quatro escolas de Yoga. Se questionado, 'Qual tipo de Yoga você faz?' a resposta seria um destes quatro, ou uma combinação destes. Resumidamente, as quatro escolas de Yoga são: 

  • Karma Yoga: A ação do Yoga, fazendo as práticas enquanto realiza suas obrigações no mundo externo.
  • Jñana Yoga: O Yoga do conhecimento ou do auto-questionamento, conhecendo a si mesmo em todos os níveis, através de um processo de contemplação e introspecção.  
  • Bhakti Yoga:  O Yoga da devoção, da entrega a divina força ou Deus, praticado de maneira consistente com a religião pessoal de cada um.  
  • Raja Yoga: A escola meditativa do Yoga, como sistematizada por Patañjali no Yoga Sutra.
 Seis Escolas Clássicas: Além disto, é importante notar que o Yoga tem sido considerado uma das seis escolas da filosofia clássica da Índia. 

Qual Tipo de Yoga Você Faz?: Entretanto, agora, quando alguém pergunta, 'Qual tipo de Yoga você faz?' a questão é quase impossível de responder. A questão agora é uma investigação sobre qual das modernas adaptações das posturas se pratica, como comentado na seção passada.  

Somente Yoga: Um verdadeiro yogi, alguém que sinceramente pratica o Yoga autêntico, talvez faça apenas Yoga, o que significa uma combinação de Karma, Jñana, Bhakti e Raja Yoga, no contexto dos seis sistemas da filosofia e prática indiana. A mera pergunta, 'Qual tipo de Yoga você faz?' é, em si, um sinal de confusão, pois um yogi que encontre outro yogi não faria tal pergunta sem sentido. 

Paramahansa Yogananda, o famoso autor da Autobiografia de um Yogi, responde a questão 'O que é Yoga?' no texto A Essência da Autorrealização

'Yoga significa união. Etimologicamente, está conectado a palavra jungir. Yoga significa união com Deus, ou, união do pequeno eu-ego com o divino Eu, o Espírito infinito. A maioria das pessoas no Ocidente e também na Índia, confundem Yoga com Hatha Yoga, o sistema de posturas corpóreas.' 

'Mas Yoga é primeiramente uma disciplina espiritual. Não quero depreciar as posturas físicas do Yoga. Hatha Yoga é um sistema maravilhoso.  O corpo, além disto, é uma parte de nossa natureza humana e deve ser mantido em boa forma para que não obstrua nossos esforços espirituais. Devotos, entretanto, que estão empenhados na busca de Deus, dão menos importância para as posturas do Yoga. Não é estritamente necessário que eles pratiquem estas posturas. Hatha Yoga é o ramo físico do Raja Yoga, a verdadeira ciência do Yoga. Raja Yoga é um sistema de técnicas de meditação que ajudam a harmonizar a consciência humana com a consciência divina.'

 

Quando Yoga não é mais Yoga.

 

Pense em um Carro com Partes Faltando: Imagine que você vê um carro e seu amigo diz, 'O que é isto?' Você diz, 'É um carro'. Imagine que no carro está faltando uma roda e seu amigo pergunta-lhe a mesma coisa. Ainda, você diz, 'É um carro'. Mas e se as quatro rodas, as portas e o motor estiverem faltando. Então, o que você poderia dizer quando seu amigo perguntar-lhe, 'O que é isto?' Você diria alguma coisa como, 'Ferro-velho'.  Podemos não saber o ponto exato de mudança, mas em algum momento, ao remover as partes, você naturalmente irá parar de dizer, 'É um carro'.  
 

Sem os elevados objetivos,
pode ainda ser chamado de Yoga? 

Pense no Yoga com Partes Faltando: Em que ponto e após quantas adaptações à cultura moderna, Yoga deixa de ser Yoga? Quando Yoga  é despido de seus elevados objetivos e métodos, pode ainda ser chamado de Yoga? Quando Yoga deixa de ser Yoga? 

Tijolos e Casas: Imagine que você segure um tijolo na mão e diz a uma pessoa, 'Isto é uma casa!' Oferecer asanas (posturas) e dizer, 'Isto é Yoga!' faz tanto sentido como dizer que um simples tijolo é uma casa. Ambos estão confundindo uma pequena parte, apesar de útil, com o todo.

 

'Mas é útil! Me ajuda!'

Um dos comentários mais comuns usados para justificar as involuções do Yoga moderno é dizer algo como, 'Mas é útil! Me ajuda!' É como se dissessem que mostrar a verdadeira natureza do Yoga é, de alguma forma,  contrário a outras atividades que são benéficas para os seres humanos. O argumento é que se as pessoas se tornam mais flexíveis e menos estressadas, o método é então chamado Yoga. 

O fato de postura físicas (ou revisões modernas) serem efetivas não é a questão. Fazer asanas é benéfico, mas chamar isto de Yoga é outra coisa. O fato do tijolo ser útil não faz dele uma casa. Qualquer exercício físico, como andar ou jogar tênis é útil, mas isto não faz deles Yoga. Aeróbica, ginástica, jazzercise e boxe tailandês também podem ser úteis, mas isto não faz deles Yoga. Massagem  terapêutica, terapia física e terapia respiratória são úteis, mas isto não faz deles Yoga. Psicoterapia e aconselhamento são úteis, mas isto não faz deles Yoga. 

Argumentar que uma pequena parte do Yoga chamada asana é útil, não é uma justificativa legítima para inverter a parte e o todo e assim declarar que Yoga, quando despido de seus mais elevados objetivos e práticas, ainda seja Yoga.

 

Os Oponentes Estão Fornecendo Apoio

Líderes Religiosos Dizem que Yoga é Espiritual:  Ironicamente, alguns dos mais declarados oponentes do Yoga estão fazendo o máximo para divulgar sua autêntica natureza espiritual.  Líderes de algumas organizações religiosas estão proibindo aulas de Yoga de serem ministradas em instalações que lhes pertençam, por causa de sua natureza espiritual. Parecem ser bastante sinceros ao condenar o Yoga. (Veja Is Yoga a Religion?, incluindo a seção sobre escolhas relacionada a Yoga e religião. Veja também Mysticism, Yoga and Religion). 

Os oponentes do Yoga estão com freqüência
muito certos sobre a natureza espiritual do Yoga,
enquanto os assim chamados professores de Yoga,
com freqüência, evitam este assunto.
 

Proibindo Aulas Porque são Espirituais: Em um exemplo recente nos jornais, um líder religioso acabou com as aulas de Yoga em instalações de sua propriedade porque 'o professor de Yoga havia confirmado que o objetivo último do Yoga era permitir aos participantes 'ascender a um plano espiritual mais elevado'.  Continua dizendo, 'Parece completamente inapropriado darmos espaço a alguém que ensine uma espiritualidade diferente'. Enquanto suas ações possam ser infelizes para os estudantes, expressa abertamente a natureza autêntica do Yoga. 

Professores Argumentam que Yoga é Somente Físico: Ao mesmo tempo, entretanto, alguns professores de Yoga modernos estão freqüentemente argumentando que o Yoga que estão ensinando é somente um programa físico, apoiado por médicos e pela comunidade médica, e dão pouca ou nenhuma ênfase ou reconhecimento aos objetivos espirituais autênticos do Yoga. 

Professores e Oponentes Trocaram de Lugar: Assim, temos uma situação onde professores de Yoga moderno estão normalmente ignorando ou minimizando os objetivos espirituais do Yoga, enquanto os oponentes estão dizendo claramente que o Yoga é espiritual! Os papeis foram definitivamente invertidos. 

 

O Que Fazer se Você Está Procurando pelo Yoga Autêntico

Reconhecendo o Autêntico e as Adaptações: Há muitos desafios para aqueles que estão buscando pelo Yoga autêntico como o caminho para a Iluminação ou Auto-realização, do modo como é destinado a ser. Como muitos esforços na vida, o progresso inicia com o entendimento. Entendendo a situação atual dentro da comunidade moderna do Yoga, ajudará tremendamente a aguçar a habilidade de reconhecer as diferenças entre a adaptação moderna e Yoga autêntico dos antigos. 


O buscador autêntico, do Yoga autêntico,
encontrará um caminho autêntico. 


Cultivando Determinação: Uma vez tendo identificado as diferenças entre as adaptações e o autêntico, é necessário determinação para ficar em uma minoria, para não ser pego pela onda da última moda. Esta determinação, seguida pela ação, guiará o estudante autêntico, do Yoga autêntico, para um caminho autêntico. 

Ajuda Virá: É dito que quando o estudante está pronto, o professor virá. Também é dito que o professor ideal virá para cada estudante, dependendo das aspirações que o buscador guarde em seu coração. 

 


ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ ॐ

 

Traduzido pelo yogi Rogério Maniezi do original Modern  Yoga versus Traditional Yoga, de autoria de Swami Jñaneshvara Bharati, disponível em www.SwamiJ.com

Os grifos em vermelho são do tradutor. 

Artigos relacionados neste Website

  • Sobre estilos modernos de Yoga comparados ao Yoga clássico, leia 'Preferindo a Funcionalidade, Abdicando da Forma: o Mito do Estilo em Yoga'.
  • Sobre orientações éticas para professores de Yoga, leia 'Ética para Professores de Yoga'.
  • Sobre práticas básicas do Yoga Sutra, leia  'Yoga Sutra, 7 Chaves para Praticar'.
  • Sobre obstáculos ao aprendizado do Yoga, leia 'Aprendendo a Ouvir'.
  • Sobre Yoga e religião, leia 'Yoga e Fé'.
  • Sobre a relação entre a mente e a criação de hábitos, leia 'Yoga, Hábito e Vício' e 'Os Sutras da Recuperação: Yoga, Hábito e a Libertação do Vício'.

Respostas:

Juliana Matos

Postado em: 10 de Julho de 2017 às 13h35

Não costumo deixar comentários pois sempre são mal interpretados! Mas senti vontade de deixar uma mensagem a todos os leitores e comentadores. Concordo em parte com o autor do texto, achei algumas citações estranhas, mas no geral, válido para tentar alertar esta era sobre a sacralidade do Yoga.

Quanto aos comentários, senti uma disputa de \\\'quem sabe mais\\\'... eu já fui muito crítica nesta encarnação, e inclusive de alguma forma estou sendo agora rs mas, sem querer ofender nem me sentir superior a ninguém, venho humildemente lembrar que só conseguiremos sair de samsara ao voltarmos a atenção para nós mesmos. Não podemos controlar o mundo e o que as outras pessoas fazem.

Infelizmente não mudaremos a opinião formada das pessoas só porque entendemos o que realmente é o Yoga. Com a maioria das pessoas, isso nada adiantará! Esse é um processo interno de cada um, de evolução, que rompe o véu de maya; e faz com que tudo se torne claro!

Já critiquei bastante o sistema moderno que profana o Yoga. Mas devemos nos inspirar nos grandes mestres, que ensinam com amor SOMENTE a quem está apto a aprender. Então, o melhor é não arrancar os cabelos porque a maioria das pessoas está perdida!

Sinta-se bem por você ter entendido e estar no caminho correto. E emane suas melhores energias, para que esses seres iludidos, um dia possam ver a realidade como ela é! Devemos ajudar os que querem nos dar as mãos pra retornar à casa. Mas antes, devemos aprender o caminho e alcançar o almejado fim. Só assim poderemos guiar realmente alguém.

E uma última observação: Relaxe! A Infinita Consciência Cósmica está no comando de tudo! Desejo que os estudiosos leitores deste site abram seu coração para acolher os irmãos que estão em frequências mais baixas, que os impedem de seguir o caminho que leva à libertação. E que reencontrem o LAR SAGRADO, através da dedicação total ao que o Yoga nos propõe. Muita paz e luz a todos! Hari OM!

Responder esse comentário

Pedro Alves de Castro

Postado em: 17 de Abril de 2016 às 00h25

Sou bacharel em filosofia e professor de hatha de yoga, acredito muito no estudo de qualquer texto filosófico ou religioso para se aprofundar neste conhecimento, mas não acredito nas disputas eruditas, para engrandecer o ego, acredito que alguns colegas esqueceram a humildade que é virtude fundamental para se atingir qualquer verdade, e verdade esta que se encontra em nosso interior. Nos textos acima, vejo muito arrogância e pouca preocupação com a nossa verdade e as verdadeiras necessidades de nossos alunos, não podemos ficar brincando com a vida de nossos alunos.

Responder esse comentário

RENATO GARCIA ESTEVES

Postado em: 19 de Março de 2015 às 09h01

É um excelente texto. A busca pela essência do Yoga, deve ser o parâmetro para quem, na jornada para o ressurgimento do "EU" busca prática como uma forma de voltar para casa. Se pensarmos que o desespero do Prof. Hermogenes com relação à sua patologia, levou-o a prática de posturas no chão frio de um banheiro, para posteriormente leva-lo ao aprimoramento espiritual, que deve ser o objetivo maior.

E mesmo sem mestre, utilizou-se de uma mídia disponével na época, que era um livro (Yoga and Sports, de Elizabeth Haich e Selvarajan Yesudian). Hoje as pessoas que não contam com um Estúdio por perto, ou mesmo por questões financeiras não podem pagar uma academia, recorrem às mídias disponíveis, Livros, DVD\\\'s, Youtube etc.

Para poderem aprender as práticas posturais, onde o corpo será preparado para as práticas espirituais. Eu estou inserido nesta condição, pois não temos professores de Yoga em nossa cidade. Tenho que ler muito, observar as praticas posturais em DVD\\\'s e Youtube.

Se compararmos a pratica do Yoga como sendo um caminho, algumas pessoas tem um guia para trilhar o caminho (professor de Yoga), outros desejosos por caminhar contam apenas com uma bússola ou mapa (que são as mídias disponíveis, incluindo este site) que nos dão o norte, mas que não suprem a experiência de um bom Professor.

Responder esse comentário

Mariana

Postado em: 02 de Dezembro de 2014 às 16h31

Me encontrei em seu texto, muito bom!

Gratidão.

Responder esse comentário

Jorge

Postado em: 02 de Julho de 2014 às 08h28

Achei um pouco confuso e vou procurar explicar porquê:

- O autor refere uma frase de Satyananda falando do yoga como ciência, mas depois refere que yoga não pode ser dissociado do vedanta? Ou um ou outro.

- Fala de Krischnamacharya, Iyengar e outros tantos como exemplo, o que revela a falta de conhecimento de como esse yoga surgiu, muito associado a um culto do corpo, de ginástica sueca, culturismo etc.. imitando práticas ocidentais de trabalho do corpo reforçado por um movimento Indiano na busca da sua independência (dos ingleses).

- O próprio professor do Krischnamacharya era um militar, e as suas práticas eram as mesmas utilizadas no exército na altura.

- Um artigo que procura "vender" a antiga ideia (desuso) da demanda Ocidental na busca da espiritualidade perdida pelo "industrialismo"(modernidade), espiritualidade essa resgatada no Oriente.

A filosofia e o conhecimento não é nenhum património do vedanta, é universal, como disse Satyananda " ...o yoga é universal, presente em todas as culturas...de diferentes formas" ".

As escrituras como Satyananda referiu "dão uma óptima inspiração e nenhuma instrução". Para se trabalhar com o corpo nas suas diversas dimensões (físico, respiração, psicológico etc) é necessário conhecê-las de uma forma profunda.

O movimento de yoga terapia (ocidental) tem aprofundado esses conhecimentos ao nível da anatomia, psicologia, neurociências como nunca antes, sem implicar um despir da espiritualidade associada, ou não, ao yoga.

Aliás a Índia anda em grande parte a reboque do que é feito no ocidente, imitando também os mesmos erros que são feitos por cá. Alguns dizem que o yoga não é religião, mas depois repetem um sem número de rituais do Hinduísmo, e isso é religião.

O yoga é dinâmico em constante mudança e isso é a sua força, cristalizá-lo seria o seu fim. Ser professor de yoga exige honestidade e dedicação, respeitando o aluno, através de um conhecimento cada vez mais profundo da prática, procurando adequar essa prática ao aluno e não o aluno à prática.

Vejo que muitas vezes as pessoas utilizam o yoga como Spiritual Bypassing (há um livro com este nome) o que acaba por prejudicial para si e para os que a rodeiam. É a minha visão neste momento.

Cumprimentos.

Responder esse comentário

Mahahrdaya Visnulaktare

Postado em: 30 de Novembro de 2016 às 17h37

Namaskar Perfeito o comentário no geral, o yoga não tem propriedade e tem que evoluir sem perder sua tradição, porém deve se integrar com a tradição do mundo, assim como esta acontecendo com toda e qualquer tradição, a yoga é um meio dentre muitos outros. O objetivo final do yoga é a busca da felicidade em ser estar.

Responder esse comentário

Bianca

Postado em: 01 de Julho de 2014 às 10h07

Excelente texto! Muito obrigada

Responder esse comentário

Hanna

Postado em: 30 de Junho de 2014 às 22h43

Excelente!

Responder esse comentário

Jamile

Postado em: 19 de Setembro de 2013 às 20h40

Todo mundo no meio do Yoga escreve sobre isso mas continuam vendendo seus cursos de posturas e formação. Porque não param de fazer posturas, já que o vedanta diz que o corpo é ilusão? Acho tudo muito incoerente. Professores de hatha-yoga indo na índia estudar vedanta, porque não aprofundam o caminho mais lógico, que é o Tantra, para quem se identifica com as práticas corporais e considera o corpo como consciência, já que ele faz parte do divino. Iyengar é um fisioculturista até hoje. O Vedanta não é origem do Yoga de forma alguma. Isto é uma falácia como todas no meio do Yoga tradicional. O próprio Vivekanda afirmou que é mais fácil chegar a Deus através do futebol do que pelo Bagavad Gita. Tem muito história mal contada neste meio. Antes de querer se iluminar, é bom acordar para o que estão lhe descendo ideias enferrujadas goela abaixo.

Responder esse comentário

Bruno Jones

Postado em: 04 de Julho de 2014 às 16h18

Primeiro ponto: Vedanta não diz que o corpo é uma ilusão. Isto é muito mal traduzido para o português. A palavra sânscrita usada é mithya. E mithya significa aquilo cuja existencia depende uma outra coisa.

Trocando em miúdos: podemos dizer que uma camisa é mithya, mas a realidade desta é pano. Não dizemos que a camisa é falsa porque podemos vestí-la, mas ela não existe por si só. Da mesma forma, o corpo, não existe por si só. A sua realidade é o Ser.

Segundo ponto: Tantra e Veda não são coisas separadas, tanto que as origens do tantra podem ser encontradas no Atharva Veda. O que acontece é apenas o uso de uma linguagem diferente: em vedanta se encontra muito mais a linguagem jiva-ishvara e no tantra a linguagem purusha-prakrti ou shiva-shakti.

Mas se analisar com calma a literatura tantrica e de vedanta, pegando por exemplo, o Tattvvabodhah de Adi Shankaracarya, verás que ambos fazem a mesma analise da construção daquilo que se considera o individuo, apenas usando termos diferentes.

Terceiro ponto: De forma alguma, Vedanta é a origem do Yoga. Como o próprio nome diz: Vedanta significa a parte final dos Vedas, ou, as Upanishads. E esta literatura, de fato é mais tardia do que os primeiro hinos do Rg Veda (onde a palavra Yoga já se encontra, obviamente com outra conotação, diferente da qual é disseminada nos dias de hoje.)

Quarto ponto: não é via de regra, "chegar a deus" através da bhagavad gita (é uma palavra feminina). Por isso, dentro dela mesma, Krishna indica dois caminhos possiveis: o conhecimento ou a ação. Depende da inclinação de cada um. Provavelmente, para a maioria, será mesmo através do futebol (ação), pois são poucos aqueles que já nascem com uma mente preparada para o conhecimento.

Responder esse comentário

Marcia Gouvea

Postado em: 29 de Julho de 2016 às 08h33

Agradeço aos textos e as colocações precisas e cultas de ambos os autores, os olhares e questionamentos fazem com que a busca e o conhecimento permaneça vivo e atuante. Namaste.

Responder esse comentário

1 2 3 >

Li e concordo com os termos de uso

SEÇÃO DO MÊS

  • Vedanta
    O autoconhecimento transforma positivamente a visão que temos do mundo e da vida

MAIS LIDOS

ANÚNCIOS

CURSOS E EVENTOS

  • 10 a 28 de Fevereiro de 2018

    Ângela Sundari e Pedro Kupfer

    Yoga e Vedanta na Índia

    Esta viagem foge ao propósito da maioria das que se fazem à Índia, terra do Yoga. Não está centrada em visitar lugares históricos ou turísticos, nem em fazer compras, mas no próprio processo de crescimento pessoal do viajante. O foco está no Yoga e na descoberta de si mesmo. Essa é a razão pela qual temos apenas dois destinos: Tiruvannamalai e Rishikesh.

     

  • 01 a 28 de Julho de 2017

    Pedro Kupfer

    Formação em Yoga :: Ubatuba

    Anunciamos com satisfação o Módulo I da Formação em Yoga, que irá acontecer no próximo mês de Julho de 2017 na belíssima Praia de Itamambuca, em Ubatuba, litoral norte do Estado de São Paulo.

[veja todos]