Conheça

Criatividade e Tradição: Onde Começamos a Deturpar o Yoga?

Qual é o limite entre criatividade e tradição? Até onde poderíamos usar nossa liberdade pessoal como yogis sem deformar o que aprendemos com nossos professores? Acredito que a resposta a estas questões esteja na correta compreensão do que o Yoga é, e da maneira em que ele funciona. Lembremos então que o Yoga tradicional é uma forma de vida que abrange duas dimensões.

17/03/2021 · 8 mins de leitura >

Maha Śiva Rātri, a Grande Noite de Śiva

Todos os meses, a noite anterior ao dia da Lua Nova é chamada Shivarátri, a noite de Śiva. Uma vez ao ano, no mês chamado Magha (fevereiro/março), há um dia e uma noite inteiros dedicados a Śiva, chamados Mahaśivarātri.

08/03/2021 · 3 mins de leitura >

Īśopaniṣad, a Upaniṣad do Ser Ilimitado

O que é a Īśopaniṣad? A Īśopaniṣad é um textos mais reveladores e sagrados do Yoga. Foi transmitida oralmente antes da invenção dos alfabetos sânscritos usados para transcrevê-lo. Estima-se sua idade em 2500 anos. Ela faz parte do Śuklayajurveda, o “Yajurveda Branco”, que é uma das duas versões desse Veda. O nome desta Upaniṣad deriva […]

25/01/2021 · 6 mins de leitura >

Tradicionalismo e Preconceito: Onde foi Parar a Liberdade do Yoga?

Tradicionalismo: mokṣa é (também) libertar-se de preconceitos A meta do Yoga é a liberdade, mokṣa. Essa liberdade não é uma abstração nem uma experiência mística, mas o reconhecimento no presente, agora mesmo, de que já somos livres de toda e qualquer limitação.  Liberdade é o reconhecimento de que as limitações pertencem à esfera do corpomente, […]

23/12/2020 · 9 mins de leitura >

Machismo na Sala de Prática: um Alerta Importante

O machismo é endêmico: está em todas partes na nossa sociedade e, desafortunadamente também bastante presente nos ambientes do Yoga. Negar esse fato é contribuir ativamente para os estupros, femicídios e agressões que preenchem o noticiário. É preciso fazer alguma coisa. O grande Albert Einstein disse uma vez que os “problemas não podem ser resolvidos […]

22/12/2020 · 5 mins de leitura >

Namaste, a Palavra Mágica do Yoga

Todos conhecemos ou pelo menos já escutamos alguma vez a palavra sânscrita नमस्ते namaste. Esta saudação se estendeu atualmente a muitos ambientes alheios ao Yoga e à espiritualidade e até entrou para os dicionários ingleses, por influência dos emigrantes indianos para o Reino Unido.

14/12/2020 · 3 mins de leitura >

O Corpo é o Templo. O Āsana é a Prece

Muitas tradições ascéticas da Índia consideram o corpo como um mero acúmulo de vísceras cuja natureza é corrompida e cujo destino final é morrer e apodrecer. Talvez o exemplo mais claro disso é o que aparece no Agni Purana (LI:15)...

14/12/2020 · 3 mins de leitura >

Uma Mulher Livre: as Duas Vidas de Śakuntalā

Muitas vezes pensamos que o status da mulher nas sociedades antigas tenha se mantido mais ou menos estável, sempre ou quase sempre por baixo da posição do homem, submissa e escrava, como uma espécie de objeto sem vontade própria nem direito de decidir sobre a própria vida. Embora isso possa ser verdadeiro em relação às sociedades dominadas pelas religiões abraâmicas, houve exceções no passado, como foi o caso da sociedade etrusca, o da hindu e outras onde predominou o matriarcado.

13/12/2020 · 5 mins de leitura >

Kalki Avatāra, a Décima Encarnação de Viṣṇu

As diversas correntes da variada tradição hindu apresentam distintas interpretações sobre quem são e qual é a função dos Avatāras. O termo Avatāra significa “Aquele que Desce”, e indica uma encarnação terrestre de Viṣṇu

03/12/2020 · 5 mins de leitura >

Porque Ganeśa Cavalga um Rato? Uma História Incrível

Se você visitar a Índia, verá freqüentemente imagens do deus Śiva cavalgando um touro branco, Viṣṇu voando sobre uma imensa águia ou Sarasvati atravessando o universo num belo cisne. E, certamente, o que mais irá chamar sua atenção, é o fato de que Gaṇeśa, o deus com cabeça de elefante, cavalga um rato. Você poderá perguntar: mas porquê um rato?

20/11/2020 · 4 mins de leitura >