Bhramari é um pranayama (respiratório do Yoga), mas é igualmente um dos exercícios mais eficientes de retração dos sentidos. A retração dos sentidos é o passo prévio e essencial para realizar os estados mais profundos da meditação.

Ensina a Hatha Yoga Pradipika (II:68):

'Inspire rápida e vigorosamente, produzindo um som reverberante, semelhante ao zumbido do zangão. Expire muito lenta e suavemente, com um som parecido ao zumbido da abelha.'

Como proceder:
Sente-se numa posição de meditação, mantendo a espinha ereta e os olhos fechados, sem contrair a musculatura de rosto nem tensionar as costas. Eleve os braços e coloque as mãos sobre a cabeça, obstruindo firmemente os canais auditivos com os polegares. A respiração deve fluir sem interrupções. Não é aconselhável fazer retenções.

O som a que se refere o texto acima é um murmúrio, como se pronunciássemos a letra m de forma baixa e contínua, imitando o som do vôo de uma abelha. Comece a emitir o som na exalação, concentrando-se nele e sentindo como vibra no interior da caixa craniana. Escute os sons do seu próprio corpo durante a inspiração.

Se, após alguns ciclos você começar a sentir os braços cansados, descanse as mãos sobre os joelhos enquanto estiver inspirando, e volte a colocá-las nos ouvidos quando for exalar, continuando assim até o fim do exercício. Melhor ainda é usar o yogadanda, um suporte de madeira em forma de letra t onde você apoia os cotovelos para poder ficar por mais tempo na postura sem sofrer.

Faça isto durante vários fôlegos, procurando perceber os sons sutis, que vibram no interior do seu corpo. Após alguns minutos, você irá perceber como, naturalmente, os seus pensamentos se detém na contemplação deste som. Começamos assim por recolher o sentido da audição e voltá-lo para o interior, prestando atenção aos sons internos. O tempo ideal de prática oscila entre dez e quinze minutos.

Bhramari desperta a sensibilidade, clarifica as idéias e detém as instabilidades do pensamento. É um excelente preparatório para os exercícios de concentração.

Este exercício acaba com o mau humor, ativa o sistema nervoso e tonifica o aparelho respiratório. Desperta a sensibilidade, clarifica as idéias e detém as instabilidades do pensamento. É um excelente preparatório para os exercícios de retração dos sentidos e concentração.


 Atenção:

Estas dicas não substituem um professor de Yoga. São disponibilizadas apenas para que o praticante possa aprimorar sua técnica e sua prática pessoal. No início, a prática sob a supervisão cuidadosa de um instrutor preparado e competente é essencial para o sucesso na prática, bem como para evitar lesões. O autor não se responsabiliza pelo mal uso que possa ser feito destes textos.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. TAINARA

    Olá! Vejo em muitos lugares, indicações de 5 a 10 respirações. O texto fala em 10 a 15 minutos. Teria alguma consideração sobre isso? Desde já agradeço! És sempre muito prestativo, sempre que quero pesquisar alguma coisa é uma fonte certa!
    Responder


  2. Karol Meyer

    Caro mestre Pedro, só tenho a agradecer por todos seus ensinamentos. Dias atrás experimentei pela primeira vez esta técnica e gostei muito. Fui pesquisar e cai aqui.Isto só me fez relembrar e reforçar todos os ensinamentos. Om Shanti, Karol.
    Responder