Começando, Pratique

Agora, o Yoga!

Atha yoganushasanam. Este é o primeiro aforismo do Yoga Sutra de Patanjali. Sabemos que para entender esse texto, precisamos ler as entrelinhas e refletir

· 2 minutos de leitura >
agora

Yoga agora

Atha yogānuśāsanam. Este é o primeiro sūtra do Yogasūtra  de Patanjali, uma espécie de “Bíblia do Yoga”. Sabemos que para entender esse importante texto, precisamos ler as entrelinhas, refletir. A palavra atha significa “agora” e anuśāsanam, “ensinamento”. Poderíamos traduzir esse sūtra assim: ‘Agora, o ensinamento do Yoga’.

Como a proposta desse texto não é discutir a tradução do sutra, gostaríamos de expor aqui uma interpretação prática dessa frase. O que podemos observar no cotidiano, na vida. Então, tomaremos esta frase vista desde suas implicações práticas: ‘Agora começa o Yoga’.

Se agora, nesse momento o ensinamento do Yoga começa, pressupõe-se que algo já foi ensinado antes. Como se depois de tudo que passamos e vivemos, estivéssemos prontos nesse momento para que o ensinamento do Yoga comece.

A maioria de nós não começa a estudar o Yoga já sabendo o que é essa vasta cultura. Tampouco sente incoerência ao longo do seu aprendizado na prática de meditação, asanas, pranayamas e na vida, pois tudo isso parece fazer muito sentido quando o ensinamento é passado de forma adequada. Isso porque aprendemos que nós já somos Yoga, e essa é a nossa verdadeira natureza.

agora

Pedro Kupfer escreveu uma vez: ‘O Yoga é como o silêncio. Como você faz silêncio? Você não faz silencio. O silêncio já está feito! Você só evita fazer ruído. O silêncio sempre esteve aí. Com o Yoga é igual.’

Se já somos aquilo que procuramos, se já somos felicidade, plenitude, amor, talvez Patanjali esteja apenas nos alertando para pararmos de nos identificar com as nossas preocupações, medos e condicionamentos pois, dessa forma, poderemos entrar no estado de Yoga.

Podemos pensar também que a cada momento, a cada situação, a cada oportunidade começa o Yoga. Essa visão deixa tudo muito mais prático e “pé no chão”. Ao acordar começa o Yoga, ao lavar a louça começa o ensinamento do Yoga e assim em tudo que fizermos.

Porém, a Katha Upanishad, VI, já nos chamava a atenção: ‘Mas deve-se estar atento, pois o estado de Yoga vem e vai’. Sabiamente o autor do Yoga Sutra nos lembra com o primeiro aforismo. Se esse estado vem e vai, temos a possibilidade de trazê-lo de volta a tona quando estamos atentos e conscientes a isto.

Temos o livre arbítrio para escolhermos se queremos agir para entrar e manter o estado ou se queremos estar longe dessa paz, que é o que já somos. E isso não importa se somos praticantes iniciantes, avançados, professores, esposas, filho, indivíduos. Sendo o Yoga a escolha de levar a vida, tudo que meu corpo experiencia e vivencia é motivo para colocar o ensinamento em prática.

Conscientes de cada instante, de cada inspiração e expiração, de cada palavra e pensamento, eternizando os momentos únicos que passamos.

Quando saímos de uma sala de Yoga estamos sempre diferentes de quando entramos. A nossa bagagem individual de tudo que vivemos até então é base para esse ensinamento acontecer. Parece então, que desde o nascimento nós já estamos trabalhando nesse caminho yogi e que tudo é substrato para observação. Então quando estamos prontos, aí sim começa o Yoga.

Ao identificarmos no nosso dia a dia os momentos, além dos que presenciamos na sala de prática, que nos proporcionam paz, amor, plenitude, percebemos que somos levados e nos mantemos no estado de Yoga com ações diárias.

Quando nos afastamos desse estado, devemos observar o que levou ao afastamento da tranqüilidade. Assim, a mudança sobre a forma de pensar, responder, agir, para que proporcionemos a nós mesmos estar em paz, acontece nas causas dessas ações que muitas vezes são mecanizadas.

Cabe a nós o discernimento para que nossas escolhas sejam coerentes e nos possibilitem a permanência no estado de Yoga.

Concluindo, devemos estar atentos a tudo que acontece, percebendo essa gama de oportunidades que temos para aprender a conviver em harmonia com os demais seres e com nossas próprias limitações.

Além disso, pensar que sempre é possível estar em Yoga, tentando agir e reagir da melhor maneira possível. Então, a cada momento devemos procurar estar relaxadamente presentes e conscientes. Isso para que em todo instante, assim como agora começa o Yoga. Namaste. 

॥ हरिः ॐ ॥

+ sūtras aqui e aqui

+ posts
suryabhedana

Sūryabhedana: a Respiração Solar

Pedro Kupfer em Prāṇāyāma, Pratique
  ·   1 minutos de leitura

O que traz paz ao dia-a-dia?

Pedro Kupfer em Pratique, Yoga na Vida
  ·   2 minutos de leitura

5 respostas para “Agora, o Yoga!”

  1. Comecei a me interessar faz 15 dias e já me vejo o quanto estou aprisonada quanto eu estou querendo me libertar dessa prissaõ toxica que eu vivo dentro de mim presa em uma educação maldosa da sociedade de escravidaõ mental. Me sinto sem ar somente de ler sua maravilhosa palavras já me sinto num caminho que não existia saída. Me vejo livre aprendendo com você. Ainda não tenho condições e fazer todos curso mais eu chego aí. Obrigada

  2. OM Shanti🙏 Cheguei aqui de surpresa e gostei muito do que li, gratidão. Namastê 🙏

  3. É de se esperar essas lindas palavras da Rafa. Ela realmente é o que ela escreve. Admiro seu trabalho e sua dedicação! Beijos, Dany.

  4. Rafinha querida, nao me supreende que texto tao lucido e inspirador tenha vindo de voce! Parabens e obrigada pelas palavras! Que sigamos sempre juntos assim :estudando, refletindo, conquistando novos horizontes e praticando o yoga AGORA porque essa e a nossa hora… Mil beijos e saudades, Dani x

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *