Janaka, rei de Videha, é conhecido não apenas como um rei próspero e justo, senão também como um sábio realizado, que exerce sua prática de conhecimento sem renunciar a seus deveres dhármicos. A Brihadaranyaka, a mais antiga das Upanishads, contém um extenso diálogo filosófico ente ele e o rishi Yajñavalkya. Janaka foi o pai de Sita, a heroína do grande épico Ramayana. Narramos aqui duas histórias inspiradoras que o tem como protagonista.

 

 

Sonho ou realidade?

 

Uma noite, o rei Janaka sonhou que havia perdido seu reino e se tornado um mendigo. Como mendigo, vagava pelas ruas da sua cidade pedindo esmola. A sensação de fome fez ele chorar. Uma mulher de bom coração serviu-lhe um prato de comida. Porém, no exato momento em que ele estava pegando a comida, o prato escorregou das suas mãos e quebrou contra o chão. Nesse momento, o rei acordou. Ao encontrar-se de volta em seu palácio, perguntou-se: “O que é o real: o sonho ou a vigília?”

 

Contou o sonho para sua rainha, que ficou igualmente perplexa. Entao, ambos decidiram consultar o sábio Vasishta.

 

O sábio respondeu: “Ó rei, num sentido, ambos são reais. Porém, tem ainda um outro ponto de vista: você se tornou um mendigo no mundo dos sonhos e você é um rei no mundo da vigília. “Você” existe em ambos os mundos. Embora ambos esses mundos sejam ilusórios, “Você” é real. Você é a realidade absoluta, presente tanto na vigília quanto no sonho”.

 

 

O que aconteceu na minha encarnação anterior?

 

Uma vez, o rei Janaka perguntou para o sábio Yajñavalkya: “Ó rishi! Por favor, explique-me o que aconteceu em minha vida passada”.

 

O sábio respondeu: “O que passou, passou. Não faz nenhum sentido querer mexer no passado. Você já completou essa parte da sua jornada. Não se preocupe com esse trecho do caminho que você já percorreu. Isso não ajuda a viver, nem o presente, nem o futuro.”

 

Muito embora o sábio tenha usado muitos outros argumentos para dissuadir o rei dessa busca, Janaka insistiu em conhecer seu nascimento anterior.

 

Então, o rishi Yajñavalkya concentrou-se usando seus siddhis (poderes psíquicos) e disse para o rei: “Ó Janaka, sua esposa neste presente nascimento foi sua mãe em sua encarnação anterior.”

 

Ao escutar essa notícia, o rei ficou muito impressionado e pensou: “Que pessoa infeliz eu fui ao tratar minha mãe como se fosse minha esposa! Devo abandonar essa vida de erros.”

 

E, a partir daquele momento, ele começou a tratar sua esposa como se fosse sua própria mãe e, abandonando o apego às coisas materiais, iniciou a jornada do autoconhecimento.\\\"\\\"

O rei Janaka encontra a a menina Sita, que adota como filha, ao arar o campo.

    COMENTÁRIOS

    Comentar artigo

  1. Zilah

    Adorei! Vou procurar por mais, seu site é incrível .
    Responder


  2. Val

    Lindo texto.

    Obrigado, Pedro.

    Namaste!


    Responder