Conheça, Vedānta

Pode a devoção levar à iluminação?

Você precisa, primeiramente, compreender Īśvara. Bhakti é descobrir que tudo o que está aqui é Īśvara. Toda a realidade é Īśvara. Īśvara não é um objeto de crença. Īśvara precisa ser compreendido. Īśvara é todo o conhecimento. Se há um processo de conhecimento, também deve haver um grau de ignorância incluído nesse processo. Devoção é descobrir que Īśvara é a única realidade.

Escrito por Swāmi Dayānanda Saraswatī · 1 mins de leitura >

Você precisa, primeiramente, compreender Īśvara. Bhakti é descobrir que tudo o que está aqui é Īśvara. Toda a realidade é Īśvara. Īśvara não é um objeto de crença. Īśvara precisa ser compreendido. Īśvara é todo o conhecimento. Se há um processo de conhecimento, também deve haver um grau de ignorância incluído nesse processo.

Uma pessoa que nunca foi à escola pode apreciar o trabalho de um grande matemático, ou seria desejável que ela estudasse a obra desse cientista para poder compreendé-la? Devoção é descobrir que Īśvara é a única realidade. O sentido do mantra Oṁ namaḥ Śivāya é compreender que nada está sob o nosso controle, que ninguém além de Īśvara é controlador de nada. Permita que Īśvara seja, apenas.

Algumas pessoas tem fé, mesmo sem ter intimidade com a compreensão do que Īśvara seja. Aí, a pessoa reza pedindo alguma coisa, mas se frustra quando o pedido dela não é atendido. Um cara fura o pneu num dia muito frio. Aí pede para Īśvara ajuda, para que alguém pare e conserte o pneu dele: “Deus, me ajude! Por que você fez com que o meu pneu furasse? Foi você que me colocou nesta situação. Agora, me tire dela!”

Eu considero que bhakti seja isto: quanto mais você compreende Īśvara, mais você compreende que não está no controle de nada nesta vida. O maior bhakta, o maior devoto, é aquele que compreende isto. Não há nada que não esteja incluído na ordem de Īśvara. A música, por exemplo, é uma bela expressão dessa ordem. A música é uma das expressões de Īśvara, na forma dos sons naturais e seus derivativos: sa, re, ga, ma, pa, etc.

Música, então, é Īśvara revelado. Īśvara é chamado o Mestre do Tempo. O Sama Veda é o Veda da música, e é cantado. Uma ou duas frases são repetidas. São formas simples de música, mas muito poderosas. Srī Kr?ṣna disse na Bhagavad Gītā: “entre os Vedas, eu sou o Sama”. Isso nos mostra o poder da música, e da devoção.

Bhakti também é atitude, coração, ritual, prece, desde que eu aceite o resultado dessa prece, independentemente de qual for, como perfeito e adequado, e não tente ”manipular” Īśvara, ou tentar fazer com que ele responda a meus desejos. Qualquer prece, qualquer ritual, é aceitável, desde que feito com o coração e essa atitude correta.

O meio áureo: esse é o segredo. Evitar os extremos. Buda tinha razão. É por isso que digo: nem pijama, nem roupa muito apertada. Os pijamas são soltos demais. A roupa apertada impede o movimento. As práticas extremas de tapasya, que são muito dolorosas, não são boas. Devem ser evitadas.


Tradução de Pedro Kupfer.

Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.

Escrito por Swāmi Dayānanda Saraswatī
Swāmi Dayānanda Saraswatī (1930-2015) ensinou a sabedoria tradicional do Vedanta por cinco décadas, na Índia e em todo o mundo. Seu sucesso como professor é evidente no sucesso dos seus alunos: mais de 100 deles são agora Swāmis, altamente respeitados como estudiosos e professores.

Dentro da comunidade hindu, ele trabalhou para criar harmonia, fundando o Hindu Dharma Acharya Sabha, onde chefes de diferentes seitas podem se reunir para aprender uns com os outros.

Na comunidade religiosa maior, ele também fez grandes progressos em direção à cooperação, convocando o primeiro Congresso Mundial para a Preservação da Diversidade Religiosa.

No entanto, o trabalho de Swāmi Dayānanda não se limitou à comunidade religiosa. Ele é o fundador e um membro executivo ativo do All India Movement (AIM) for Seva.

Desde 2000, a AIM vem trazendo assistência médica, educação, alimentação e infraestrutura para as pessoas que vivem nas áreas mais remotas da Índia.

Havendo crescido em uma pequena vila rural, ele próprio entendeu os desafios particulares de acessar a ajuda enfrentada por pessoas de fora das cidades. Hoje, o AIM for Seva estima ter ajudado mais de dois milhões de pessoas necessitadas em todo o território indiano.
Perfil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *