Mantra, Pratique

Sobre o Maha Mantra

Hare significa "aquele que leva embora". O que Hare, ou Rāma, ou Kṛṣṇa levam, são as causas do sofrimento. Rāma é aquele em quem você descobre sua alegria. Kṛṣṇa significa "aquele que é atraente". Qualquer coisa linda ou bela que lhe produza atração, será Kṛṣṇa.

· 1 mins de leitura >

Hare Rāma Hare Rāma
Rāma Rāma Hare Hare
Hare Kṛṣṇa Hare Kṛṣṇa
Kṛṣṇa Kṛṣṇa Hare Hare

Este mantra, chamado Maha Mantra, é muito interessante. Tem até uma Upaniṣad onde se fala sobre ele, a Śāntaḥ Upaniṣad, que é uma das Upaniṣads menores. No mantra original, Rāma vem primeiro e Kṛṣṇa depois. No entanto, os Hare Kṛṣṇa cantam ao contrário, começando com Kṛṣṇa.

Históricamente falando, você sabe que Rāma veio milênios antes que Kṛṣṇa. Esses nomes antecedem, porém, as próprias encarnações de Viṣṇu que levaram esses nomes.

Quando eu comecei a me interessar por estes tema, também, como você, comecei a frequentar alguns satsangs. Tinha um que comecava com este mantra, daquele mesmo jeito que os Hare Kṛṣṇa o cantam.

Os primeiros 15 minutos daqueles satsangs eram com esse cântico. Este mantra sempre me intrigou, como estudioso do sânscrito. Pense por exemplo no mantra Oṁ namaḥ Śivāya, ॐ नमः शिवाय, ஓம் நம சிவாய, ou no mantra Oṁ Gaṁ Gaṇapataye namaḥ, ॐ गं गणपतये नमः||.

Esses mantras são frases completas em si mesmas. Outro tipo de mantra védico, como namasteastu Bhagavān, também é constituído de frases ou conjuntos de frases que fazem sentido.

Agora, neste Maha Mantra, você fica o tempo todo dizendo apenas esses nomes: Rāma, Kṛṣṇa, Hare. Imagine um diálogo entre duas pessoas no qual você fala o nome dela e mais nada. Enfim, este é um mantra que tem essa peculiaridade. O cantamos mesmo assim.

Os vendedores das estações de trem da Índia fazem uns cânticos muito curiosos para anunciar seus produtos. Cada pessoa canta o nome do produto que vende: chai, chai, chai; coffee, coffee, coffee.

Porém, quando você vai ao sul de Chennai, esses cânticos mudam de estilo. Ao invés de ouvir o nome do produto, o vendedor anuncia sua própria presença: chai wallah, chai wallah, chai wallah: coffee wallah, coffee wallah, coffee wallah. “Eu sou o cara do chá, eu sou o cara do café”.

Você chama um desses vendedores e ele lhe oferece um copo de argila, descartável. Esse vendedor, obviamente, não irá lhe perguntar o que você quer. Se você o chamou, é por que você quer o que ele tem. Sem falar, lhe dá aquilo que você quer e pronto. Essa parece ser, igualmente, a intenção do mantra.

Hare significa “aquele que leva embora”. O que Hare, ou Rāma, ou Kṛṣṇa levam, são as causas do sofrimento. Rāma é aquele em quem você descobre sua alegria.

Hare faz desaparecer aquilo que não tem graça para que a graça possa acontecer. Rāma é essa graça.

Kṛṣṇa significa “aquele que é atraente”. Qualquer coisa linda ou bela que lhe produza atração, será Kṛṣṇa.


Este texto fez parte do satsang do dia 23 de março de 2011 no Ashram de Rishikesh. Tradução e transcrição de Pedro Kupfer.

Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.

Bhajehaṁ

Bhajehaṁ Bhajehaṁ

Swāmi Dayānanda Saraswatī em Mantra, Pratique
  ·   39 segundos de leitura

10 respostas para “Sobre o Maha Mantra”

  1. Quando canto esse mantra….parece que não existe mais nada além da Alegria…ocorre exatamente isso!
    Viva o poder do mantra despertando nossa verdade auspiciosa!
    Viva a transmissão dessa sabedoria divina !
    Hare Rama!
    Namaste!

  2. Acredito no poder do mantra e além disso o maha mantra desperta o interesse no yoga . E caitanya mahaprabhu vem com a intenção de somente cantar esse mantra e distribuir livros de srila prabhupada. E o maha mantra limpa todas as atividades pecaminsosas que alguem cometeu. Namaste

  3. Que beleza, eu não conhecia o poder desse mantra.
    Quando entoá-lo vou colocar minha intenção nisso!

    Namastê!

  4. Pedro, obrigado por compartilhar conosco estas pérolas de sabedoria da Índia. Penso que elas são muito importantes para contrabalançar a relativa frieza do nosso mundo ocidental que vem se tornando cada vez mais científico e tecnológico. Esse texto me lembrou de um outro que li em algum lugar, segundo o qual a palavra que provavelmente soa mais agradável para uma pessoa é o seu próprio nome dito de forma carinhosa por outra pessoa. Abços, Augusto

  5. Muito Obrigada por partilhar estes textos com quem não pode estar na Índia!

  6. ehehehe e que assim seja…….
    que tudo o que é não bom seja levado,
    que a alegria fique instalada,
    e que tudo se torne belo aos nossos sentidos.

    NAMASTE!!!

    Adriane

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Próximo: Da confiança