Começando, Pratique

A Preparação para o Yoga

Muitas pessoas se lançam alegremente à prática sem haver preparado a base que fará com que possam efetivamente aproveitar o ensinamento. Elas podem por momentos achar que fizeram grandes progressos mas na verdade pode acontecer que nem sequer tenham conseguido se preparar para começar.

· 3 mins de leitura >
preparação para o Yoga

Você já se perguntou se existe alguma preparação para o Yoga?

Muitas pessoas se lançam à prática sem haver preparado o alicerce que fará com que possam efetivamente aproveitar o ensinamento e evitar as frustrações.

Elas podem por momentos achar que fizeram grandes progressos mas na verdade pode acontecer que nem sequer tenham conseguido se preparar para começar.

A preparação para o Yoga é como fazer uma obra

Imagine o processo para mokṣa, a liberdade, objetivo final do Yoga, como a tarefa de construir uma casa.

A libertação acontece quando, construído o alicerce, levantadas as paredes e o teto, você entra na casa e liga o disjuntor da rede elétrica.

Algumas pessoas começam alegremente a construir as paredes esquecendo que elas se sustentam pelo alicerce.

Sem as preparações preliminares, sem a ética (yama e niyama), sem a purificação do corpo, as emoções e os pensamentos (ṣaṭkarma, bhūtaśuddhi, antaḥkaraṇaśuddhi e alimentação correta), sem exercício adequado (āsanaprāṇāyāma), não pode haver progresso no sādhana.

Sobre esse alicerce se elevam as paredes: a discriminação entre o eterno e o perecedouro (viveka), o desapego do fruto das ações (vairāgya) e o desejo de libertação (mumukṣutva).

Depois, vem o telhado: controle dos órgãos sensoriais e motores (śama e dama), cessação das ações desnecessárias (uparāti), paciência (titikṣa), concentração (samādhana) e fé (śraddhā).

Se você nem sequer pensou nessas coisas ao fazer um balanço da sua prática, é bem provável que não esteja ainda preparado para ir além das práticas introdutórias.

Quando não há nada disto, diz Swāmi Dayānanda que a única resposta possível àquela pergunta ‘quem sou eu?’ é ‘o mesmo idiota de sempre’.

A competência para reconhecer a liberdade, a plenitude que nós já somos, se chama em sânscrito adhikāra, e se consegue pela purificação do corpo e da mente. Essa competência não deve subestimar-se.

preparação para o Yoga

Sādhanacatuṣṭayaṁ: a preparação para o Yoga

Sintetizendo o que dissemos acima, chegamos num ponto crucial dentro do processo do autoconhecimento: o sādhanacatuṣṭayaṁ.

Sādhanacatuṣṭayaṁ são as quatro qualificações para mokṣa, a liberdade:

1) Vivekaḥ, discernimento,

2) Vairāgyaṁ, desapego,

3) Śamādiṣaṭkasampattiḥ, o grupo das seis virtudes:

A) Śama, comando sobre a mente,

B) Damaḥ, controle sobre os sentidos,

C) Uparatiḥ, quietude, relaxamento,

D) Titikṣa, paciência, tolerância,

E) Śraddhā, confiança no professor e no ensinamento,

F) Samādhanaṁ, concentração,

4) Mumukṣutvaṁ, foco, desejo e motivação para a libertação.

Essas quatro qualificações dão à pessoa adhikāritvaṁ, a competência necessária para completar o processo.

Mokṣa e surf

Não adianta apenas querer. É essencial estar preparado, da mesma forma que não qualquer surfista consegue surfar as maiores ondas do planeta.

Aqueles que não estiverem física e psicologicamente preparados, os que não tiverem a habilidade técnica, a resistência, a experiência e o sangue frio necessários, correm o sério risco de morrerem afogados.

Às vezes confundimos a possibilidade de fazer alguma coisa, com a habilidade necessária para fazer essa coisa.

Importância da purificação prévia

A competência e a purificação corpo/mente de que falamos antes pode comparar-se com a preparação pela qual o surfista precisa passar antes de ousar surfar ondas que poderiam matá-lo.

Yoga é um caminho para a libertação. A verdadeira dimensão desse caminho só pode vislumbrar-se com a prática constante do discernimento e os valores que mencionamos acima.

Quanto mais você sabe, mais você é consciente da sua ignorância e do que há para se conhecer.

As práticas mais simples, como āsanas e respiratórios, são benéficas para todos mas têm pouco a ver com o que há no final do caminho.

Entretanto, até mesmo na prática de āsana ou prāṇāyāma há perigos: quem se lesionou na tentativa de fazer uma invertida sobre a cabeça sabe disso.

Quanto mais o praticante avança no sādhana, mais aumenta a auto-exigência.

O Yoga é para todos mas, a partir de um certo ponto, são poucos os que seguem além.

Um ditado hindu diz: “o verdadeiro heroísmo está em conquistar sua própria natureza” — svābhāvo vijayati iti śauryam.

Por isso a tradição yogika dá tanta ênfase às técnicas preliminares, da mesma forma que se recomenda aprender a nadar antes de aprender a surfar. Não importa onde você está, senão para onde está indo.

Onde estamos no mapa?

Para saber exatamente onde estamos no sādhana, basta olhar para as nossas atitudes no dia a dia.

Somos capazes de controlar os pensamentos indesejáveis? Conseguimos concentrar-nos no que fazemos?

Conseguimos gerir as emoções negativas ou somos controlados por elas? As nossas debilidades são mais fortes que nós?

Para saber onde estamos exatamente na prática, Shivananda propõe acompanhar o nosso sádhana cotidiano levando um registro num diário.

Esse diário de sādhana não deve servir apenas para anotar os respiratórios, ou sobre o que meditamos e durante quanto tempo, mas também deve incluir as nossas atitudes do dia a dia: as mais e as menos felizes.

Desta forma você se dá a chance de acompanhar a sua evolução ao longo do tempo.


Extraído do livro Yoga Prático.

॥ हरिः ॐ ॥

Leia também:
Todos os nossos artigos sobre Vedānta
Bhūtaśuddhi, a Purificação dos Elementos
Práticas de Yoganidrā
Para compreender o Prāṇāyāma

॥ हरिः ॐ ॥

Pedro nasceu no Uruguai, 54 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas.
Biografia completa | Artigos

17 respostas para “A Preparação para o Yoga”

  1. Foi uma “Honra” lêr este artigo as palavras inspiradas do Mestre Pedro Kupfer! O Yoga é realmente o caminho para a libertação.Com a prática vamos sentindo a subtil transmutação que se vai originando dentro de nós. A alquimía interior obtida através do Yoga, não tem palavras para se transmitir , só vivenciando! Yoga é uma forma de estarmos na vida, que a enche com uma míriade de sensações, que nascem do encontro com o mais profundo do nosso ser! Namasté

  2. O site é muito bom! Traz maior conhecimento para quem é (ou quer ser) praticante de Yoga… Traz uma luz para o que é essa prática, como tbm nos faz refletir para dentro de nós! Realmente, a Yoga traz muitos exercícios como os de respiração , de certa forma fáceis, como exercícios mais complicados porque exigem uma concentração maior como também um maior preparo como, as invertidas!! é um apredizado contínuo e uma prática pela qual vc começa trabalhar a si mesmo, suas emoções, concepções, estado físico….. Vou complementar ás minhas aulas práticas a leitura dos artigos do site… Abraços!

  3. Estou gostando muito do site. Acho que achei meu porto seguro, para iniciar o meu conhecimento em yoga. Estou inciando minha caminhada. Muito obrigado.

  4. Estou praticando Yoga há seis meses e gostando muito. Aliás o site todo é muito legal. Adorei a ideia do diário, mas é preciso ser muito honesto consigo mesmo para ver a evolução real e fazer as alterações necessárias no comportamento. Um abraço. Namaste!

  5. Adorei a ideia do diário. Ajuda a percebermos nossas falhas diárias e também nossa evolução.

    Namastê.

  6. Parabéns pelo riquíssimo conteúdo do site!
    O yoga tem sido um pleno caminho pelo qual escolhi para trilhar minha jornada nesta vida. A paz interior e a tranquilidade moram em minha casa. A percepção expressa nesse texto é de grande valor e estímulo para os que estão iniciando na prática. É preciso ter o coraçao forte para receber as graças que a yoga proporciona. Parabéns novamente e que as palavras de fé e amor soem como sementes ao vento e se propaguem cada vez mais longe!
    Namastê!
    Cleydson.

  7. Gostei muito desse artigo e, não somente, de todo o site. Estou apreciando os assuntos aos poucos, apreendendo… encontrando-me, econtrando o meu Yoga. É realmente um caminho sutil, mas sem o esforço próprio não há como seguir adiante. Agradeço pelas rotas disponibilizadas. Parabéns.

  8. Muito interessante e esclarecedor este artigo! Enfatiza o real propósito do Yoga: a iluminação. Aliás isso é o que muitos vêm esquecendo ou não se preocupando, tratando o Yoga apenas como a “ginástica da flexibilidade” com o objetivo de comercializar… O Yoga requer esforço físico sim, porém, não podemos esquecer que o corpo é uma das ferramentas para essa transcedência e os benefícios virão como consequência. Parabéns Pedro! Belíssimo artigo. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *