Pratique, Ṣaṭkarma

Como Usar o Lota para a Purificação Nasal

O lota é um recipiente de cerâmica que se usa para fazer neti, a técnica da purificação das mucosas nasais. Esta técnica limpa as narinas, eliminando o excesso de mucosidade e estimulando o ájña chakra. É ótima contra sinusite, renite e resfriados e ainda aumenta a resistência do organismo às infecções respiratórias.

Escrito por Pedro Kupfer · 2 mins de leitura >

Neti é a atividade de purificação das mucosas nasais. Compreende quatro práticas diferentes:

1. Sūtraneti, que se faz usando um cordão,
2. Jālaneti, que se faz com água,
3. Dugdhaneti, com leite e
4. Ghrītaneti, na qual usa-se ghee ou manteiga clarificada.

Neste texto iremos nos focar na purificação nasal feita com água. Para tanto, precisaremos usar um recipiente adequado, chamado lota.

O lota é um recipiente de cerâmica ou outro material neutro (evite os lotas de cobre pois este metal, oxidado, pode ser tóxico) que se usa para fazer a purificação das mucosas nasais.

Esta técnica limpa as narinas, eliminando o excesso de mucosidade e estimulando o ājñacakra, centro de força do intercílio.

É ótima contra sinusite, resfriados e rinite alérgica (inflamação da mucosa nasal), e ainda aumenta a resistência do organismo às infecções respiratórias.

A água utilizada deve ser mineral, morna e salgada na proporção de uma colher de sobremesa de sal para um litro de água.

Se a água estiver pouco salgada, poderá sentir uma leve dor na altura dos seios frontais e ardência na mucosa nasal.

Caso queira tonificar os vasos sangüíneos desta área, utilize água fria. Isto melhora a circulação e evita hemorragias nasais.

lota

Como Usar o Lota

1. Fique em pé, com o tronco ligeiramente inclinado para frente e incline a cabeça para o lado direito. Você poderá ainda acrescentar uma gota de limão ou gengibre.

2. Coloque o bico do lota na narina esquerda e incline-o, permitindo que a água entre por essa fossa e saia pela outra. A passagem da água deve ser natural e sem esforço. Isto vai depender da inclinação da cabeça. Mantenha a boca entreaberta e respire por ela.

3. Havendo esvaziado o recipiente, deixe o tronco na mesma posição e o rosto agora voltado para baixo.

4. Execute kapālabhāti a fim de extrair o restante da água.

5. Em seguida, observando as mesmas instruções, faça fluir a água da fossa nasal esquerda para a direita.

O netikriyā limpa as narinas, elimina o excesso de mucosidade acumulado nos seios nasais e frontais, estimula o ājñacakra e desenvolve a clarividência.

As outras três formas de fazer esta lavagem, bastante menos utilizadas, são sūtraneti, dugdha e ghrītaneti:

1. Sūtraneti é a purificação com um fio de algodão embebido em ghee. Esta prática pode ser feita igualmente usando uma sonda fina, de aproximadamente 4 mm de espessura por 30 cm de cumprimento, lubrificada com ghee.

Coloque uma das pontas da sonda em uma das fossas nasais. Empurre-a com cuidado até que chegue à garganta. Neste ponto, introduza o polegar e o indicador na boca, pegue a extremidade da sonda e puxe-a suavemente para fora.

Agora segurando-a por cada extremidade, movimente-a para cima e para baixo várias vezes. Repita todo o processo com a outra narina. Este exercício está reservado somente aos praticantes experientes.

2. Para fazer o dugdhaneti emprega-se leite morno ao invés de água. O procedimento é o mesmo do jālaneti.

3. Já o ghrītaneti se faz passando ghee no interior das narinas com a ponta do dedo indicador. Isso é muito necessário na Índia, pois o ar é muito seco e é preciso lubrificar as narinas para facilitar a respiração.

॥ हरिः ॐ ॥

Advertência: use sempre água previamente fervida para fazer esta purificação, especialmente se você mora numa região tropical.

Já houve vários casos de morte pela ameba naegleria fowleri (conhecida popularmente como a ameba come-cérebros) nos EUA.

Para fazer o śaṅka prakṣalāna ou os demais ṣaṭkarmas que usam água não é necessário fervê-la, pois os fluidos gástricos tem a capacidade de matar essa ameba.

Outra advertência importante: não pratique estas técnicas sem haver aprendido previamente com um professor de Yoga competente.

O autor deste artigo não se responsabiliza pelo mal uso que possa ser dado a estas instruções. Obrigado por cuidar bem do seu corpo e da sua saúde. Boas práticas.

॥ हरिः ॐ ॥

Leia também:

1. Ṣaṭkarma, a Purificação Orgânica
2. Kapālabhāti: a limpeza das vias respiratórias
3. Nauli, a automassagem abdominal
4. Trātaka, a Fixação Ocular
5. Śaṅkaprakṣalāna, a purificação total

॥ हरिः ॐ ॥

Pedro nasceu no Uruguai, 54 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas.

Escrito por Pedro Kupfer
Pedro nasceu no Uruguai, 54 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas. Perfil
bhastrikā

Bhastrikā prāṇāyāma

Pedro Kupfer em Prāṇāyāma, Pratique
  ·   4 mins de leitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *