Uma vez, o rei Viśvāmitra fez uma caçada numa densa floresta ao pé do Himalaia. No fim da jornada, tanto ele quanto sua tropa estavam na mais absoluta exaustão, quase morrendo de fome e de sede. Andando por uma trilha, chegaram na caverna do grande sábio Vasiṣṭha, não longe da atual cidade sagrada de Rishikesh, e a ele pediram refúgio, água e alimento.

\\\"\\\"

O sábio yogi os recebeu com todas as honras. Quando o rei lhe explicou a situação de penúria da tropa, o yogi apenas invocou Kāmadhenu, a vaca cósmica que satisfaz os desejos que, num piscar de olhos, lhes serviu um lauto jantar, com as mais finas iguarias e as mais deliciosas bebidas. Evidentemente, tanto Viśvāmitra quanto seus soldados ficaram impressionados com os poderes desta vaca maravilhosa, que simboliza os infinitos poderes do Yoga.

Após o banquete, o rei se aproximou de Vasiṣṭha e lhe disse: "Ó venerável sábio, estou muito impressionado e satisfeito com a sua vaca mágica. Porém, lhe pergunto: por que deveria você ficar com ela, sendo que aqui em sua ermida vivem poucas pessoas e eu preciso alimentar milhares de súbditos todo dia no meu reino? Quero comprá-la. Ofereço-lhe milhares de vacas no lugar dela".

Tendo ouvido pacientemente o que o rei propunha, o sábio respondeu-lhe com um sorriso: "Esta não é uma vaca normal. Ela é uma dádiva que recebem somente os conhecedores de Brahman, o Ser. Mesmo se você me oferecesse o reino inteiro, não poderia aceitar sua proposta. Kāmadhenu não pode ser comprada, vendida ou doada".

Vendo que não conseguiria realizar seu plano, o rei Viśvāmitra teve uma explosao de raiva: "Ó sábio, não esqueça que o rei aqui sou eu. Você me insultou ao recusar minha proposta. Vou levar a vaca à força".

"Tente, se puder", respondeu o sábio. Viśvāmitra ordenou que seus soldados prendessem Kāmadhenu mas esta, respondendo a um pedido de Vasiṣṭha, materializou uma hoste de guerreiros celestais que venceram facilmente a tropa do rei. Cheio de ira, o rei se enfrentou ao yogi, brandindo sua espada. Este, apenas murmurando um mantra de proteção, desarmou e venceu o rei. Depois, compassivamente, o perdoou e deixou partir.

Mesmo tendo sido perdoado, o rei não conseguiu engolir a afronta e voltou para o palácio se remoendo de raiva e indignação. No caminho, pensou que não iria desistir de possuir a vaca sagrada: "Até hoje eu achava que as únicas coisas que valiam a pena eram o poder e as riquezas. Agora me dou conta que há coisas muito mais importantes, e que não há nada mais valioso que o conhecimento da Verdade. Todos os poderes do universo respondem ao comando do yogi Vasiṣṭha. Quero esse mesmo poder para mim! E quero que ele pague pela afronta!"

[Parte 1 de 5. Brevemente seguem as demais partes...]

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Claudia Klages

    Humm :)

    Mais uma histórinha "edificante".

    Será que o rei Vishvamitra vai conseguir alcançar os seus desejos?

    Que saudades Pedro!

    Um Abraço apertado. 

    Namaste!

    Claudia


    Responder




  2. Épa não se faz isto...cortar a história quando o pico da emoção ia no auge... :))) Pedro,vá, depressa escreve o resto da histórinha :))) Saudações de Portugal

    ======

    Zé, 

    esta história é bem longa. Ela vai ser contada em cinco partes diferentes. Aguarde, por favor...

    Namaste!

    Pedro.


    Responder