A palavra guru significa literalmente 'pesado', e pode ser traduzida como 'aquele cuja opinião tem peso'. O papel do mestre sempre foi fundamental na caminhada do auto-conhecimento. Para não se perder nessa caminhada, é importante ter como referência a imagem de um mestre, um mentor que nos ajude e oriente na busca. Algumas pessoas têm dificuldades em aceitar a idéia de ter um mestre. Porém, se tivemos mestres durante os estudos, porque não tê-los na busca interior?

Vejamos o que diz a Shiva Samhita sobre o papel do mestre:

'Apenas o conhecimento ensinado por um guru, através de seus lábios, é poderoso e eficiente. De outro modo, o conhecimento torna-se infrutífero, fraco e doloroso'. III:11.

'Aquele que se devota a qualquer tipo de conhecimento, servindo seu guru com toda a atenção, prontamente obtém o benefício desse conhecimento'. III:12.

'Não há a menor dúvida de que o guru é pai. O guru é mãe, e o guru é até mesmo Deus. Portanto, ele deve ser assim considerado e servido, em pensamento, palavra e ação'. III:13.

Essa passagem nos lembra do gurur mantra:

Gururbrahma gururvishnu
gururdevo maheshvara
guruh sakshtparabrahman
tasmai shri gurave namah
.

A tradução deste mantra é a seguinte:

'O guru é Brahma. O guru é Vishnu. O guru é Shiva. O guru é de fato Parabrahman. Meu guru, aceite esta saudação'.

'Pela graça do guru, tudo o que for bom para o próprio Ser é obtido. Portanto, o guru deve ser servido diariamente. De outro modo, nada será auspicioso'. III:14.

Portanto, é preciso termos um mestre sábio que nos ensine, e que funcione como um espelho no qual possamos nos observar e aprender. Esse mestre é quem irá nos iniciar na disciplina yogik mais adequada para nós mesmos. Você não deve apenas praticar o que lhe der na telha. Aprender a ouvir o que um mestre de verdade tem para nos dizer irá fazer toda a diferença na realização dos nossos objetivos.

Sendo praticante, você já tem elementos suficientes para compreender que nem todos os professores de Yoga que cruzarem seu caminho estão capacitados para lhe ensinar o que você precisa aprender.

Considerando a filosofia pegue-e-pague da sociedade de consumo, pode nos parecer fácil achar um mestre. Se você está preparado, seu mestre irá achar você. Você não precisa ir para a Índia para procurá-lo. Isso acontece porque, numa altura do caminho, o estudante acaba por entrar em sintonia sutil com quem pode ensinar o que ele está precisando aprender.

Um mestre verdadeiro não é necessariamente alguém muito visível, muito rico ou de muita relevância social, mas apenas uma pessoa que transcendeu o ego, simples e respeitosa em suas atitudes, que não busca a autopromoção e a publicidade nem cobra taxas absurdas em troca de iluminação.

Um esclarecimento importante: no Yoga, é necessário separar os mestres dos professores. Ao contrário do mestre, o professor é um aprendiz, alguém que ainda está no processo de aprender, e que faz isso ajudado pelos seus próprios estudantes.

Nesta era de auto-atendimento, é bom lembrar que não será uma fita de vídeo ou um livro que irão resolver a charada da nossa própria existência ou nos revelar a verdade sobre quem realmente somos.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Murillo

    Estou estudando essa relação mestre-discípulo dentro da cultura do Yoga. Nesse texto, me chamou a atenção o trecho abaixo: "Pela graça do guru, tudo o que for bom para o próprio Ser é obtido. Portanto, o guru deve ser servido diariamente. De outro modo, nada será auspicioso". III:14. Me parece uma entrega profunda que assusta qualquer ego. Gratidão pelo compartilhar!
    Responder