Começando, Pratique

Agora, o Yoga!

Atha yoganushasanam. Este é o primeiro aforismo do Yoga Sutra de Patanjali. Sabemos que para entender esse texto, precisamos ler as entrelinhas e refletir

Escrito por Rafaela Bentes · 2 mins de leitura >
agora

Yoga agora

Atha yogānuśāsanam. Este é o primeiro sūtra do Yogasūtra  de Patanjali, uma espécie de “Bíblia do Yoga”. Sabemos que para entender esse importante texto, precisamos ler as entrelinhas, refletir. A palavra atha significa “agora” e anuśāsanam, “ensinamento”. Poderíamos traduzir esse sūtra assim: ‘Agora, o ensinamento do Yoga’.

Como a proposta desse texto não é discutir a tradução do sutra, gostaríamos de expor aqui uma interpretação prática dessa frase. O que podemos observar no cotidiano, na vida. Então, tomaremos esta frase vista desde suas implicações práticas: ‘Agora começa o Yoga’.

Se agora, nesse momento o ensinamento do Yoga começa, pressupõe-se que algo já foi ensinado antes. Como se depois de tudo que passamos e vivemos, estivéssemos prontos nesse momento para que o ensinamento do Yoga comece.

A maioria de nós não começa a estudar o Yoga já sabendo o que é essa vasta cultura. Tampouco sente incoerência ao longo do seu aprendizado na prática de meditação, asanas, pranayamas e na vida, pois tudo isso parece fazer muito sentido quando o ensinamento é passado de forma adequada. Isso porque aprendemos que nós já somos Yoga, e essa é a nossa verdadeira natureza.

agora

Pedro Kupfer escreveu uma vez: ‘O Yoga é como o silêncio. Como você faz silêncio? Você não faz silencio. O silêncio já está feito! Você só evita fazer ruído. O silêncio sempre esteve aí. Com o Yoga é igual.’

Se já somos aquilo que procuramos, se já somos felicidade, plenitude, amor, talvez Patanjali esteja apenas nos alertando para pararmos de nos identificar com as nossas preocupações, medos e condicionamentos pois, dessa forma, poderemos entrar no estado de Yoga.

Podemos pensar também que a cada momento, a cada situação, a cada oportunidade começa o Yoga. Essa visão deixa tudo muito mais prático e “pé no chão”. Ao acordar começa o Yoga, ao lavar a louça começa o ensinamento do Yoga e assim em tudo que fizermos.

Porém, a Katha Upanishad, VI, já nos chamava a atenção: ‘Mas deve-se estar atento, pois o estado de Yoga vem e vai’. Sabiamente o autor do Yoga Sutra nos lembra com o primeiro aforismo. Se esse estado vem e vai, temos a possibilidade de trazê-lo de volta a tona quando estamos atentos e conscientes a isto.

Temos o livre arbítrio para escolhermos se queremos agir para entrar e manter o estado ou se queremos estar longe dessa paz, que é o que já somos. E isso não importa se somos praticantes iniciantes, avançados, professores, esposas, filho, indivíduos. Sendo o Yoga a escolha de levar a vida, tudo que meu corpo experiencia e vivencia é motivo para colocar o ensinamento em prática.

Conscientes de cada instante, de cada inspiração e expiração, de cada palavra e pensamento, eternizando os momentos únicos que passamos.

Quando saímos de uma sala de Yoga estamos sempre diferentes de quando entramos. A nossa bagagem individual de tudo que vivemos até então é base para esse ensinamento acontecer. Parece então, que desde o nascimento nós já estamos trabalhando nesse caminho yogi e que tudo é substrato para observação. Então quando estamos prontos, aí sim começa o Yoga.

Ao identificarmos no nosso dia a dia os momentos, além dos que presenciamos na sala de prática, que nos proporcionam paz, amor, plenitude, percebemos que somos levados e nos mantemos no estado de Yoga com ações diárias.

Quando nos afastamos desse estado, devemos observar o que levou ao afastamento da tranqüilidade. Assim, a mudança sobre a forma de pensar, responder, agir, para que proporcionemos a nós mesmos estar em paz, acontece nas causas dessas ações que muitas vezes são mecanizadas.

Cabe a nós o discernimento para que nossas escolhas sejam coerentes e nos possibilitem a permanência no estado de Yoga.

Concluindo, devemos estar atentos a tudo que acontece, percebendo essa gama de oportunidades que temos para aprender a conviver em harmonia com os demais seres e com nossas próprias limitações.

Além disso, pensar que sempre é possível estar em Yoga, tentando agir e reagir da melhor maneira possível. Então, a cada momento devemos procurar estar relaxadamente presentes e conscientes. Isso para que em todo instante, assim como agora começa o Yoga. Namaste. 

॥ हरिः ॐ ॥

+ sūtras aqui e aqui

Desiderata

Desiderata

Rafaela Bentes em Pratique, Yoga na Vida
  ·   20 segundos de leitura

Āsanas para fortalecer a lombar

Rafaela Bentes em Āsana, Pratique
  ·   8 mins de leitura

3 respostas para “Agora, o Yoga!”

  1. É de se esperar essas lindas palavras da Rafa. Ela realmente é o que ela escreve. Admiro seu trabalho e sua dedicação! Beijos, Dany.

  2. Rafinha querida, nao me supreende que texto tao lucido e inspirador tenha vindo de voce! Parabens e obrigada pelas palavras! Que sigamos sempre juntos assim :estudando, refletindo, conquistando novos horizontes e praticando o yoga AGORA porque essa e a nossa hora… Mil beijos e saudades, Dani x

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo: Dia de Folga