Estamos rodeados por mentiras, mergulhados na mentira. Das promessas dos políticos à publicidade, tudo é mentira. Mas há uma que é a maior, e que ninguém questiona. É a grande mentira.

A grande mentira é a crença, divulgada pelo materialismo científico, que diz que a vida é unidimensional e que qualquer afirmação sobre uma realidade superior é mera fantasia.

Dessa grande mentira surge um panorama da vida que nos priva da nossa participação nas dimensões superiores da existência e da nossa própria dignidade humana.

Sem veracidade, o pújá é fútil. Sem veracidade, o japa é inútil.
Sem veracidade, o tapas é tão estéril
como uma semente em solo infértil.
Realmente, a veracidade é o melhor ascetismo.
Todas as ações devem se enraizar na veracidade.
Nada é tão excelente como a verdade.
Mahanirvana Tantra
IV:76-77

Esse shastra expressa um sentimento que uma vez foi global, mas que hoje não passa de uma frase bonita. Sendo verdadeiros em nossos pensamentos, palavras e ações, estaremos automaticamente sendo verdadeiros com a nossa natureza superior, que é a verdade última. Sat significa real, verdadeiro, que existe de verdade.

Transformar a nossa natureza pessoal para fazer com que ela se sintonize com a realidade transpessoal é o objetivo principal de toda disciplina espiritual.

Segundo o Yoga, tudo é uma manifestação da realidade última, mas isso não se percebe facilmente, pois estamos sob a influência da ignorância. Assim, vivemos automaticamente. Vivemos uma mentira.

Essa mentira consiste na crença de que somos um corpo-mente limitado que precisa ter medo da morte e que está separado dos demais, que, por sua vez, também têm corpo-mentes limitados e medrosos.

Somente quando estamos em sintonia com a realidade superior é que conseguimos ser mesmo verdadeiros.

Veracidade em pensamentos, palavras e ações é o alicerce moral sobre o que se edifica a prática de Yoga.

A veracidade tem 3 aspectos:

sinceridade
simplicidade
naturalidade

Um mestre em Yoga é sempre ele mesmo, sem importar quem esteja à sua frente. O yogi deve alimentar as suas mais elevadas aspirações através das pequenas verdades que precisam ser respeitadas no dia-a-dia.

É preciso viver o cotidiano com integridade e consciência de que a veracidade é um poder imenso, e é condição sine qua non para a transcendência.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo