tradução por Pedro Kupfer

Nascido em Montevidéu, Uruguai, em 13 de maio de 1966. Hoje com 54 anos de idade, descobriu o Yoga aos 16 e pratica desde então. Considera o Yoga mais uma forma de vida do que uma atividade que simplesmente se faz dentro de uma sala.
Desde cedo, Pedro não se sentiu confortável no meio acadêmico, abandonando o curso de Antropologia na Faculdade de Humanidades e Ciências da Universidade da República Oriental del Uruguay, por perceber que a proposta eurocentrista vigente à epoca naquele meio acadêmico não saciava sua sede de conhecimento.
Estabelece o primeiro contato com o Yoga através de um workshop intensivo em 1983 com a professora indiana Swāmi Yogashakti, discípula de Swāmi Satyānanda. Continua praticando com os professores do Satyānanda Niketan, em Montevidéu, até se mudar para o Brasil em 1986. Participa do curso de extensão universitária para formação de instrutores de Yoga na PUC de Porto Alegre no mesmo ano.
No final de 1986 e até março de 1987 viaja para a Índia, residindo em Rishikesh, no Ram Ashram e praticando no Sivānanda Ashram com o professor Rudra Dev, discípulo de BKS Iyengar. Na mesma viagem visita diversos ashrams e institutos de Yoga no país.
Reside na França em 1987, ensinando técnicas de Yoga ao grupo de dança e teatro Couti D’Arbac, de Marseille. Volta para o Brasil em 1988 e começa a ministrar cursos intensivos pelo país. Faz três viagens para ministrar cursos e participar de congressos de Yoga em Portugal e na França entre 1990 e 1996. Viaja também em diversas ocasiões para a Argentina e o Uruguai para ministrar cursos no mesmo período.
Organiza, entre 1990 e 1996, o Festival de Yoga, em Saquarema, com professores e participantes convidados de Portugal, Argentina, Uruguai e Brasil. Desde 1998 lidera regularmente grupos de estudo em viagens pela a Índia, com a finalidade de visitar escolas de Yoga e lugares sagrados.
Desde 1996, Pedro conduz grupos de Yoga para a Índia, onde apresenta aos viajantes os seus professores e os lugares onde praticou e pesquisou Yoga, Vedānta e a espiritualidade indiana.
Estuda e faz práticas intensivas na Bihar Yoga Bharati, Universidade de Yoga da Índia, em Munger, Bihar, em 1996. Reside até julho do mesmo ano no Omanand Yogashram, em Indore, onde recebe iniciação no ritual do fogo na tradição do Ārya Samāj, fundado por Swāmi Dayānanda Saraswatī.
Em 1999 cria o website www.yoga.pro.br, que rapidamente se transforma em referência para pesquisas, no campo do Yoga. Este site é hoje o maior em língua portuguesa sobre o assunto, contando com mais de 1000 artigos e textos escritos por mais de 200 colaboradores que contribuem regularmente para o seu acervo.
Entre eles, encontramos grandes mestres e estudiosos de renome internacional como Georg Feuerstein, David Frawley, Swāmi Jñaneswarananada, Swāmi Dayānanda, José Hermógenes, Subhash Kak, Daniel Odier e outros, além de reunir uma quantidade expressiva de textos sagrados sobre Yoga e hinduísmo em tradução portuguesa.
Desde o ano 2001 ministra anualmente o Curso de Formação de Professores de Yoga. Primeiramente em Florianópolis - SC, logo em Bombinhas - SC, e posteriormente em Ubatuba - SP e a Vila da Ericeira, em Portugal.
Volta para a Índia em 2001, onde pratica com K. Pattabhi Jois, discípulo de T. Krishnamacharya, em Mysore, fundador e diretor do Ashtanga Yoga Nilayam, Centro de Pesquisa de Ashtanga Yoga. Retorna todo ano para a terra do Yoga para continuar suas pesquisas e estudos, orientado desde 2000 por seu mestre, Swāmi Dayānanda, com quem estuda em Rishikesh.
Em 2004 lança, junto com a equipe do Instituto Dharma – Yogashala, os Cadernos de Yoga, publicação técnica especializada em Yoga, de edição trimestral, que já está no seu sétimo ano de existência: www.cadernosdeyoga.com.br.
Foi colunista regular e integrou, desde a sua fundação em 2007, o Conselho Editorial do Yoga Journal, www.yogajournal.com.br, versão brasileira do Yoga Journal estadunidense, uma das mais conhecidas publicações mensais sobre Yoga.
Pedro escreveu, ou traduziu e comentou, nove livros sobre Yoga:
1. Yoga prático teoria e prática da filosofia yogika
2. Dicionário de Yoga compilação de termos técnicos do Yoga
3. Respire! Yoga e energia exercícios respiratórios e de purificação
4. História do Yoga pesquisa sobre as raízes do Yoga
5. Mudrā, gestos de poder linguagem gestual do Yoga, a dança e o ritual hindu
6. Guia de meditação manual de concentração e meditação
7. Visões do Yoga antologia dos śāstras do Yoga, prefaciado pelo prof. Hermógenes
8. Rāmagītā tradução comentada, baseada nos ensinamentos de Swāmi Dayānanda
9. Haṭhayoga Pradīpikā tradução do manual medieval de práticas avançadas
Trabalha presentemente sobre uma tradução do Yogasūtra, que levará o nome de O Yoga de Patañjali.
Atualmente mora na Vila da Ericeira, no litoral oeste de Portugal. Para saber mais sobre o trabalho de Pedro, visite por favor o website www.yoga.pro.br.

975 artigos por tradução por Pedro Kupfer

Haṭhayoga Pradīpikā

Nova edição digital da Haṭhayoga Pradīpikā para download livre. Esta edição da Pradīpikā é a nossa oferenda à comunidade do Yoga. Portanto, fique à vontade para inspirar-se, duplicar, imprimir, divulgar, compartilhar com seus amigos e desfrutar livremente destes ensinamentos. Boas práticas!

19/04/2018 · 7 mins de leitura >

Māṇḍukyopaniṣad

Temos, entre as principais dez Upaniṣads, a Māṇḍukya, que pertence ao Athārvaveda. Ela segue um prakriyā, um método de investigação que inclui um modo de resolver um problema que em verdade não existe. Na visão da Upaniṣad, não há problema. Quando se diz que você já é aquilo que quer ser, é porque não há problema algum para ser resolvido.

Kaṭha Upaniṣad

O Ser é o sol que brilha no céu, o vento que sopra no espaço, o fogo no altar e o hóspede no lar. Ele vive nos seres humanos, nos deuses, na verdade e no vasto firmamento. Ele está no peixe nascido das águas, na planta que cresce na terra, no rio que flui desde a montanha.

28/07/2016 · 56 mins de leitura >

Sūrya Upaniṣad

Oṁ. Contemplemos o esplendor do divino Sol vivificante, presente na terra, na atmosfera e no céu. Que ele ilumine nossa visão. Do Sol, de fato, nascem todas as criaturas: as que se movem e as que permanecem fixas. De Surya, de fato, nascem as criaturas, o yajña (ritual do fogo), o parjanya (as chuvas), o alimento e o alento vital. De Āditya nascem Vāyu, Bhūmi, as águas, o fogo, os céus, as direções, os Devas e os Vedas; o Sol arde nesta esfera.

17/12/2014 · 5 mins de leitura >

Brahman como o Homem Cósmico – Chāndogyopaniṣad

“Ó filho de Upamanyu, sobre que Ser você medita?” Ele respondeu: “Apenas sobre o Céu, venerável rei”. “O Ser sobre quem você medita”, disse o rei, “é Vaiśvānara, a soma de todos os seres do universo, chamado Sutejas (Boa Luz)".

16/11/2013 · 4 mins de leitura >

A História de Satyakāma

O mestre aceita o menino sem reservas, e lhe propõe uma provação: ficar morando no mato sozinho por um tempo, cuidando do gado. Nesse período, ele será instruído pelos animais selvagens, bem como pelo próprio fogo sagrado, Agni. Finda essa provação, ele recebe a instrução da boca do próprio mestre.

23/10/2013 · 4 mins de leitura >

Shiva Samhita: Capítulo I

O nome Shiva Samhita significa em sânscrito 'Coleção [de Ensinamentos] de Shiva'. É um texto em 540 estrofes sobre Hatha Yoga datado do século XVII desta era

28/07/2005 · 12 mins de leitura >

Amritabindu Upanishad

Diz-se que a mente pode ser de dois tipos: pura e impura. Quando é governada pelos sentidos, torna-se impura; porém, com os sentidos sob controle, a mente torna-se pura.

23/06/2003 · 1 mins de leitura >

Kularnava Tantra (fragmento)

Quando nem sequer há consciência, senão a quietude da água parada, esa meditação despojada se chama samadhi. A Realidade brilha por si própria, não somente pelos pensamentos da mente. Chama-se yogi aquele cujo movimento respiratório cessa, imóvel como uma pedra e que somente conhece o Ser e a Morada supremos. Quando nem sequer há consciência, […]

30/07/2001 · 1 mins de leitura >