Pratique, Yoga na Vida

Pratipakṣa Bhāvana: Livre-se de Pensamentos Indesejáveis

Pratipakṣa bhāvana é uma das práticas mais poderosas e eficientes do Yogasūtra. Infelizmente, o alcance e propósito dela nem sempre é bem compreendida, pois dizer que pratipakṣa bhāvana significa apenas convivência com o oposto do indesejável pode induzir a confusões.

· 4 mins de leitura >
bhāvana

vitarkabādhane pratipakṣa bhāvanam ॥ 33 ॥
वितर्कबाधने प्रतिपक्षभावनम् ॥ ३३ ॥
Quando surgirem pensamentos indesejáveis, estes podem neutralizar-se convivendo-se com os seus opostos.

vitarkā = construções mentais, cognições
bādhane = perturbações, conteúdos aflitivos ou indesejáveis
pratipakṣa = oposto
bhāvanam = conteúdo, pensamento, atitude

Pratipakṣa bhāvana é uma das práticas mais poderosas e eficientes do Yogasūtra. Infelizmente, o alcance e propósito dela nem sempre é bem compreendida, pois dizer que pratipakṣa bhāvana significa apenas convivência com o oposto do indesejável pode induzir a confusões. 

Dizemos isso porque apenas negar algo que percebemos como indesejável simplesmente não funciona nem traz o resultado esperado.

Se o seu filho pedir um sorvete e você negar, mesmo que seja da maneira mais amorosa, sua resposta não irá eliminar o desejo dele pelo doce e pode ainda fazer com que a criança fique triste ou frustrada.

Se você se deixa levar pela tentação de dormir demais ao longo do dia depois de uma noite de insônia, é bem provável que essa decisão afete negativamente o seu ritmo circadiano nos próximos dias.

Pratipakṣabhāvanam é a prática que nos ajuda a lidar da forma mais construtiva com esse tipo de situação.

Nesse sentido, esta atitude não é uma mera negação de pensamentos ou desejos. Em verdade, a técnica funciona no sentido de nos dar motivação e foco.

Existem três formas de pratipakṣabhāvanam:

  1. a primeira acontece pela busca das possibilidades construtivas;
  2. a segunda, pela reflexão sobre o impacto das nossas decisões;
  3. a terceira consiste em evitar o julgamento precipitado.

Três práticas de pratipakṣa bhāvana

Existem três formas de pratipakṣa bhāvana: a primeira acontece através da busca das possibilidades mais construtivas; a segunda, pela reflexão sobre o impacto que as nossas decisões têm a longo prazo; a terceira consiste em evitar o julgamento precipitado.

1) Foco nas alternativas edificantes

Em primeiro lugar, ao identificarmos pensamentos ou sentimentos que sabemos que não nos fazem bem, o que nos cabe fazer é substituí-los por opções mais construtivas.

Isso pede um pensar deliberado, e ao mesmo tempo, na medida do possível dentro de cada situação, evitar agir de maneira precipitada ou mecânica. 

Assim, no caso do exemplo da noite mal dormida que mencionamos acima, ao invés de me deixar levar pela inércia, posso optar por fazer uma caminhada ou escolher outra atividade perto da natureza e resistir à tendência a dormir fora do horário.

Isso será mais saudável e ao mesmo tempo irá proteger a higiene do meu sono.

Essa estratégia é mais eficiente do que tentar convencer a mente de que não tenho sono nem preciso de descanso. Se, no diálogo interno, consigo seduzir a mente no sentido de compreender a vantagem de fazer escolhas mais saudáveis, so tenho a ganhar com isso. 

Por exemplo, posso dizer para ela: “minha querida, entendo que você esteja com sono, porém, se pensar junto comigo irá convir que há uma alternativa melhor e mais desejável: dar um passeio no campo.

Isso irá facilitar uma noite de descanso reparador, e você sabe o quanto isso é importante para a nossa qualidade de vida”.

Resumindo, esta forma de pratipakṣa bhāvana consiste em trazer à mente, de maneira deliberada, uma alternativa mais saudável àquela que surge como resultado dos condicionamentos ou desejos irrefletidos. 

Conhecida é a tendência da mente a exagerar as coisas. Essa tendência é justamente a que fortalece a ânsia pela realização dos desejos.

A boa notícia é que ela pode ser revertida em nosso próprio benefício se, por exemplo, ao invés de focar no que é inconveniente ou indesejável, colocarmos a nossa atenção nas alternativas saudáveis. 

Na continuação do exemplo do sono, a continuação do diálogo interno poderia dirigir-se à importância de ter uma disciplina diurna que facilite o sono, do quão fundamental é a exposição ao sol ao longo do dia para melhorar a qualidade do sono à noite e temas correlatos.

2) Reflexão sobre o impacto das nossas decisões

Se a primeira forma de pratipakṣa bhāvana é uma espécie de substituição afirmativa, a segunda consiste em ponderar sobre os aspectos negativos daqueles conteúdos indesejáveis, para criar uma motivação continua que nos ajude a nos manter afastados deles.

Nesse sentido cabe lembrar que, se nos deixamos levar por desejos, impulsos ou condicionamentos indesejáveis em busca de um prazer transitório, é pela simples razão  de que não paramos para pensar nas suas consequências a médio ou longo prazo.

Uma boa reflexão sobre esses temas pode nos ajudar a completar o processo do pratipakṣa bhāvana ponderando sobre os resultados que esses impulsos podem ter nas nossas vidas. Um clássico exemplo deste tipo é a relação que estabelecemos com a comida.

Quando nos deixamos seduzir pela indulgência ou o excesso no comer, poucas vezes pensamos nos efeitos indesejáveis desse hábito.

No entanto, quando paramos para pensar sobre o quanto isso pode ser prejudicial para a nossa saúde, tenderemos a ser mais comedidos e frugais na próxima oportunidade.

Desta maneira, assim como na primeira abordargem do pratipakṣa bhāvana, não lutamos contra a mente, nem a forçamos, nem a vemos como uma inimiga.

Pelo contrário: usamos essa faculdade para ganhar foco e motivação, para reforçar os nossos propósitos mais elevados, saudáveis e construtivos.

3) Evitar o julgamento precipitado

Vencer a tendência natural a se deixar arrastar pelo julgamento precipitado é um passo importante nessa caminhada.

Se o nosso problema for julgar leviana ou precipitadamente, podemos resolvé-lo de maneira eficiente ao exercer a continência verbal. 

Isto quer dizer evitar o primeiro impulso para verbalizar uma ideia antes de que a análise de todos os fatores tenha sido concluída, para verificar se a minha apreciação coincide com a realidade dos fatos.

E, depois de guardarmos para nós mesmos esse tipo de julgamento, poderíamos fazer ainda um exercício de aceitação da situação, reconhecendo que cada pessoa faz sempre seu melhor dentro das circunstâncias que lhe cabem, ainda quando as ações pareçam ter sido feitas de maneira deliberadamente errada.

Assim, exercendo essa autodisciplina que nasce da continência e do esforço sobre nós mesmos, da nossa motivação pela superação e do foco que mantemos na prática, purifica-se a mente e a ainda fortalecemos a vontade.

bhāvana
Graffitti do artista anônimo, conhecido com Banksy

Conclusões sobre o pratipakṣa bhāvana

No início, estes três exercícios poderão nos parecer difíceis, dada a imensa força dos condicionamentos.

Porém, se quisermos ter uma ideia de a quantas anda a nossa evolução e o nosso crescimento emocional, este é um bom termômetro: conseguimos, de fato, evitar o impulso de nos queixar desnecessariamente ou de falar mal dos demais? 

Cabe a cada um de nós experimentar com essas três possibilidades e ver qual é a que apresenta a maior eficiência no nosso caso pessoal.

Algumas pessoas respondem melhor ao reforço positivo, que corresponde ao primeiro exercício de pratipakṣa bhāvana

Outras vão certamente preferir a segunda abordagem, que pondera sobre os efeitos negativos das ações, enquanto que haverá quem se sinta mais confortavel na terceira, que tem o foco na autodisciplina e a superação da tendência a julgar precipitadamente. 

O fruto do pratipakṣa bhāvana é uma mente harmoniosa e construtiva, que trabalha como a nossa aliada no crescimento interior.

Essa mente purificada, por sua vez, nos ajudará a viver uma vida tranquila e dentro do dharma, o princípio da harmonia universal.

॥ हरिः ॐ ॥

Leia também
Repensando o Yogasūtra
Obstáculos no Caminho

Pratique e faça aulas em vídeo 
no nosso canal no YouTube

॥ हरिः ॐ ॥

Pedro nasceu no Uruguai, 55 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas.
Biografia completa | Artigos

De Volta ao Básico: Yamas e Niyamas

Pedro Kupfer em Ética, Pratique
  ·   5 mins de leitura

4 respostas para “Pratipakṣa Bhāvana: Livre-se de Pensamentos Indesejáveis”

  1. Muito obrigada pelo texto….era o que precisava no momento, vai me ajudar muito em minhas batalhas mentais diárias.

    1. Olá Ana,

      नमस्ते Namaste. Obrigado pela mensagem. Fico feliz de saber que este texto pode lhe ser útil.

      Amorosamente peço que você considere a possibilidade de olhar para a sua própria mente como uma aliada no crescimento interior, e não como um campo de batalha.

      Não há nada de errado na mente. Precisamos aprender a lidar adequadamente com ela. Só isso.

      Tudo de bom!

      ॥ हरिः ॐ ॥

  2. Obrigado Pedro!

    Uma prática a reforçar nestes tempos de tanto ruído!

    Só uma nota: creio que faltou apresentar o tal caso do sono que depois é trabalhado ao longo do texto!

    Abraço!

    1. Olá Filipe,

      नमस्ते Namaste. Obrigado pelo feedback e o aviso.

      Inexplicavelmente aquele parágrafo desapareceu mas já o reescrevo.

      Valeu. Tudo de bom!

      ॥ हरिः ॐ ॥

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *