Conheça, Dharma Hindu

O nascimento de Ganesha

Quando a deusa Parvati tomava banho, Shiva, empurrando Nandi, que vigiava a entrada, entrou sorrateiramente no aposento. A deusa ficou muito contrangida... Decidiu então criar para si um servidor, e, com as raspas de sua pele, fez um rapaz

Escrito por Shiva Purana, Rudra Samhita · 1 mins de leitura >

Quando a deusa Parvati tomava banho, Shiva, empurrando Nandi, que vigiava a entrada, entrou sorrateiramente no aposento. A deusa ficou muito contrangida… Decidiu então criar para si um servidor, e, com as raspas de sua pele, fez um rapaz.

Era um belo adolescente, bem proporcionado, grande, vigoroso e bravo. Ela disse-lhe: “Você é meu filho e só a mim pertence”. Ele prometeu obedecer-lhe em todas as coisas. A deusa, encantada, cobriu-o de carícias e o abraçou. Colocou-o, armado com uma clava, diante de sua porta.

Quando Shiva quis entrar, o rapaz impediu-o, e, apesar das injunções do deus, não o deixou passar. Shiva, furioso, enviou então seus ganas, exército de gênios e diabretes, para livrá-lo do importuno. Longas parlamentações e intermináveis brigas seguiram-se.

O fiel guardião foi vitorioso. (…) Quando viu o exército dos deuses juntar-se aos ganas para atacar o valente rapaz, a Mãe do mundo delegou dois de seus poderes, ou shaktis, sob a forma de diabas, para ajudar seu filho.

Uma dessas diabas, que tinha um aspecto terrível, mantinha-se de pé. Sua boca aberta era grande como a caverna da Montanha Negra. A outra tinha aparência do raio e inúmeros braços. Era enorme e terrível, pronta para golpear todos os que se aproximassem.

Na batalha, as duas shaktis pegavam com a boca os projéteis lançados pelos deuses e ganas, e lançavam-nos novamete a eles… Quando Vishnu quis atacar o filho da deusa, as duas shaktis integraram-se ao corpo do rapaz e deram-lhe, desse modo, uma força maior. Mesmo o exército dos deuses foi derrotado pelo corajoso rapaz.

Finalmente, quando ele estava ocupado no combate a Vishnu, o próprio Shiva, traiçoeiramente, cortou-lhe a cabeça com o tridente. Ao ver o desgosto da deusa e para acalmá-la, Shiva ordenou imediatamente que fosse substituída a cabeça do jovem pela do primeiro ser vivo encontrado.

(…) Foi um elefante, cuja cabeça foi unida ao corpo ressuscitado, e, para consolar a deusa, Shiva o nomeou Ganesha, chefe dos ganas (exércitos celestes).


Do Shiva Purana, Rudra Samhita, capítulos 13 a 18, citado por Alain Danielou no livro Shiva e Dionísio.

Digitado por Alexandre Vieira.

4 respostas para “O nascimento de Ganesha”

  1. Gostaria de saber como conseguir o livro Shiva e Dionísio. Grat, Marivalda

  2. Olá para todos hariH Om. venho aqui para fezer uma crítica, construtiva obviamente. Vejo que a imagem de shri gaNesha jI é muito popular entre os ocidentais, e de fato seu simbolismo é maravilhoso. mas sinto falta aqui no yoga.pro.br de divulgação acerca de uma exploração maior de outras deidades e figuras mitólogcas, igualmente importantes para o conhecimento do sanatan dharma e tão belas como shrI gaNesha JI. Eu por exemplo sou devoto ardente de kArtikeya ou murugan, o irmão mais novo de shrI gaNesha. deidades tal como ayyappan que possui um significado muito importante para o advaita vendanta, pois ao unir detro de si tanto shiva como vishnu, ensina-nos através de sua história a unidade de brahman. shri venkateshwara considerado como uma encarnação de shrI viShNu para salvar a humanidade no período do kali yuga, que possui um dos templos mais magnificos da índia, que aliás é o segundo centro de peregrinações mais visitado do mundo, perdendo somente para o vaticano!!! convido aos administradores do site para explorarem mais essas e outras facetas tão magníficas do sanatana dharma, só que ainda totalmente desconhecidas pela maioria das mentes ocidentais.
    oM tat sat

  3. Gosto muito desse site e tenho acompanhado o trabalho de vocês desde que me interessei pelo Yoga. Durante o meu Curso de Formação me auxiliou bastante. Indico para amigos e alunos. Sempre que leio algum artigo me sinto iluminada. É essa a sensação: de iluninação. Sinto seriedade e espiritualidade quando leio os artigos, sem parecer algo bitolado ou infundado. Parabéns! Quando vocês virão à Brasília? Me avisem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *