Começando, Pratique

Resenha do livro Autoperfeição com Hatha Yoga

Esta é uma obra que vem ajudando a solucionar vários sofrimentos somáticos, psíquicos, sociais e espirituais. Muitos que leram e praticaram este método experimentaram paz

Escrito por Sílvia do Nascimento Aquini · 4 mins de leitura >

Esta é uma obra que vem ajudando a solucionar vários sofrimentos somáticos, psíquicos, sociais e espirituais. Muitos que leram e praticaram este método experimentaram paz, conquistaram equanimidade e criaram coragem para viver, lutar e vencer.

Yoga é uma filosofia, uma ciência, uma técnica de vida que, há milhares de anos, vem servindo de caminhada de volta àqueles que anseiam por, novamente, fundirem-se na plenitude de onde promanaram. Yoga tem origem na raiz sânscrita yuj, significando ‘jugo’, ‘junção’, ‘união’, ‘comunhão, ‘integração’. É a unificação de si mesmo, buscando um todo harmônico.

Nesta obra, encontramos duas abordagens do Yoga que se destacam: Hatha Yoga, uma educação psicossomática que, lavando a alma das enfermidades e da fraqueza, faz o diamante do espírito refletir o Sol Infinito, e Yogaterapia, um treinamento holístico (do ser humano integral), uma nova medicina de eficiência surpreendente.

Hatha Yoga, aqui no Ocidente, segundo o autor, tem sido reduzido a uma mera ginástica a serviço da ‘egoesclerose’ (doença do ego). A cura é uma só e se chama ‘humildação’. Contudo este método é considerado como o Yoga do sol e da lua, símbolos dos dois pólos, pelo equilíbrio e interação, nos quais o universo se mantém. É visto como um meio e não um fim, uma medicina natural que, proporcionando saúde e resistência ao corpo, transforma-o em instrumento adequado à sintonia com os planos mais sutis do Universo, permitindo, assim, ao ser humano, uma crescente libertação. Ser forte, ser puro, ser tranqüilo são apenas condições para que o aspirante possa progredir espiritualmente e caminhar para a divindade.

Dá-se ênfase aos sistemas nervoso e endócrino, dois importantes responsáveis pelos impressionantes resultados proporcionados pelo Hatha Yoga, como também ao prana e ao corpo sutil. Aqui o prana serve de veículo à Consciência, sendo a base e origem de todas as formas de energia como também de matéria.

O pranayama (respiração) recebe um capítulo especial, em virtude de fazer parte dos três planos ? fisiológico, psíquico e de prana ? e por ser um dos atos mais importantes de nossa vida. O autor destaca que a boa respiração deve ser nasal, fornecendo exercícios essenciais para a prática e acrescentando ainda seis exercícios com explicações detalhadas e benefícios terapêuticos e psicológicos.

Segundo a tradição, foi o deus Shiva que, num gesto de bondade, ensinou à sua esposa, a deusa Parvati, o Hatha Yoga, incluindo neste ensinamento os asanas em número igual ao de todas as espécies de seres vivos que existem na Terra. Em resumo, um asana, apesar de parecer simplesmente uma atitude do corpo, é muito mais do que isso; é uma expressão do ser humano holístico, manifestando-o em todos os seus níveis: no corpo, no pensamento, na emoção, na ação, no corpo sutil e no espírito. Neste capítulo, Hermógenes ensina a ‘saudação ao sol’ (suryanamaskar) e asanas sentados, de flexão da coluna, de torção, de equilíbrio, de inversão e exercícios vários, sempre descrevendo a técnica e acrescentando informações sobre atitude mental, efeitos terapêuticos, efeitos psíquicos e contra-indicações.

As purificações promovem a limpeza necessária ao bem-estar, ao equilíbrio e à saúde. Dá-se destaque ao banho, à lavagem estomacal, à limpeza do nariz, ao jejum e a outras purificações.

Como sistema ideal e completo de saúde e vida feliz, o Hatha Yoga confere muita importância à nutrição. ‘A quarta parte do estômago, devemos deixar vazia, numa oferenda a Shiva’, preceituam textos antigos. Aqui o autor enfatiza o alimento e sua constituição – proteínas, gorduras, sais minerais, carboidratos e vitaminas -, aponta evidências para sermos vegetarianos, faz considerações sobre a alimentação, destaca os alimentos mais completos, ensina sobre as combinações de alimentos, abre os nossos olhos para os maus hábitos alimentares e, por fim, esclarece sobre correntes tais como macrobiótica e waerlandismo.

Os tempos modernos são fatigantes. Do ponto de vista yogik, um corpo fatigado é um corpo insuficientemente nutrido de prana. Yoga aparece aqui como a melhor profilaxia e terapêutica contra a fadiga. Através dos asanas, dos pranayamas, da sua virtude pacificadora, equanimizante, sedativa e relaxante, da atitude mental, da filosofia de vida e da alimentação saudável, o yogi forma seu escudo contra a ansiedade, a depressão, a agitação e a angústia. O relaxamento, devido à sua ampla atuação físico-mental, é, neste caso, a solução preferível contra a fadiga e a tensão.

A atitude mental aparece como elemento fundamental para a saúde, sendo que uma elevada vida ética, um psiquismo harmonioso e uma boa dose de fé têm o poder de imunizar ou curar. O amor, a bondade, o perdão, a simpatia, a alegria e o otimismo estimulam os processos vitais e fortalecem as defesas orgânicas. A sugestão e a auto-sugestão aparecem como elementos essenciais para a vivência do Yoga, pois a mente cria a energia e esta move a matéria; a potência da sugestão é dirigida no sentido positivo; a verdadeira oração é ato de amor, gesto de autodoação, intensa comunhão, vivência de profunda confiança, uma afirmação de identidade. Esta identidade, não sendo ahamkara, o egoísmo, a ilusão que nos separa, e sim a luz radiosa do Eu Sou verdadeiro, é nossa Essência infinita e eterna, consciente e feliz.

‘Vamos à prática’ recebe um capítulo especial, através do qual você mesmo pode organizar suas sessões.

‘Milagres da Yogaterapia’ trata de estudos que têm sido realizados nesta área, assim como da Yogaterapia como um método de treinamento e não de tratamento. Em Yogaterapia, não há o ‘paciente’ e sim o ‘ativo’, aquele que admirando a sua própria vida, por si mesmo, em si mesmo e consigo mesmo, conquista e mantém o tesouro chamado saúde. Aqui procura-se vencer uma doença chamada ‘normose’, a doença de ser normal. O ser humano natural é sadio.

‘Yoga para todas as idades’ destaca Yoga para crianças, para adolescentes, para idosos e para mulheres. No apêndice, encontramos uma fonte maravilhosa de aplicações yogaterapêuticas, indicações e contra-indicações e, por fim, algumas receitas culinárias.

Professor Hermógenes, este mestre do espírito a quem nos curvamos com reverente devoção, nos oferece a sua grande mensagem que se transforma em mantra, em oração, em som sagrado, em instrumento do pensamento, em cura. ‘Entrega, confia, aceita e agradece’ revela a essência de todo o seu ensinamento, que é o Ser sagrado que preservamos dentro do lótus do coração.


Sílvia do Nascimento Aquini ensina Hatha Yoga no YogaLaya, em Florianópolis.

Essa sua resenha foi originalmente publicada nas páginas 94 a 97 da edição no 03, do Inverno de 2004, dos Cadernos de Yoga.

Desiderata

Desiderata

Sílvia do Nascimento Aquini em Pratique, Yoga na Vida
  ·   20 segundos de leitura

3 respostas para “Resenha do livro Autoperfeição com Hatha Yoga”

  1. Foi o primeiro livro sobre Yoga que li. Tinha na minha casa e eu não sabia. Mas o que eu li foi uma amiga que me emprestou, depois descobri o que estava em casa. Muito grato ao Prof. Hermógenes.
    Namaskar!

  2. Incrivelmente o livro é maravilhoso!
    Eu o achei por acaso em um sebo de minha cidade, olhei-o e fiquei com receio de comprá-lo… não comprei. Após uns três meses o livro ainda continuava lá e então comprei, deveria ser mesmo meu.
    Após começar a lê-lo, decididamente entrei de cabeça e faz seis meses que pratico e venho vendo resultados inefáveis tanto fisicamente, como psicológico e energético.
    Hermógenes merece todo nosso respeito, pois contribuiu muito para o yoga no Brasil e mais ainda, tem mostrado a mim a autoperfeição de que tanto necessitava. Vale a pena tê-lo em sua biblioteca.

    Abraços.
    Rafa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *