Meditação, Pratique

Meditação: a Vida como é

Durante as suas palestras no Rio de Janeiro, em janeiro de 1984, Swāmi Dayānanda dedicou uma atenção especial à meditação. Este artigo é uma condensação do que ele disse sobre esse assunto ao longo de várias palestras.

Escrito por Swāmi Dayānanda Saraswatī · 10 mins de leitura >
dharma

Durante as suas palestras no Rio de Janeiro, em janeiro de 1984, Swāmi Dayānanda dedicou uma atenção especial à meditação.

Este artigo é uma condensação do que ele disse sobre esse assunto ao longo de várias palestras.

O início é a síntese dessas palestras. A segunda parte do texto, um roteiro de meditação que você pode gravar com a sua própria voz, falando pausadamente. Boa prática.

॥ हरिः ॐ ॥

Hoje em dia, quando se diz que vai chover no final de semana, as pessoas dizem: “Oh! Más notícias”. Porém, se as chuvas não vierem nunca, você não terá um mau final de semana: terá um mau ano, sem água na torneira. Isso é um condicionamento. É assim que olhamos as coisas.

Se isso sou eu, eu sou um idiota. As nuvens são nuvens, o que há de errado com elas? Cada uma delas está fazendo seu papel. As leis meteorológicas funcionam: se a atmosfera estiver preparada, a chuva ocorrerá.

Se você quer evitar a chuva, faça alguma coisa: pulverize alguma coisa nas nuvens que as faça desaparecer. Mas do que serve ficar reclamando?

Se você acha que isso é uma coisa pequena, as coisas pequenas é que nos fazem. A vida é uma sequência de coisas pequenas. Coisas grandes só raramente ocorrem. E quando elas ocorrem, você não está lá!

Nós somos condicionados e reagimos às situações como autômatos. As pessoas dos meios de comunicação também são autômatos. E eles dizem exatamente como devemos proceder.

Meditação é somente você ser a pessoa que você é. Você é dotado de um corpo, de sentidos e de uma mente, que tem memórias, emoções e conhecimentos, e é consciente de todos eles.

Você é uma pessoa. Uma pessoa se torna uma personalidade por causa dos medos, ansiedades e muitos outros problemas.

Raiva, inveja, insegurança, tudo isso faz de uma pessoa uma personalidade. Tudo isso é criado por você mesmo. Na meditação você reduz todas as situações a simples fatos.

meditação

Quando você aceita as situações, elas se tornam simples fatos para você. Quando rejeita as situações, você se torna uma personalidade. O fato é que você é uma pessoa com um corpo, sentidos, uma mente e fora, como objeto de seus sentidos, está o mundo.

Quando você apenas vê fatos, você é uma pessoa que não exige nem necessita de coisa alguma. Quando você é uma pessoa que exige ou necessita de alguma coisa, nesse momento está interagindo com o mundo.

Quando apenas aprecia o mundo, você é somente você mesmo, e o mundo é como ele é. Você não está exercendo papéis.

O problema é que cada papel acumula resíduos. Portanto, você tem que neutralizar e remover esses resíduos, para você ser o que é e as coisas serem o que elas são.

No processo da meditação os resíduos devidos aos papéis são neutralizados. Meditação é ser independente de papéis. Esse estado de não fazer papéis não é desconhecido para você.

Quando olha para as estrelas de noite no céu, que tipo de pessoa você é? É uma pessoa que exige alguma coisa? É uma pessoa com raiva? “Que céu inútil!”. Você diz isso? Você é uma pessoa que quer que o céu seja diferente?

Se for, seu problema é mais sério do que eu possa resolver (eu aceito minhas limitações…). Se o céu e as estrelas não evocam em você uma pessoa exigente, então você descobre que é uma pessoa não exigente e apreciativa.

Você pode ser essa pessoa em relação a qualquer situação, porque qualquer situação é um fato tanto quanto o céu e as estrelas o são.

Da mesma forma como você vê o céu e as estrelas, deve ver as nuvens e a chuva, os vales e as montanhas, os rios e os riachos, os lagos e as lagoas, uma árvore, um inseto ou uma flor.

Isso deve ser uma atitude muito natural de sua parte. Se você aprecia essa bela pessoa, que é não exigente e apreciativa, você deve ser essa mesma pessoa em relação às pessoas e às coisas que lhe incomodam.

Isso é meditação. Isso põe as coisas como elas são e você como você é. Vamos fazer isso agora.

Meditação conduzida por Swāmijī

Oṁ. Sente de forma relaxada. O relaxamento não é uma coisa física. Você não faz nada para relaxar. As pessoas ficam tensas para relaxar, mas relaxar é somente uma atitude.

Você tem um encontro com você mesmo. Não necessita de um amigo. Não necessita de nenhuma fachada, de nenhum fingimento, e muito menos de nenhuma tensão. Você vai ser apenas você mesmo.

Você não é nem marido nem esposa, nem mãe nem pai, nem doutor nem filho, nem tio nem primo, nem vizinho nem amigo, nem empregado nem empregador…

Você é somente uma pessoa. Você não é nem pobre nem rico, nem velho nem moço, você é somente uma pessoa. E, portanto, apenas relaxe.

Assim como você está, sem nenhuma mudança de sua parte, você pode descobrir a você mesmo como uma pessoa que é livre, que é simples e que não é uma personalidade.

Visualize mentalmente o céu, à noite, limpo, claro, e as estrelas. Ao ver o céu e as estrelas, você se vê em relação a eles como uma pessoa que não está exigindo nada.

Você não deseja que o céu seja diferente, ou que as estrelas sejam diferentes. Veja você mesmo como é, o que você é. Não vê que é uma pessoa simples, consciente e apreciativa…

Isso é o que você é. Você pode ser essa pessoa em relação a qualquer situação. Se essa pessoa deseja, ela é criativa. Se essa pessoa delibera, questiona, o questionamento em si é fascinante.

É essa pessoa que se torna amorosa em relação a alguém. Se esse alguém merece compaixão, o amor se torna compaixão, porque essa pessoa não está condicionada por gostos e aversões.

Essa é uma pessoa simples, amorosa, que se torna compassiva, compreensiva, prestativa, generosa, e naturalmente de acordo com a situação.

Em meditação, tudo o que você faz é reduzir os fatos aos fatos. Você é uma pessoa consciente, apreciativa em relação ao céu e às estrelas. Da mesma forma pense no Sol, seja um Sol quente ou um Sol poente.

Você não tem reclamação a fazer pelo que ele é. Seja o Sol de verão, seja o de inverno, aceite o Sol como ele é. Se não suportar o calor, vá para um lugar fresco, mas aceite o Sol como ele é.

Da mesma forma em relação aos vários planetas, você não tem reclamação a fazer. Júpiter, Mercúrio, Marte, Vênus, Saturno… Tome esses planetas como eles são.

Visualize um grupo de nuvens. Você é apenas uma pessoa que aprecia o fato de que há nuvens. Agora está chovendo. Aceite a chuva como ela ocorre. Olhe para a Terra. O fato de ser um globo não incomoda você.

Por ela estar inclinada a mover-se ao redor do Sol, você não tem reclamação a fazer. Por ter oceanos e continentes, por ter montanhas e vales, por ter rios e riachos, por ter lagos e lagoas e por ter florestas e desertos, você não tem reclamação a fazer.

Na Terra existem plantas, árvores e trepadeiras, flores e frutos, hortaliças e legumes. Alguns você pode gostar, outros não. Veja aqueles de que não gosta como simples vegetais.

Aquelas frutas de que você não gosta, tome-as como simples frutas. Se você tem uma casa com um gramado, a grama é o que você deseja, e as outras plantas você chama de ervas daninhas. Você pode ter raiva delas.

Mas não, não são ervas daninhas. São apenas plantas. Se você criasse capim, a grama seria erva daninha. Se você quiser, pode removê- las, mas que não haja raiva de sua parte. Tome-as como elas são.

Da mesma forma em relação aos animais. Os animais selvagens e domésticos, os carnívoros e os herbívoros, as diversas variedades de animais, incluindo os insetos, tome- os todos como eles são.

Se você despreza algum deles, se você não gosta de algum deles, traga esse animal à sua mente. Olhe para ele. Tome-o como ele é. Você não pode ter raiva de um mosquito ou mosca. Eles são como são.

São feitos para agir como agem. Faça o que deve ser feito para evitá-los, para mantê-los longe, e até mesmo para eliminá-los, se são prejudiciais à sua saúde, mas não tenha raiva. Tome-os como eles são.

Da mesma forma, olhe para a humanidade. Que variedade de seres humanos nós vemos! Há diferentes raças: a mongólica, a negra, a branca, a mestiça, como temos aqui… Cada etnia tem traços peculiares. Tome-as todas como elas são.

Olhe as maneiras de vestir-se e os modos de vida, as comidas e os hábitos de comer, as formas de música e de dança, as várias línguas e dialetos, as diferentes religiões e seus conceitos de Deus, as formas de oração e culto, mesmo as cerimônias estranhas, e tome-as todas como elas são.

Se você quiser, se estiver convencido de que elas podem ser melhoradas de alguma forma, então faça o que deve ser feito, mas tome-as todas como elas são. Elimine totalmente de sua cabeça as zombarias étnicas.

Olhe para o seu próprio país e as diferentes pessoas. Tome-as todas como elas são. Os brancos, os mestiços, os negros… Tome-os todos como eles são.

Se você pode ajudar uma determinada comunidade, faça o que puder para ajudar para melhorar sua saúde e bem-estar, mas tome-os como eles são. Tome as pessoas como elas são.

Se você não gosta ou despreza alguém pela sua cor, etc., traga essa pessoa à sua mente. Veja essa pessoa como ela é, sem desprezo, sem desgosto, e apenas aprecie a pessoa como ela é.

Você tem que se descondicionar. Tem que ser uma pessoa, não uma personalidade. Você não é uma personalidade, é uma pessoa.

O governo, tome-o como ele é. Não tenha raiva pela sua política. Se quiser, tente modificar o governo. Não tem nenhum sentido reclamar consigo mesmo e não fazer nada.

As pessoas que comandam o governo também são como você. Elas fazem o que podem. Se forem incapazes… bem, são incapazes. Se você é capaz, faça alguma coisa. Se você acha que alguma política melhor pode ser iniciada, faça o que puder.

Pelo menos escreva uma carta para o seu jornal. Tudo o que eu digo é: aja! Faça o que puder! Mas não deixe que os políticos criem em você uma reação de raiva, frustração ou desespero.

As pessoas com quem você trabalha, tome-as todas elas como são. Se há uma pessoa ou pessoas que lhe perturbam, que lhe fazem ficar com raiva… Bem, tome essas pessoas como elas são.

Se você não é compreendido por elas ou não as compreende, tente fazer-se entender ou tente compreendê-las. Lembre-se de que cada um tem uma mente, e cada um segue os ditames de sua mente.

Você pode reprogramar a pessoa, pode mudar a pessoa, mas você pode não ter a habilidade para fazer isso. Portanto, tome as pessoas como elas são e faça o que puder.

Cada um tem suas limitações, cada um tem suas virtudes. Se acha que é impossível trabalhar nesse lugar, procure outro emprego, mas aceite as pessoas como elas são.

Olhe para seus pais. Seu pai, aceite essa pessoa como ela é. Sua mãe, aceite essa pessoa como ela é. Suas limitações, suas virtudes, tome-as todas como elas são. Por trás de suas exigências existe sempre um amor.

Um amor que deseja, que deseja que você seja grande, que seja alguma coisa. Eles têm um ideal de você: que você seja grande à sua própria imagem. Bem, eles são humanos.

Portanto, aprecie o amor que eles lhe têm. Você descobrirá que não tem nada contra eles, mas é grato a eles. Pelo menos há pessoas na vida que se preocupam com o seu bem-estar. Tome-os como eles são.

Se pode comunicar-se com eles, comunique-se. Se quiser que haja alguma mudança em seus valores, por favor tente mudá-los, mas tome-os como eles são.

Olhe para seu parceiro da sua vida, tome essa pessoa como ela é. Sua aparência, sua capacidade, suas habilidades, suas emoções, seu conhecimento, sua história…

Tome essa pessoa como ela é. Aqui está uma pessoa com quem você partilha sua vida. Não é importante que você a tome como ela é?

Pode haver uma vida feliz se a pessoa não é tomada como ela é? Quando você exige, você não compreende. Quando rejeita, também não compreende.

Tome a pessoa como ela é, e descobrirá que você tem todo o amor para compreender. Nessa aceitação você descobrirá que tem uma atmosfera de amor na qual todas as mudanças, e mudanças miraculosas, são possíveis.

Seus filhos, olhe para eles como pessoas independentes. Eles não são como suas mãos e pernas. Não são parte de você. Cada um é uma pessoa independente, com corpo, mente e alma.

Portanto, olhe para eles como pessoas independentes que estão crescendo sob seu amor, cuidado e orientação. Tome-os como eles são e faça o que deve ser feito.

Tome o seu físico como ele é. A altura do corpo, não há nada de errado nela. O peso do corpo, não há nada de errado nele.

Se você quer reduzí-lo, faça alguma coisa para isso, mas aceite o corpo como ele é. A cor do corpo, homem ou mulher, jovem ou velho, tome o corpo como ele é.

Não existe o que pode ser chamado de corpo bonito ou feio. Existe apenas um corpo vivo ou um corpo morto. E você tem um corpo vivo. Se ele não é saudável, faça-o saudável.

Faça o que puder, mas não existe um corpo feio. Aceite isso. Aceite o corpo como ele é. Fique feliz, por ter um corpo vivo.

Aceite a mente. Seus humores, suas mudanças, suas raivas, invejas e ciúmes… apenas aceite a mente como ela é. Seu conhecimento, suas limitações… aceite-as.

Aprenda. Continue aprendendo. Suas memórias, tome-as como elas são. Que não haja nenhuma memória passada que lhe incomode.

Traga todas as memórias desagradáveis, uma depois da outra, e olhe-as de frente. Então, aceite sua ignorância e continue aprendendo.

Você é consciente da ignorância, das lembranças, do conhecimento, da mente e de seus condicionamentos, dos sentidos, do corpo, do mundo…

Essas palavras são o mundo para você agora. Você está frente ao mundo das palavras. Essas palavras são ouvidas em você, Consciência. Essas palavras não perturbam você, Consciência.

Você não vê que é uma pessoa simples e consciente, ou uma pessoa que é simplesmente Consciência. Livre da culpa é você, Consciência.

Livre de mágoa é você, Consciência. Você consegue enxergar-se apenas como uma pessoa, como Pena Consciência?

Você consegue perceber que a Consciência e o silêncio são idênticos? Percebe que as palavras que ouve agora não perturbam a Consciência, e muito menos o silêncio?

Você é, na verdade, o silêncio. Esteja a mente pensando ou não, você é silêncio. Isso é diferente de um silêncio que é uma trégua entre duas agitações. Você é silêncio porque é Consciência.

Oṁ… Oṁ… Oṁ… Quando escuta esse som você é Consciência, silêncio. Quando não escuta esse som, você é Consciência, silêncio. Oṁ… Oṁ… Oṁ…

Agora, devagar, abra os olhos e movimente o corpo em silêncio. Observe como você está. Externalize a atenção aos poucos. Abra os olhos lentamente. A meditação conclui-se aqui.

Esta meditação na vida diária

Todos os dias, antes de ir para a cama, faça essa meditação. Ela neutralizará os problemas do dia. Também poderá começar o dia com ela, se tiver tempo.

Mas tenha certeza de terminar o dia com essa meditação. Dessa forma, não haverá resíduos. Os problemas do dia serão neutralizados antes de você ir para a cama.

Você irá para a cama como uma pessoa, não como uma personalidade. Levantar-se-á como uma pessoa, não uma personalidade.

॥ हरिः ॐ ॥

+ sobre a obra de
Swāmi Dayānanda
aqui e aqui

+ práticas de meditação aqui

॥ हरिः ॐ ॥

Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.

Escrito por Swāmi Dayānanda Saraswatī
Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.
Perfil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *