Prāṇāyāma, Pratique

Nāḍīśuddhi Prāṇāyāma

Nāḍīśuddhi, o nome deste exercício respiratório, significa “purificação das correntes da força vital”, pois ele promove a desintoxicação sutil, tanto do corpo vital, prāṇamayakośa, quanto das emoções e pensamentos. Esta é uma variação do nāḍīśodhana, a respiração alternada, um dos mais importantes exercícios do Haṭhayoga. Enquanto no nāḍīśodhana fazemos uma inspiração por uma narina, trocamos […]

· 2 mins de leitura >

Nāḍīśuddhi, o nome deste exercício respiratório, significa “purificação das correntes da força vital”, pois ele promove a desintoxicação sutil, tanto do corpo vital, prāṇamayakośa, quanto das emoções e pensamentos.

Esta é uma variação do nāḍīśodhana, a respiração alternada, um dos mais importantes exercícios do Haṭhayoga.

Enquanto no nāḍīśodhana fazemos uma inspiração por uma narina, trocamos de lado, expiramos e inspiramos pela outra, nesta variação iremos inspirar sempre pela narina direita e expirar sempre pela esquerda, alternando o fluxo do ar com a retenção com os pulmões cheios e eventualmente, também com eles vazios.

A outra diferença é que neste prāṇāyāma iremos acrescentar a repetição mental do bījamantra Yam ou do bījamantra Ram à alternância das narinas.

Quantos ciclos devemos fazer?

Uma ótima maneira de iniciar é com 20 ciclos. Um ciclo completo de respiração alternada significa que você inspira por uma narina, retém o ar, exala pela outra, e retém sem ar. Se não tiver tempo para fazer 20, inicie com dez em cada prática.

Nāḍīśuddhi

O ritmo

Quando já tiver desenvolvido facilmente a mecânica do nāḍīśodhana, acrescente o ritmo, começando com a proporção 1:1:1:0. Nesse ritmo, cada fase tem a mesma duração que as demais.

Depois, se estiver se sentindo bem dentro dele, poderá passar para os ritmos 1:2:2:0 e 1:2:2:*. Nesses ritmos, a retenção com ar nos pulmões cheios e a expiração tem o dobro da duração da inspiração.

No primeiro caso, 1:2:2:0, não há retenção com os pulmões vazios. No segundo, 1:2:2:*, a retenção é livre.

Posteriormente, os de proporção 1:4:2:0 e 1:4:2:*, que são os mais potentes. Nesses casos, o tempo de retenção com os pulmões cheios é quatro vezes maior do que a inspiração.

O tempo de expiração é o dobro do tempo da inspiração. Na proporção 1:4:2:0 não há retenção vazia e na proporção 1:4:2:* essa retenção é livre.

Os bījamantras Yam ou Ram

A esses ritmos você poderá sempre associar a emissão mental do bījamantra Yam, correspondente ao anāhatacakra, na região do coração.

Se em algum momento sentir que perde o fôlego ou que fica ofegante, reduza proporcionalmente a duração de cada fase até achar o tempo ideal para a sua capacidade pulmonar.

As características do nāḍīśuddhi

Um detalhe: este respiratório precisa fazer-se sem forçar nada, sem fazer ruído, sem ressoar, sem perder o fôlego, sem cansar-se, sem mudar de posição, sem mover-se e sem oscilar.

Dentro do possível, o corpo deve permanecer firme como uma rocha.

Deve praticar-se apenas pela manhã, antes das 9:00h. Preferentemente, entre as 4:00 e as 6:00h.

Técnica do nāḍīśuddhi

Sentado no seu melhor āsana de meditação, inspire pela narina direita usando o bīja Yam pulsando no plexo cardíaco e concentrando-se nessa área.

Durante o kūṁbhaka, a retenção com os pulmões cheios, visualize a purificação dos canais da energia e continue a repetição mental do mantra, no ritmo que você escolheu. Depois exale vagarosamente pela narina esquerda, repetindo ainda o bīja Yam.

Assim você completa um ciclo. Reinicie inspirando pela narina direita e continue até completar 10 ou 20 ciclos.

Outra alternativa é fazer o mesmo exercício, concentrando-se no manipuracakra, na altura do plexo solar e fazer a contagem dos tempos com o bīja deste cakra.

Então você inspira pela fossa direita associando a contagem dos tempos ao bīja Ram, segura o ar durante continuando na repetição do mantra e exala pela esquerda sempre fazendo Ram mentalmente.

Em ambos os casos, a contagem do tempo com o mantra deve ser perfeitamente cadenciada, uniforme e regular.

Efeitos

Estas duas variações do nāḍīśuddhi prāṇāyāma trabalham o ar vital da região torácica (prāṇavāyu), purificam os canais da força vital e ainda somam os efeitos do nāḍīśodhāna prāṇāyāma.


Extraído do livro Guia de Meditação.

॥ हरिः ॐ ॥

Saiba mais sobre prāṇāyāma:
Características da Respiração Yogika

Temos outras práticas
em vídeo para você aqui

॥ हरिः ॐ ॥

Pedro nasceu no Uruguai, 54 anos atrás. Conheceu o Yoga na adolescência e pratica desde então. Aprecia o o Yoga mais como uma visão do mundo que inclui um estilo de vida, do que uma simples prática. Escreveu e traduziu 10 livros sobre Yoga, além de editar as revistas Yoga Journal e Cadernos de Yoga e o website www.yoga.pro.br. Para continuar seu aprendizado, visita à Índia regularmente há mais de três décadas.
Biografia completa | Artigos