Āsana, Pratique

Permanência nos Āsanas: por Quanto Tempo?

Quanto tempo de permanência nos āsanas deveríamos cultivar? Responder adequadamente esta questão é muito importante para praticar de maneira segura. Pode acontecer que um praticante pense que irá multiplicar os efeitos dos āsanas aumentando os tempos de permanência, mas essa regra nem sempre funciona. Como dizia o meu professor na Índia, o fato de que três chapatis sejam bons […]

Escrito por Pedro Kupfer · 2 mins de leitura >
Permanência

Quanto tempo de permanência nos āsanas deveríamos cultivar? Responder adequadamente esta questão é muito importante para praticar de maneira segura. Pode acontecer que um praticante pense que irá multiplicar os efeitos dos āsanas aumentando os tempos de permanência, mas essa regra nem sempre funciona.

Como dizia o meu professor na Índia, o fato de que três chapatis sejam bons no almoço não significa que 30 sejam melhor. Moderação e bom-senso nunca mataram ninguém, e deveriam ser as regras de ouro pelas quais nos orientamos, uma vez que nos permitem construir uma relação de longo prazo com as práticas do Yoga.

Posturas com maior estabilidade, como as sentadas ou deitadas, permitem uma permanência maior. Posturas de equilíbrio num pé só, ou sobre as mãos e outras de estabilização ou força pedem uma permanência mais breve. Uma permanência razoável num āsana de força, por exemplo, é um minuto.

Permanência

Uma permanência boa numa postura de alongamento não deve passar disso, nem deve ser inferior a 30 segundos. Posturas de alongamento passivo, desde que as articulações estejam firmes e bem protegidas, podem ser feitas por mais tempo.

Posturas de equilíbrio um só pé ou sobre as mãos pedem menos tempo. É necessário ter bastante cuidado em relação às posições de inversão: um tempo bem legal é algo entre três e cinco minutos, lembrando sempre de que não pode haver compressão cervical, em nenhum caso, nessas posturas.

Como levar a contagem do tempo?

Uma recomendação importante é contar as respirações, ao invés de ficar a olhar para um relógio ou cronômetro. Veja quantos ciclos respiratórios você faz ao longo de um minuto na situação da prática, e assim você saberá quanto tempo permanecer em cada postura.

Contar as respirações nas posturas de lateralidade ou nas torções pode ser muito útil para fazermos permanências simétricas em cada āsana. Por exemplo, se você faz sete respirações longas em 30 segundos, ou 15 por minuto, essa será a sua referência de contagem para os tempos que sugerimos acima.

E, naturalmente, devemos sempre adaptar, individualizar e personalizar a permanência em casa āsana, de acordo com as características e necessidades de cada corpo.

Permanência e Biotipo

O Āyurveda, ciência irmã do Yoga que lida com a saúde e propõe um sistema de cura sutil, ensina que pessoas do dośa (biotipo) vatta, no qual predominam os elementos ar e espaço, devem fazer āsanas com permanências maiores em posturas de mais estabilidade, e trabalhar movimentos vagarosos e controlados entre elas.

Pessoas do dośa kapha, onde predominam os elementos terra e água, podem praticar com maior fluidez, fazer movimentos mais rápidos e intensos, e escolher āsanas mais fortes e desafiantes, com repetição e força, pois esse dośa é bem resistente e vai beneficiar-se doe uma prática mais vigorosa.

Por outro lado, pessoas do biotipo pitta, onde prevalecem os elementos fogo e água, devem afastar-se dos extremos e praticar sempre com moderação, evitando a comparação e a competição com os demais ou consigo mesmos e cultivando contentamento e equanimidade. Para pessoas desse biotipo, o tempo de permanência não deve ser muito elevado.

॥ हरिः ॐ ॥

Atenção, por favor:

Estas dicas não substituem um professor de Yoga. São disponibilizadas apenas para que você, enquanto praticante, possa apreciar diferentes possibilidades e, se for o caso, aprimorar a sua técnica e a sua relação pessoal com o Yoga.

No início, a prática sob a supervisão cuidadosa de um instrutor preparado e competente é essencial para o sucesso na prática, bem como para evitar lesões. O autor não se responsabiliza pelo mal uso que possa ser feito destes textos. Obrigado pela compreensão e o cuidado consigo mesmo.

Cultive a atentividade e a observação calma e consciente do corpo, da mente e das emoções ao fazer estes exercícios. Evite o excesso de entusiasmo, bem como exagerar ou colocar a sua saúde em risco. Lembre que o princípio fundamental das práticas é ahiṁsā, a não-violência. Obrigado. Boas práticas.

॥ हरिः ॐ ॥

Leia também:
1) Praticar com Segurança e Sucesso: 16 Dicas
2) Elementos para Montar uma Prática de Yoga
3) Recomendações Importantes para Praticar
4) Como Montar uma Série Equilibrada de Āsana
5) How Long Should you Hold a Yoga Pose?

॥ हरिः ॐ ॥

kīrtan

Kirtan e bhajan

Pedro Kupfer em Mantra, Pratique
  ·   2 mins de leitura
sādhana

Sādhana Pañcakam

Adi Shankaracharya em Mantra, Pratique
  ·   20 mins de leitura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *