Conheça, Yoga Clássico

Obstáculos no Caminho do Yoga

Estes três sūtras abordam, no meio do primeiro capítulo do Yogasūtra, os inevitáveis desafios que toda yogiṇī e todo yogin encontram cedo ou tarde no caminho. Patañjali os lista, descreve e oferece uma linda solução no final.

· 2 mins de leitura >
obstáculos

Três sūtras de Patañjali sobre os obstáculos

Estes três sūtras abordam, no meio do primeiro capítulo do Yogasūtra, os inevitáveis desafios que toda yogiṇī e todo yogin encontram cedo ou tarde no caminho. Patañjali os lista, descreve e oferece uma linda solução no final.

Sūtra I:30

व्याधिस्त्यानसंशयप्रमादालस्याविरति
भ्रान्तिदर्शनालब्धभूमिकत्वानवस्थितत्वानि
चित्तविक्षेपास्तेऽन्तरायाः ॥ ३० ॥

vyādhistyānasaṁśayapramādālasyāvirati
bhrāntidarśanālabdha-bhūmikatvānavasthitatvāni
cittavikṣepāste’ntarāyāḥ ॥ 30 ॥

Doença, inércia, dúvida, negligência, preguiça,
volubilidade, equivocação, inconstância e instabilidade.
Estas nove distrações são os obstáculos.

vyādhi = doença, mal-estar físico 
styāna = inércia, procrastinação 
saṁśaya = dúvida, indecisão 
pramādā = negligência, descuido, irresponsabilidade 
alasya = preguiça, languidez 
avirati = volubilidade, excesso de desejos
bhrāntidarśanā = equivocação, erro de visão 
alabdhabhūmikatva = inconstância, incapacidade de praticar consistentemente 
ānavasthitatvān = instabilidade, incapacidade de manter o foco ou concentrar-se
cittavikṣepa = distração da mente
te = estes são os
antarāyāḥ = obstáculos, impedimentos

“Inimigos” do yogin: nove obstáculos

Comentário de Vyāsa: “estes nove obstáculos provocam a dispersão da mente. Eles aparecem junto com as flutuações da psiquê. Em ausência deles, os vṛttis não se manifestam.

“Doença é o desequilíbrio dos dośas [humores corporais], as secreções e os órgãos do corpo. Inércia é a falta de preparo ou incapacidade da mente. Dúvida é o pensamento disjuntivo, como “pode ser isto” ou “pode não ser isto”.

“Negligência é não pensar nos processos de concentração. Preguiça é a falta de disposição que surge da letargia do corpo e da mente. 

“A volubilidade surge do apego aos objetos mundanos. As concepções errôneas são conhecimento falso. A falta de perseverança é a impossibilidade de se estabelecer firmemente em algum dos estágios do Yoga.

“A instabilidade para permanecer na prática se vincula ao fracasso em manter esse estado [de concentração]. Quando se estabelece a concentração, a atividade consciente permanece firme no estado conquistado. Estes nove tipos de distúrbio são chamados “inimigos” ou obstáculos para o Yoga”.

obstáculos

Sūtra I:31

दुःखदौर्मनस्याङ्गमेजयत्वश्वासप्रश्वासा विक्षेपसहभुवः ॥ ३१ ॥

duḥkhadaurmanasyāṅgamejayatvaśvāsapraśvāsā
vikṣepasahabhuvaḥ ॥ 31 ॥

Sofrimento, desespero, instabilidade física e
respiração irregular acompanham esses obstáculos.

duḥkha = sofrimento, aflição 
daurmanasya = desespero 
aṅgamejayatva = instabilidade das partes do corpo
śvāsapraśvāsāvikṣepa = inspiração e expiração irregulares
sahabhuvaḥ = acompanham

Comentário de Vyāsa: “O sofrimento é de três tipos: ādhyātmika [aquele que está já na pessoa], ādhibhautika [aquele que é inflingido por outrem] e ādhidaivika [o que é provocado pelas forças da natureza].

“O sofrimento perturba as pessoas, que tentam eliminá-lo. O desespero acontece quando os desejos não são preenchidos ou quando as expectativas não se concretizam.

“A instabilidade do equilíbrio físico resulta em instabilidade e tremor do corpo. 

“A respiração ‘normal’ também está associada com estados de distração. Estes estados acontecem quando a mente está dispersa, não aparecendo em uma mente firme e calma.

“Estas distrações, antagônicas da concentração, podem anular-se através da prática constante e do desapego antes mencionados. Destes, o objeto da prática é resumido no seguinte sūtra, que diz assim:

Sūtra I:32

तत्प्रतिषेधार्थमेकतत्त्वाभ्यासः ॥ ३२ ॥

tatpratiṣedhārthamekatattvābhyāsaḥ ॥ 32 ॥

Estes são removidos pela
repetição da Verdade Única.

tat = estes
pratiṣedha = remoção, neutralização 
ārtham = pelo propósito, através 
ekatattvā = Verdade Única 
abhyāsaḥ = dedicação, aplicação à prática

A dedicação constante consiste em ouvir repetidamente o ensinamento, de maneira que ele se estabeleça firmemente no pensamento do praticante.

Essa repetição se faz necessária, uma vez que é preciso neutralizar o poder e a inércia dos condicionamentos e crenças paralisantes. 

É preciso ouvir incessantemente, questionar e refletir constantemente sobre os mahāvākyas, as grandes afirmações védicas.

Dessa maneira, poderemos superar os condicionamentos e nos estabelecer na nossa real natureza, que é ekatattva, como diz o sábio neste sūtra

Ekatattva é um composto formado por dois elementos: eka significa uno, e designa neste contexto algo que é único.

Tattva significa realidade ou verdade, realidade. Este termo deriva, por sua vez, de outros dois:  tad e tvam

Literalmente, a palavra formada pela união desses dois elementos significa “Isso-você”, e aponta para a identidade entre o Brahman e Ātma, Ilimitado e o indivíduo.

Assim, praticar a “repetição da Verdade Única” quer dizer meditar incessantemente sobre a natureza do indivíduo como sendo Ilimitada. 

॥ हरिः ॐ ॥

Saiba mais sobre a terminologia
sânscrita do Yoga aqui

Pratique e faça aulas em vídeo
no nosso canal no YouTube

॥ हरिः ॐ ॥

Pedro nasceu no Uruguai, 54 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas.
Biografia completa | Artigos

bhakti

Bhaktiyoga: Devoção Não-Dual

Pedro Kupfer em Conheça, Dharma Hindu
  ·   10 mins de leitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *