Começando, Pratique

Resenha do livro Yoga para o corpo, a respiração e a mente

Mohan foi colega de estudos de Desikachar, e ambos aprenderam os Vedas e seus angas com o mesmo guru, Sri Krishnamacharya, em um período em que o mestre lapidava sua abordagem terapêutica

Escrito por Mirko Costa · 5 mins de leitura >

Mohan foi colega de estudos de Desikachar, e ambos aprenderam os Vedas e seus angas com o mesmo guru, Sri Krishnamacharya, em um período em que o mestre lapidava sua abordagem terapêutica, procurando a compreensão de como desenvolver a prática de Yoga levando em conta as necessidades do estudante individualmente.

Mohan e Desikachar também são engenheiros, e os frutos desse coleguismo nutrem o Yoga com o rigor do método científico, para que ele possa ser entendido pela sociedade ocidental como uma metodologia criteriosa, minuciosamente elaborada com o objetivo de recuperar e manter a integridade do indivíduo humano em todos os aspectos (koas). Yoga é o caminho e a chegada de uma pessoa (de volta) para sua verdadeira natureza consciente e realizadora.

Yoga para resolver o problema da mente equivocada

A maioria dos problemas de saúde atuais é originada e agravada por um constante estado de perturbação mental, resultado do estilo de vida afetado pela ignorância (avidya).

A mente comum produz para nós demasiado sofrimento, pois, durante a vigília, encontra-se em estado agitado, obscurecido e distraído. O Yoga cura os problemas da mente ao trazê-la para o estado de foco e absorção, silenciando as perturbações e tornando possível o entendimento das coisas do mundo sem interferências ou falhas na informação. Para que isso aconteça, é necessário apurar a mente, removendo suas impurezas (kleshas).

A prática do Yoga visa a clarear as percepções, a canalizar as atividades mentais na direção desejada e a sustentar o foco sem se distrair (Yoga Sutra I:2).

Percorrendo o caminho da reintegração pessoal

É importante que esse trabalho pessoal seja assistido e orientado por um bom professor, terapeuta ou mestre, sendo que este ajuda a escolher quais as técnicas do Yoga são mais adequadas para o caso em particular e como vão ser utilizadas no tratamento. Este professor pode também orientar quanto aos ajustes ou adaptações que vão ser feitos na execução das técnicas, levando em conta as necessidades e os objetivos do indivíduo. Este livro expõe os princípios básicos pelos quais é feito o planejamento da prática de reintegração pessoal e pode ser considerado um bom guia, muito útil para auxiliar o estudante a entender e construir sua prática personalizada.

O método da terapia yogue da reintegração pessoal baseia-se principalmente em ásana, pranayama e meditação, ou seja nos ramos práticos do Yoga clássico de Patañjali, de onde crescem naturalmente os outros ramos.

Asana, a porta de entrada do caminho da reintegração

O corpo é usualmente o espaço natural para se começar a prática de Yoga. É algo concreto e palpável; sendo assim, é parcimonioso começar-se a partir da disciplina física do Yoga. É mais fácil começar da forma mais grosseira, e, então, ir gradualmente trabalhando na direção dos aspectos mais sutis. A prática correta de asanas serve para promover a integração estrutural, fortalecendo, equilibrando e estabilizando uma unidade integrada formada por corpo, mente e respiração.

A prática dos asanas de reintegração deve respeitar alguns princípios básicos:

1. Ela deve ser equilibrada e confortável e deve tornar o corpo forte e flexível.

2. A coluna deve receber uma ênfase especial, a fim de se corrigir a postura e proteger o sistema nervoso.

3. O roteiro da prática de asanas deve ser adaptado ao estudante para que ele alcance seu objetivo. A prática deve avançar em uma seqüência de passos concatenados e inteligentes (vinyasa krama).

4. A respiração deve servir para adaptar o esforço nas posturas. A respiração também deve integrar o corpo e a mente, servindo inclusive como feedback da prática.

Cada um desses aspectos fundamentais da prática de asanas de integração é bem trabalhado no livro, e isso cria um campo para que o estudante consiga organizar o roteiro de sua própria prática, uma vez conhecido seu objetivo, construir o ambiente da prática e conduzi-la como se fosse uma sinfonia.

O vinyasa krama é o planejamento da seqüência de passos inteligentes e concatenados que o estudante executa para chegar em seu objetivo e sustentá-lo com segurança. Também significa ‘sincronia’. O autor faz considerações sobre o planejamento da prática, como a importância de ser objetivo, de preparar-se bem para alcançar o propósito, de usar as posturas como ferramentas para promover equilíbrio ou harmonização, como e quando fazer o repouso e o encerramento da prática. Explica como escolher os objetivos, que podem ir mudando no decorrer do caminho para tornar a busca aprimorada e sustentável, e também como criar uma seqüência de procedimentos simples para alcançar o objetivo proposto. Uma vez que seja entendido o que se pode esperar de um ásana, ou de uma técnica ou procedimento qualquer, a prática deve então ser adaptada e preparada de acordo com as necessidades individuais para atender ao objetivo proposto.

O papel da respiração noprocesso da reintegração pessoal

Pranayama, a prática da respiração, é um dos mais importantes meios de promover a integração funcional, ou seja, quando o fluxo de energia do sistema fica em ordem, dirigido para um foco. No decorrer do processo, isso leva também à integração psicológica. Essa prática é o maior dos kriyas (disciplina de purificação) e remove as impurezas da mente, ajudando na concentração. O pranayama correto deve servir para promover a união do corpo e da mente, mantendo a mente focada e centrada na atividade presente da respiração.

Meditação em movimento

A terapia yogue compreende que o ser humano é integrado, e as alterações por intervenção terapêutica em um nível de existência pessoal, seja o físico ou fisiológico, exercem efeitos também em todos os demais níveis. Com uma ação efetiva, o praticante pode conquistar a saúde plena da estrutura com asana e, o domínio das funções energéticas com pranayama. Assim terá um bom alicerce para o trabalho no plano psicológico, pois a ausência de integridade psicológica leva à depreciação estrutural e funcional e vice-versa. Quando a mente é perturbada, o corpo e a respiração também são perturbados. Técnicas de meditação tratam desse problema diretamente. Além disso, vários asanas e pranayamas colaboram para que a integração aconteça, graças ao uso bem coordenado do corpo e da respiração.

A integração começa a ocorrer quando se trabalha o vinyasa, na medida em que o praticante começa a experimentar uma espécie de estado meditativo ou de contemplação, mediante a sincronia dos movimentos existentes entre o corpo, a respiração e a mente.

A integração social aparece como o resultado natural da sincronicidade gerada por essas várias práticas e formas de integração. Quando nossos estados estrutural, funcional e psicológico estão em ordem, somos capazes de assumir um posicionamento adequado e empenharmo-nos numa direção social aceitável.

Presença constante e autodescoberta

O mais importante de tudo na prática do Yoga é o constante senso de descoberta de si mesmo. A chave para desenvolver-se a vitalidade na prática é a observação constante, já que a conexão com o presente de todas as alterações e adaptações que precisam ser feitas no caminho tornam-se oportunas e adequadas.

Uma prática bem-sucedida é aquela executada com regularidade e incorporada a todos os outros aspectos da vida. Uma vida de qualidade é feita da harmonia do inter-relacionamento entre alimentação, atividade, lazer, sono, socialização, etc.

O caminho para a reintegração pessoal é o da liberdade de viver o presente, com atenção, reflexão e gratidão, aliando disciplina dos sentidos e uma mente refinada que nos permita perceber nosso lugar no mundo e continuar progredindo, realizando e ajudando a vida.


Mirko da Costa atualmente trilha o Yoga como caminho, entre Florianópolis e Curitiba.

Essa sua resenha foi originalmente publicada nas páginas 98 a 102 da edição no 03, do Inverno de 2004, dos Cadernos de Yoga.

Desiderata

Desiderata

Mirko Costa em Pratique, Yoga na Vida
  ·   20 segundos de leitura

Āsanas para fortalecer a lombar

Mirko Costa em Āsana, Pratique
  ·   8 mins de leitura

2 respostas para “Resenha do livro Yoga para o corpo, a respiração e a mente”

  1. Olá! Eu gostaria de saber aonde encontrar esse livro resenhado pelo Mirko Costa.

    Aguardo resposta.

    Juliana.

  2. Mirko,

    Tenho ouvido aqui e ali comentários sobre o seu trabalho. Em Floripa, através da Carla, amiga da Cláudia Tibana. Talvez sejam suas alunas hoje em dia. Outro dia, em Campo Grande, MS, de onde sou, alguém indicou o seu nome para um workshop.

    Essa resenha está perfeita, e eu ainda não havia lido nos Cadernos de Yoga.

    É engraçado que os indianos, no afã de tornar o Yoga mais compreensível para os ocidentais, criam e recriam obras profundas e sábias a partir dos textos e conhecimentos milenares. Bom para nós, bom para o Yoga, cujos fundamentos sólidos e reveladores se atualizam (na forma de narrar ou de entender) constantemente em benefício da Humanidade.

    Obrigada, namaste!

    Adriana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *