Meditação, Pratique

A Meditação no Gāyatrī Mantra

Esse Om que é o todo, é aquele que deve ser compreendido, que deve ser a prioridade daquele que busca a liberdade. É aquele que precisa ser conhecido.

· 1 mins de leitura >

A meditação e o Gāyatrī mantra

Dhyanam é meditação. O fluxo dos vṛttis, o fluxo dos pensamentos deve ser observado, centrando a atenção sobre um determinado tópico.

Quando você faz japa, ou repete um mantra, ou faz pūjā mentalmente, você segue várias etapas mentalmente. A ausência de distrações é muito importante.

Quando houver algum tipo de distração, a mente precisa ser guiada novamente para o objeto de meditação.

Que a mente se distraia é sinal de que ela é saudável. É natural que ela desvie a atenção daquilo sobre o qual está se meditando.

Uma mente saudável é uma mente que segue sua própria agenda. Durante a meditação, seu trabalho consiste justamente em trazer ela de volta para o objeto de meditação.

Isso é chamado dhyānam: a mente se dispersa, e você a traz de volta para o exercício que você está fazendo. Assim, durante todo o tempo em que você estiver praticando.

Não deveríamos ter nenhuma queixa em relação à natureza da mente: aceitemos ela como é.

Gāyatrī

Sobre o Gāyatrī mantra

O Gāyatrī consta de 24 sílabas, distrbuídas num tripleto de oito sílabas por cada linha. Inicia no Oṁ.  Oṁ é bhūḥ, Oṁé bhuvah, Oṁé svāḥ. 

Oṁ é o mundo inteiro, Oṁ é Brahman, Oṁ é Īśvara, Oṁ e toda a criação. Oṁ é tudo.

Esse Oṁ que é o todo, é śrestam (tat savitur vareṇyam), é aquele que deve ser compreendido, que deve ser a prioridade do mumukṣu, daquele que busca a liberdade.

Bhargo devasya dhīmahi, desse Oṁ, que é o próprio Sol (savitṛ) sobre o qual meditamos (dhīmahi), invocamos a graça.

Tudo visa a voltar para a fonte original. Essa fonte, na dimensão em que nós vivemos, é representada pelo Sol. Esse Sol, com sua efulgência, ilumina tudo à sua volta.

Que esse brilho ilumine a nossa visão, e possa nos ajudar a compreender o que estamos vivendo, e a aceitar como justo e correto aquilo que recebemos a cada dia.

O mantra aponta para mokṣa, a libertação. Esse é o significado de dhyoyonaḥ pracodayāt.

Sobre o Gāyatrī Puraścarana

Gāyatrī mantra tem 24 sílabas. Por cada sílaba você canta 100.000 vezes o mantra. Se você cantar 1.000 gāyatrīs por dia, o que leva 3 horas, em 100 dias você faz 100.000 mantras.

350.000 por ano. Em 7 anos você completa o Puraścarana. Se você quiser acelerar, pode fazer 2.000 mantras por dia.

Como combater os obstáculos no meu mantra?

Quando você sentar para meditar, repita mentalmente: ‘a cada vez que a minha mente se distrair, trago ela de volta para o meu mantra’.

॥ हरिः ॐ ॥

* Satsaṅga concedido por Pūjya Swāmijī no Āśram de Rishikesh, em 23 de março de 2007.

Transcrito e traduzido por Pedro Kupfer. Quaisquer erros involuntários devem ser creditados na conta kármica do tradutor.

॥ हरिः ॐ ॥

+ sobre o Gāyatrī
aqui , aqui e aqui

॥ हरिः ॐ ॥

Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.

2 respostas para “A Meditação no Gāyatrī Mantra”

  1. Swami,

    Gostei muito de seu artigo, mas contei as sílabas do mantra Gayatri e não encontrei 24.

    Cordialmente,
    Mohammed.

    1. Mohammed, você não encontrou vinte e quatro sílabas porque contou a introdução como se fizesse parte do mantra propriamente dito bhur bhuaha svaha é introdução o mantra em si são as três linhas abaixo, cada uma com oito sílabas: tat savitur varenyam bargho devasaya dhimahi dhyo yo nah prachodayat Namastê

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *