Esta é uma flexão da coluna vertebral muito eficiente para tonificar e fortalecer os órgãos internos, bem como para dinamizar as forças vitais que circulam na região do tronco, prana e apana vayu.

Tradução do nome desta postura:

Marichi = nome de um rishi vêdico filho de Brahma; 'postura de Marichi'


Variação denominada marichyásana B, com uma perna em padmásana
(dorso do pé no alto da coxa oposta)


Dicas de execução:

1. Monte esta postura da seguinte forma: sentado, flexione uma das pernas e coloque a planta do pé no chão, paralela à perna estendida, e a um palmo de distância da parte interna da coxa.

2. Mantenha, na medida do possível, ambos os ísquios apoiados no chão.

3. Inspire, tracionando verticalmente e expire, inclinando-se para frente.

4. Sem comprimir a nuca, estenda o queixo em direção ao pé, ao invés de tentar descer sobre a perna estendida.

5. Não há nenhuma necessidade de se chegar com o rosto no joelho.

6. Concentre-se mais em tracionar em direção ao pé do que em descer a qualquer preço em direção ao joelho.

7. Se for preciso, flexione um pouco o joelho estendido.

8. Os ombros ficam paralelos ao chão.

9. Evite comprimir a parte frontal da coluna, privilegiando sempre a tração e o espaço entre as vértebras. Esqueça de chegar com a testa no joelho se isso não for fácil para seu corpo.

10. Observe se os bandhas estão ativos.

11. Repita para o outro lado com a mesma permanência ao retornar.

12. Permanecendo neste tipo de postura, o corpo tende a relaxar e tonificar-se. Esse relaxamento beneficia o cérebro e o sistema nervoso central.

13. Observe os sinais da energia circulando na região baixa do ventre e o plexo solar.

Observação muito importante:

Forçar na prática de flexões intensas como esta, pode resultar em lesionar os ligamentos e/ou discos intervertebrais, e tem ainda o efeito paradoxal de endurecer a região lombar, devido à tensão criada.


Atenção:

Estas dicas não substituem um professor de Yoga. São disponibilizadas apenas para que o praticante possa aprimorar sua técnica e sua prática pessoal. No início, a prática sob a supervisão cuidadosa de um instrutor preparado e competente é essencial para o sucesso na prática, bem como para evitar lesões. O autor não se responsabiliza pelo mal uso que possa ser feito destes textos. Obrigado pela compreensão.

Namastê e boas práticas!

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo