Vrikshásana, a postura da árvore, é um dos primeiros ásanas do Hatha. A prática de ficar sobre um pé só, em equilíbrio, exposto aos elementos da natureza, fazia parte da prática yogika dos rishis (sábios) vêdicos, como atestam esculturas e painéis milenares em templos ou lugares sagrados da Índia.

Tradução do nome desta postura:

Vriksha = árvore, ásana = postura; "postura da árvore"

Yogi praticando vrikshásana. Séc. V d.C. Escultura num painel de pedra. Mahabalipuram, Tamil Nadu.

Yogi praticando vrikshásana. Séc. V d.C.
Escultura num painel de pedra.
Mahabalipuram, Tamil Nadu.


Pedro em ardha baddha padmottanásana, uma variação do vrikshásana com uma mão no chão

Variação do vrikshásana com uma mão no chão


Dicas de execução:

1. Fixe o olhar num ponto à frente. Flexione a perna direita e pressione a planta desse pé contra a parte mais alta da coxa esquerda, deixando o joelho para baixo e para o lado. Nesta primeira variação, você poderá elevar as mãos unidas até a altura do coração, ou acima da cabeça.

2. Opcionalmente, você pode deixar o dorso do pé encaixado na virilha esquerda. Se quiser, a partir deste ponto, segure o pé elevado com a mão direita e eleve verticalmente o outro braço. Em ambas as opções, você ainda poderá inclinar o corpo à frente, colocando as mãos no chão, dos lados do pé esquerdo.

3. Mantenha as costas eretas. Ative o pé, o joelho e a perna que sustentam o corpo. Aponte com o cóccix para baixo, em direção ao calcanhar da perna base, e faça uma tração para cima. Leve a respiração para as costelas laterais, elevando o esterno e fechando ao mesmo tempo o espaço entre as costelas inferiores, na altura do plexo solar. Mantenha espaço entre os ombros e a base do pescoço.

4. Estes exercícios estabelecem uma conexão mais profunda com a terra. Mantenha o exercício durante um minuto. Coloque as mãos no centro do peito e mantenha as mãos juntas. As pernas nesta forma representam as raízes de uma arvore. Imagine a sua espinha vertebral como se fosso o tronco de uma árvore. sinta a energia ascendendo ao longo das pernas

5. Depois, proceda da mesma forma, repetindo este ásana para o outro lado: flexione a perna esquerda, encaixe o pé na parte interna da coxa ou na virilha, ajudando-se com a mão e confira se as costas estão eretas.

6. Respire profunda e conscientemente. Pense na firmeza e na força de uma árvore. Igualmente, desenvolva a capacidade de ver a si mesmo e às demais pessoas como se fossem árvores: cada uma diferente, cada uma única em sua individualidade.


Atenção:

Estas dicas não substituem um professor de Yoga. São disponibilizadas apenas para que o praticante possa aprimorar sua técnica e sua prática pessoal. No início, a prática sob a supervisão cuidadosa de um instrutor preparado e competente é essencial para o sucesso na prática, bem como para evitar lesões. O autor não se responsabiliza pelo mal uso que possa ser feito destes textos. Obrigado pela compreensão.

Namastê e boas práticas!

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Murillo

    Me tocou especialmente vislumbrar o surgimento dessa postura como uma das primeiras do Hatha e imaginar os Rishis a fazendo em conexão com a natureza. Adorei tb sua foto de curioso no instrumento. Sempre grato pelas sementes Pedrão! Sempre grato (((_/\_)))
    Responder


  2. Lidia Cristina Castilho Mendes

    Parabéns, Pedro, gostei muito desse seu comentário sobre a "postura da árvore", dizendo que devemos nos sentir como uma árvore, com raízes diferentes umas das outras. Sou instrutora de Hatha Yoga e sobrinha da profª Maria Celeste Castilho, que dá aulas em São Paulo, e com a qual o Vicente Morisson também já praticou. Admiro muito o seu trabalho. Parabéns!!! Namastê! Lidia Mendes.
    Responder