Ganesha puja

Pedro Kupfer - 22 de Março de 2004 - 11 Comentários

Atendendo a pedidos, e para saciar a sede de fazer rituais de alguns bons amigos que nos solicitaram instruções a respeito do puja, publicamos aqui esta pequena prática, que dura apenas alguns minutos. Existem outras práticas, bem mais elaboradas, que podem fazer-se diariamente, mas que levam muito mais tempo. A palavra puja significa oferenda. O puja é uma prática muito menos solene que ir à missa ou fazer o ritual do fogo. Consiste em fazer uma série de visualizações, que começa no convite que fazemos para que a deidade se manifeste.

Esse convite é similar a receber uma visita em nossa casa. Quando essa visita chega, o primeiro que fazemos é trazer a pessoa para nossa sala e oferecer algo para beber e comer, etc. No puja, fazemos a mesma coisa, invocando a presença de Ganesha e oferecendo, sucessivamente, água para lavar seus pés e mãos, para beber e purificar-se, e as oferendas, em forma de alimento ou outras.

A oferenda externa é o caminho da ação (kriya). A oferenda internalizada é o caminho do Yoga. Ambas juntas fecham o círculo que sustenta o praticante em sua vida espiritual, fortalecendo e atualizando na vida cotidiana a resolução de levar adiante a busca pela compreensão total da sua real identidade. Esse é o verdadeiro alicerce do objetivo final da prática: moksha, a libertação do sofrimento, das aflições, dos condicionamentos e dos débitos kârmicos passados.

Início:
Frente à imagem da deidade, permaneça com os olhos fechados e as mãos unidas em añjali mudra durante algumas respirações para aquietar o pensamento. Faça os mantras com a consciência de que você está invocando a força de Ganesha, a quem chamaremos nesta prática de Sri Ganapati, o Senhor dos Obstáculos.

Ao pronunciar a palavra samarpayami (que significa literalmente, 'eu ofereço'), ofereça duas pitadas de akshatha a Sri Ganapati, com amor e devoção (akshatha é arroz inteiro, colorido com cúrcuma e um pouco de água. O akshatha pode ser preparado com antecedência para a semana e mantido perto do altar).

É importante visualizar claramente cada parte da oferenda, e perceber que, mesmo num ritual simplificado como este, Ganesha ficará muito feliz com o convite que nós lhe fazemos para que nos visite e manifeste sua energia em nosso dia-a-dia.

Lembre igualmente que o propósito interior do puja é purificar o astral e a energia sutil do ambiente, estabelecer uma conexão com os mundos interiores e invocar a presença do Divino.

1. Om dhyanam samarpayami ? medito em Sri Ganapati
2. Om avahanam samarpayami ? invoco a força de Sri Ganapati
3. Om ratnasimhasanam samarpayami ? ofereço um trono com pés de leão a Sri Ganapati
4. Om padyam samarpayami ? ofereço água para lavar os pés de Sri Ganapati
5. Om arghyam samarpayami ? ofereço água para lavar as mãos de Sri Ganapati
6. Om achamaniyam samarpayami ? ofereço água para Sri Ganapati beber
7. Om shnanam samarpayami ? ofereço água para Sri Ganapati banhar-se
8. Om maha abhishekam samarpayami ? faço o abhishekam (aspersão de água sagrada) para Sri Ganapati
9. Om pratishtapayami ? ofereço assento a Sri Ganapati, para que permaneça entre nós
10. Om vasthram samarpayami ? faço oferendas a Sri Ganapati


Ao concluir, coloque as mãos em añjali mudra, unidas frente ao coração e, mantendo os olhos fechados por um minuto, agradeça mentalmente pela benção da visita que Ganapati faz a sua casa. Se você achou este ritual curto demais, poderá incluir após este ponto a repetição do mantra de Ganesha, Om Gam Ganapataye namah, durante 27, 54 ou 108 repetições, inspirando pausadamente pelas narinas entre mantra e mantra.

Arati: a adoração com o fogo
Depois do puja, opcionalmente, faça um arati, oferecendo luz (a chama de uma lampadina, um dipak, ou até mesmo uma vela) à deidade, fazendo movimentos circulares em sentido horário com o fogo, ao mesmo tempo em que você vocaliza ou ouve o cd com o arati de Ganapati. Ao longo do arati, ofereça a chama a quem estiver presente, para que seja tocada por eles. Para finalizar, ofereça a chama novamente à deidade.

Final:
Opcionalmente também, podemos fazer este último mantra, chamado Visarjanam:

Visarjanam, saudação final e pedido de desculpas.

Om avahanam na janami na janami visarjanam
pujanchaiva na janami kshamyatam parameshvara
mantrahinam kriyahinam bhaktihinam sureshvara
yat pujitam mayadeva paripurnam tadastume
anyatha sharanam nasti tvameva sharanam mama
tasmat karunyabhavena raksha raksha Ganeshvara.
Om tat sat Om.



Tradução:
Querido Ganesha, nós não conhecemos os meios corretos de invocar-te e de comunicar-nos contigo, em tua forma real. Não recebemos o conhecimento exato dos rituais, portanto, deves ignorar e perdoar quaisquer erros ou omissões que tenhamos cometido, Ganapati. Não conhecemos os mistérios dos mantras ou do dharma, e ignoramos as sutilezas da verdadeira devoção. Não obstante, pedimos teu perdão. Aceita por favor nossas oferendas, do jeito que foram feitas, tomando-as como exatas e completas. Tu eres nosso único refúgio, Ganesha. Com tua natureza de bem-aventurança, proteje àqueles que te adoram.

Fazemos este pedido de desculpas final, mantendo as palmas das mãos unidas em añjali mudra. Esta é a maneira formal e sincera, de finalizar o ritual. Após fazermos as últimas palavras do mantra, Om tat sat Om, batemos suavemente as palmas, juntos, três vezes. Agora, podemos nos inclinar. Havendo completado o puja, é desejavel permanecermos sentados, com a atenção internalizada, percebendo a energia de Ganapati em nosso interior.

Após havermos concluído o ritual, permanecemos sentados em meditação silenciosa por alguns minutos. Surge um grande benefício pessoal quando nos damos a oportunidade de levar para nossa alma os sentimentos purificados, a energia vital e a presença de Ganapati que o ritual mobilizou, e que permanecem no ambiente após a conclusão.

Respostas:

Aila

Postado em: 15 de Março de 2010 às 21h15

Olá Pedro, É com muito contentamento que aprecio o puja a Ganesha. Muito Obrigada por compartilhar conosco. Om Namah Shivaya! Aila

Responder esse comentário

Luciana Beatriz

Postado em: 06 de Setembro de 2009 às 14h40

GOSTEI MUITO DAS NOCOES QUE VC DEU POREM MUITO VAGAS E AS MESMAS DUVIDAS QUE OUTROS TEM AQUI EU TENHO INCLUSIVE E O QUE ESTOU PROCURANDO HÁ MUITO TEMPO. EXEMPLO:O DOCE QUE GANESHA GOSTA (LADDU) NAO ACHO A RECEITA EM CANTO NENHUM,PODEMOS DAR OFERENDAS DA NOSSA TERRA? FRUTAS,DOCES,BOLINHOS DE ARROZ DOCE FLORES EMFIM OFERENDAS PROPRIAS DA NOSSA TERRA , EU NAO MORO NA INDIA E NO FUNDO EU ACHO QUE O QUE VALE E A INTENCAO E A FE , ESTOU ERRADA? AMO ESSE DEUS TENHO TUDODELE EM MINHA CASA ROUPAS, CADERNOS, ANEL, ETC...SO NAO SEI AS OFERENDAS E LER DIREITO OS MANTRAS.GOSTARIA SE POSSIVEL ALGUMA OPINIAO DE ESCLARECIMENTO.OBRIGADO. =========================== Cara Luciana, Sim, é claro que o que vale é a intenção, e que pode usar as oferendas que tiver à mão. Namaste! Pedro.

Responder esse comentário

Thiago Albuquerque

Postado em: 01 de Agosto de 2009 às 13h15

Existe também na tradição hindu a ideia de maanasa puujaa, consiste em fazer todo o processo do puja dentro de nossas mentes, utilizando visualização. Pode ser extremamente prático para quem tem dificuldades em obter os matériais necessários para faze-lo. Além disso torna o puujaa uma excelente prática de meditação! Maanasa=mente!

Responder esse comentário

Débora Silva

Postado em: 23 de Junho de 2009 às 16h39

Conheci Ganesha há pouco tempo e fiquei muito interessada. Gostaria de saber onde poderia encontrar sua imagem em Belém, para que eu tambem possa fazer meus rituais,e se possivel receber os mantras de Ganesha. Obrigada

Responder esse comentário

mau mau

Postado em: 27 de Abril de 2009 às 05h55

p/ edson: Arroz sagrado ou akshata, é feito pela mistura de arroz, kumkum e um pouco de água. kumkum eh curcuma vermelho forte. kumkum,haldi(turmeric),sindur (ocre),abir e gulal sao utilizados para untar as deidades.E nas oferendas jamais deve haver cebola e alho.

Responder esse comentário

mau mau

Postado em: 27 de Abril de 2009 às 05h35

Ola! Tambem tenho algumas dúvidas sobre a puja. Se alguém puder responder fico grato! As oferendas tem q ser num prato de metal ou posso usar qualquer um? quando ofereco agua p/ ganapati lavar as maos etc.. devo derramar agua na imagem? moro no japao e aqui nao tem akshata e nem curcuma... posso usar outro ingrediente? Oi Mau Mau, Pode usar qualquer tipo de prato. Pode colocar as ofrerendas de agua num pote aos pés da deidade. Não precisa derramar sobre ela. O akshata é arroz misturado com cúrcuma, um pó amarelo, proveniente de uma raíz da família das gengibráceas. A cúrcuma faz parte da culinária japonesa. Procure nos supermercados, na secao de temperos. Certamente você irá achar. Boas práticas!

Responder esse comentário

Edson

Postado em: 21 de Fevereiro de 2009 às 21h54

Gostaria de saber que tipo de oferendas que posso colocar no altar de Ganesha: incenso / velas / flores / agua / arroz onde encontro ? E o doce como e feito? Aguardo contato. Atenciosamente, Edson.

Responder esse comentário

Aldenice Elias Mestre

Postado em: 20 de Fevereiro de 2009 às 23h18

Olá, tudo bem? Gostaria de saber o que fazer com os alimentos depois de oferecer a Ganesha. Tenho um pequeno altar com o deus Ganesha, ali coloco enfeites e acendo incensos. Ofereci doces confeitados e depois de alguns dias posso retira-los? O que fazer? Posso comer esse docinhos? Oferecer para alguém, ou simplesmente jogar fora? Desde já agradeço, Aldenice.

Responder esse comentário

1 2 >

Li e concordo com os termos de uso

SEÇÃO DO MÊS

  • Vedanta
    O autoconhecimento transforma positivamente a visão que temos do mundo e da vida

MAIS LIDOS

ANÚNCIOS

CURSOS E EVENTOS

  • 07 a 22 de Fevereiro de 2015

    Staff yoga.pro.br

    Sul da Índia: Yoga e Cultura com Pedro Kupfer e Ângela Sundari

    Com uma fascinante história de mais de 3000 anos, o sul da Índia sempre foi uma encruzilhada dos caminhos que conectam Oriente e Ocidente. Visitaremos os estados de Tamil Nadu e Kerala, que estão entre os lugares mais cativantes da Índia, tanto em termos culturais como na exuberância da natureza.

  • 02 a 29 de Agosto de 2014

    Pedro Kupfer

    Formação em Yoga em Portugal, Módulo II

    É com imenso prazer que anunciamos a próxima edição da Formação em Yoga em Portugal, curso livre ministrado por Pedro Kupfer, no próximo mês de agosto de 2014. O curso acontecerá na Ericeira, no novo Espaço Yogabindu.

[veja todos]