Conheça, Vedānta

Motivação e conhecimento

O motor que coloca em movimento a transmissão do conhecimento são as dúvidas do estudante. Essas dúvidas fazem com que o professor lhe ensine no ritmo que ele necessita

· 1 mins de leitura >

O motor que coloca em movimento a transmissão do conhecimento são as dúvidas do estudante. Essas dúvidas fazem com que o professor lhe ensine no ritmo que ele necessita. O estudante fornece a motivação. Se ele não perguntar, o professor não ensina. O estudante esquece, pergunta de novo, e o professor então ensina. Mas isso só acontece se o estudante estiver motivado.

Brahmasambandhanim é aquilo que outorga o fim mais elevado, o conhecimento de Brahman. Sambandha significa conexão, união, conjunção. O conhecimento se obtém sempre após superar alguma dificuldade, algum obstáculo. Sempre é preciso renunciar a alguma coisa para se obter outra. Se você está aqui, está renunciando a estar noutro lugar neste momento. Em todas as situações, há alguma perda em qualquer ganho e algum ganho em qualquer perda.

Não é possível obter-se Brahmavidya em cinco minutos. Isso envolve um processo. Para aquele que sempre tem pressa, que sempre está atarefado, este conhecimento não é.

Lembro uma estória: um Swamiji conhecido meu morava nesta floresta, nos anos 1960. Ele recebeu a visita de outro Swami, que lhe pediu 15 palestras sobre a Bhagavad Gita. ‘Porque 15?’, perguntou o professor. ‘Porque eu vou viajar para o exterior e vou dar aulas sobre a Gita.’ Como poderia ele aprender a Gita inteira em 15 aulas, em só 15 dias? Ele estava convencido de que poderia aprender tudo nesse período. Ele tinha vindo para Rishikesh para estudar com o Swami Sivananda, mas ele já estava morto havia cinco anos. Ele disse que recebeu iniciação de Sivananda por correio, no lugar onde ele morava. Ele conduzia satsangs na sua terra natal.

Ao falecer, Swami Sivananda tinha deixado uns livros para este Swami. Dentre eles, havia um texto chamado Tattva Bodha, que tem umas idéias e definições simples sobre Vedanta. Ele escolheu esse livro e ensinou o texto para o estudante afobado. Depois, este foi embora, ensinar a Gita para os americanos. Não é assim que o conhecimento deve ser impartido. Não é assim que ele deve ser aprendido.

Você deve ter o desejo de moksha, e fazer a escolha de aprender. Depois, você deve organizar a sua vida de forma que haja lugar para o estudo no seu cotidiano. No compromisso de aprender, está Brahman. Esse compromisso com Brahman. Quando a mente estiver preparada, o conhecimento sobre Brahman pode ser impartido. Após a aposentadoria, por exemplo, você pode fazer muitas coisas. Se tiver motivação, o conhecimento sobre Brahman pode ser a sua prioridade.

Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.

Uma resposta para “Motivação e conhecimento”

  1. Obrigada Pedro. Obrigada por tornares possível que leiamos palavras sábias como estas. O teu compromisso é um exemplo para mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *